A gestão do dinheiro é algo vital para um apostador profissional. A forma como se aposta, o conhecimento teórico e a sua aplicação têm de ser aspetos com relevo para qualquer apostador. Se não existir um plano delineado, não é possível garantir que as nossas apostas se possam ter o retorno esperado. Pelo contrário: se o plano não for bem elaborado, poderá entrar numa espiral complicada, repleta de erros associados às suas apostas.

A gestão do dinheiro é fundamental e as suas premissas devem ser aplicadas por qualquer apostador. Fique atento à mensagem que lhe queremos transmitir…

O que é a gestão de dinheiro?

A gestão associada a apostas desportivas corresponde ao processo em que somos capazes de gerir adequadamente o dinheiro/recursos que temos à nossa disposição, isto é, o montante que temos disponível para jogar.

A gestão de dinheiro é idêntica à gestão de investimentos e está associada a uma definição prévia relativa a quanto dinheiro devemos apostar, tendo presente que os resultados são incertos e imprevisíveis.

A gestão é uma técnica estratégica utilizada tanto por apostadores profissionais quanto por investidores e comerciantes do mercado financeiro, desde jogadores de poker a empresários, passando também por pessoas que fazem a gestão da própria casa. Toda a gente precisa de proceder a uma gestão de dinheiro e aquilo que define o sucesso ou insucesso decorre da educação e da compreensão de algumas formas de agir.

 

Os apostadores e a gestão do dinheiro

A gestão do dinheiro por parte dos apostadores centra-se, essencialmente, em duas áreas importantes:

  • O saldo inicial da nossa conta de apostas;
  • A gestão contínua das nossas apostas individuais;

Para abordarmos a questão da gestão de dinheiro associada à rotina das apostas, primeiro que tudo, há que ter em consideração os fundos que deposita na sua Casa de Apostas.

Os apostadores menos experientes falham muitas vezes quando querem estabelecer, em primeira instância, uma quantia de dinheiro que eles gostariam de dedicar a esta atividade. Um apostador “normal” costuma investir quantias variáveis, caindo muitas vezes na tentação de colocar e retirar dinheiro do seu cartão e privilegiando o carregamento da conta cada vez que quer fazer uma aposta. Esta não é, de todo, a melhor forma de proceder na ótica de um apostador profissional.

O primeiro passo passa por estabelecer a quantia que o apostador deseja investir em apostas desportivas: pense nisto como um investimento no seu futuro. Em último caso, a sua conta de apostas deve ser vista com um investimento ativo, como um investimento em ações ou mesmo a posse de algum bem como uma peça de arte. É algo que para si terá valor e por isso tem de ser respeitado como qualquer outro tipo de investimento, mantendo o seu valor capital. No fundo, estamos a falar na definição do valor da sua banca para apostas.

Qual é a quantia razoável para se começar?

A resposta a esta pergunta depende da realidade de cada um e assume-se como uma questão arbitrária.

Existem inúmeras tabelas e linhas de orientação que lhe podem dar uma ideia nesse sentido, mas insistimos na ideia de que tudo depende do contexto de cada um.

Considere que,  para se ser um profissional e levar a sério as apostas, a melhor opção é colocar inicialmente uma quantia de dinheiro que o faça sentir-se confortável, que lhe permita jogar durante algum tempo e que, na pior das hipóteses, esteja disposto a perder.

No entanto, não olhe para esse dinheiro como uma quantia que se pode “dar ao luxo de perder”. Nos dias que correm ninguém se pode dar ao luxo de perder dinheiro e a realidade é que não se sentiria bem se tal acontecesse. Há que “tratar” o dinheiro com seriedade e respeitar a quantidade que definiu para investir.

Veja as tabelas em baixo para identificar algum nível de conforto relacionado com a quantia que está disposto a dedicar às suas apostas. No entanto, é importante ressalvar que estas são meras linhas orientadoras e representativas. Deve sempre decidir por si mesmo o nível em que quer estar.

A primeira tabela representa os valores totais de quantias e dá-lhe uma percentagem do que deve ser o valor das apostas.

Banca

2.5%

5%

7.5%

10%

3.736€

93.4€

186.95€

280.20€

373.60€

7.478€

186.95€

373.90€

560.85€

747.80€

14.956€

373.90€

747.80€

1121.70€

1495.60€

37.390€

934.75€

1869.50€

2804.25€

3739€

74.780€

1869.50€

3.739€

5608.50€

7478€

149.560€

3.739€

7.478€

11.217€

14.956€

373.900€

9347.50€

18.695€

28.042€

37.390€

747.800€

18.695€

37.390€

56.085€

74.780€

Por exemplo, se tiver 3.736€ e quiser apostar um limite de 2,5 por cento na sua conta de apostas, deve depositar 93.40€ na sua conta.

A segunda tabela olha para o seu rendimento semanal e dá um valor calculado, multiplicando o seu rendimento semanal por uma certa quantia relacionada com o que deve ter contribuído para apostas:

Receita Semanal

1 X

2 X

3 X

4 X

186.90€

186.90€

373.80€

560.70€

747.60€

373.80€

373.80€

747.60€

1121.40€

1495.20€

560.70€

560.70€

1121.40€

1682.10€

2242.80€

747.60€

747.60€

1495.20€

2242.80€

2990.40€

1121.40€

1121.40€

2242.80€

3364.20€

4485.60€

1495.20€

1495.20€

2990.40€

4485.60€

5980.80€

3738€

3738€

7476€

11.214€

14.952€

Por exemplo, se tiver um rendimento semanal de 186.90€ e se sentir confortável para apostar três semanas, precisaria de uma quantia de 560.70€ para começar.

Estes dois modelos são apresentados ao leitor para um melhor entendimento da forma como as técnicas de gestão de dinheiro podem ser aplicadas às nossas apostas. Existe um método aplicado ao património total e outro aplicado a uma renda semanal, por forma a permitir uma comparação e fazer com que o apostador tenha ideia de como as suas apostas podem ser geridas mediante a sua estrutura.

Benefício de ter um saldo inicial:

  • Define a quantia que o deixa confortável;
  • Fornece estrutura para o seu processo de apostas;
  • Permite que as estratégias de apostas desportivas estejam de acordo com o dinheiro que tem disponível;
  • Proporciona uma vantagem mental significativa para a rotina das apostas;
  • Permite o ajuste de expetativas e definição de metas realistas;
  • Permite criar disciplina na rotina das apostas.

Desvantagens do uso do cartão para carregamento de forma contínua:

  • A quantia apostada ser é variável e inconsistente ao longo do tempo;
  • Incapacidade de manter o controlo do que se ganha e do que se perde;
  • Seleção de apostas mais pobre e possibilidade de ações inconscientes;
  • Ausência de rotina;
  • Não aplica o conhecimento de apostas no ato da aposta;
  • Nenhum profissional de apostas trabalha desta forma.

Existem diferentes formas de gerir a banca enquanto apostador e cada jogador acabará por escolher a metodologia que considera mais adequada, mas aquilo que lhe procurámos demonstrar ao longo deste tutorial tem que ver com a importância de efetivamente definir um valor para essa banca e apostar a partir daí, ao invés de carregar a sua conta de apostas desportivas cada vez que quer investir num determinado cenário. A médio e longo prazo, se adotar o segundo comportamento que mencionamos, as desvantagens acabarão por se sobrepor às vantagens.

Admitir que a sua conta de apostas é um ativo e que está realmente a trabalhar para seu beneficio é fundamental para se poder tornar um apostador de sucesso. Da mesma forma que sabe o seu valor mensal de hipoteca ou a percentagem da renda que poupa a cada mês, saberá também a quantia exata de dinheiro que tem em jogo nas suas apostas, podendo aferir os aspetos positivos que isso poderá trazer.

A gestão do dinheiro toca várias áreas distintas e é importante que o apostador profissional perceba isso.

Faça as suas Apostas com os melhores Bónus

[bwin] [nossa-aposta]

Boas Apostas