Apesar do enorme empenho de Andy Murray o Reino Unido saiu derrotado da meia-final da Taça Davis. A França, atual campeã em título, também foi afastada por Cilic e companhia. Argentina e Croácia marcam encontro na final da prova. Portugal garantiu a permanência no Grupo I fazendo o pleno frente à Eslovénia em Viana do Castelo. A curto prazo Nuno Marques já pensa em atacar o Grupo Mundial.

Del Potro e não só

Del Potro precisou de cinco horas para bater o escocês mas este triunfo inspirou o resto da equipa argentina.

Del Potro precisou de cinco horas para bater o escocês mas este triunfo inspirou o resto da equipa.

Estava tudo preparado para que os irmãos Murray, tão perto da sua cidade natal, fizessem a sua magia e carregassem o Reino Unido até à final da Taça Davis. Empenho não faltou e não é claro se o ambiente emotivo que se sentia ajudou ou pesou nas exibições dos escoceses. Juan Martin del Potro esteve mais de cinco horas em court frente a Andy Murray (6-4, 5-7, 6-7, 6-3, 6-4) para selar o primeiro ponto para os argentinos e ao início da noite de sexta Guido Pella seguiu o exemplo, batendo Kyle Edmund (6-7, 6-4, 6-3, 6-2). No sábado Murray & Murray reduziram a desvantagem conquistando o duelo de pares (6-1, 3-6, 6-4, 6-4) e no primeiro confronto individual de domingo o número dois mundial nivelou o marcador, derrotando Pella (6-3, 6-2, 6-3). Foi, assim, a terceira partida de Andy no fim de semana, que por esta altura tinha que estar totalmente esgotado, física e mentalmente. Leo Mayer deu a contribuição decisiva para que a Argentina marcasse lugar na final da Taça Davis, assumindo e vencendo o embate com Dan Evans (4-6, 6-3, 6-2, 6-4).

França sem argumentos para Cilic

Em Zadar foi a França a reclamar o primeiro triunfo. Richard Gasquet, recrutado depois das lesões afastarem Tsonga e Monfils, bateu Borna Coric em sets diretos (6-2, 7-6, 6-1). Mas no encontro seguinte Pouille acabou por não resistir a Cilic, embora o tenha encostado à parede entre o final do segundo e terceiros parciais (6-1, 7-6, 2-6, 6-2). O croata mais cotado ganhou embalo com esse triunfo e esteve a altíssimo nível no encontro de pares, ao lado do compatriota Dodig (7-6, 5-7, 7-6, 6-3). No domingo, a sua exibição frente a Gasquet esteve ao nível do melhor que sabemos ser capaz e que já lhe valeu um título num Grand Slam (6-3, 6-2, 7-5). Lucas Pouille ainda ganhou o encontro seguinte, frente a Draganja (6-4, 6-4), mas a presença da Croácia na final da Taça Davis já estava fechada.

Com 5-0 Portugal garante manutenção no Grupo I

A equipa Portuguesa agradeceu o apoio incansável do público em Viana do Castelo.

A equipa Portuguesa agradeceu o apoio incansável do público em Viana do Castelo.

Portugal teve um fim de semana de luxo na Taça Davis. As bancadas em Viana do Castelo encheram para acarinhar e apoiar os tenistas portugueses, ao contrário das televisões que não se dignaram a testemunhar o acontecimento. João Sousa e Gastão Elias venceram os respetivos encontro individuais e o duelo de pares pelo que no sábado já a manutenção no segundo grupo da Taça Davis estava garantido. Mesmo assim, a comitiva nacional decidiu cumprir com as cinco partidas, indo a jogo no domingos com os jovens Pedro Sousa e João Domingues, que estiveram à altura do momento. Agora os responsáveis da Federação Portuguesa de Ténis já pensar em atacar o Grupo Mundial o quanto antes. Com Sousa e Elias a jogar a um nível tão competitivo e a funcionar muito bem juntos, cresce a expetativa. O sorteio para a primeira ronda de 2017 acontece já na quinta-feira, 22 de setembro.

Boas Apostas!