Dois jogos por disputar na Liga NOS e só falta mais um para a descida de divisão. O Penafiel viu confirmada a sua queda, não aguentando mais do que uma temporada na divisão maior. Agora, faltará saber quem acompanha os penafidelenses, com quatro equipas a fazerem pela vida nas jornadas finais.

Académica, Arouca, Vitória de Setúbal e Gil Vicente contam os pontos e as esperanças para alcançarem a salvação, algo que Estudantes e Arouquenses terão ao seu alcance, caso vençam as partidas deste domingo. Mas olhamos para o quadro que cada conjunto tem pela frente para poder fazer a festa.

Académica (29 pontos)

A equipa de Coimbra mudou de face desde que José Viterbo chegou ao comando e até já poderia ter selado a sua manutenção há algum tempo. No entanto, depois de dupla derrota nos confrontos com Benfica e FC Porto, a Académica voltou a perder com o Gil Vicente e perdeu algum do gás que a lançava rumo à salvação. Os empates consequentes com o Penafiel e o Belenenses parecem apenas adiar o óbvio, já que os academistas parecem ter o caminho aberto para a manutenção, mesmo que não voltem a pontuar. O calendário leva a Académica até a Paços de Ferreira e fecha com a visita do Vitória de Guimarães a Coimbra. A definição do quadro europeu nesta jornada poderá ser um boa ajuda à festa dos homens de Viterbo.

Arouca (28 pontos)

Iuri Medeiros

Iuri Medeiros brilhou ao serviço do Arouca

Pedro Emanuel é um sobrevivente da linha-de-água, tendo-se especializado em viver na zona de perigo, mas nunca tendo caído para a Segunda Liga. O seu Arouca ganhou bastante no mercado de inverno, com a inclusão de Kayembe mas, sobretudo, com a chegada do leãozinho Iuri Medeiros. No entanto, a história da equipa arouquense manteve-se a mesma, com os canarinhos a jogarem sobretudo na conquista da manutenção ponto a ponto. Empates com o Marítimo e o Boavista levam a equipa a poder festejar já esta semana, ainda que tenha uma visita complicada a Setúbal, onde mora um dos outros implicados nesta luta. Na última jornada, frente ao sossegado Moreirense, o Arouca não deverá deixar escapar a manutenção.

Vitória de Setúbal (26 pontos)

Bruno Ribeiro chegou com ímpeto para salvar os vitorianos da descida à Segunda Liga, mas o quadro geral da equipa era complexo demais para que uma simples mudança de treinador pudesse mudar a sua história. A fragilidade do plantel sadino é reconhecida desde o início da temporada e o que Bruno Ribeiro aprendeu durante esta segunda metade da Liga é que não há mesmo como fazer omoletes sem ovos. O Vitória tem agora a salvação dependente daquilo que conseguir fazer perante o seu público, na receção ao Arouca. Uma vitória, poderá levar a equipa para uma posição mais tranquila à entrada da última jornada, qualquer outro resultado deixa o Vitória a olhar por cima do ombro. Na última jornada, a deslocação a Braga fará com que a manutenção pareça um projeto imensamente complicado.

Gil Vicente (23 pontos)

Academica Gil Vicente

O Gil parte atrás da concorrência

A esperança de José Mota estava, no final da passada semana, nos pontos que os seus concorrentes pudessem perder. Não é um discurso muito confiante para uma equipa que até havia conseguido somar quatro pontos perante Rio Ave e Académica. No entanto, com Benfica e FC Porto pela frente, os gilistas nunca estiveram em jogo. Ainda que se possa dizer que as suas opções e esperanças eram mínimas, houve inclusive jogadores a pedirem mais ambição ao seu técnico. Agora, com dois jogos por disputar e, na prática, a quatro pontos do seu adversário mais próximo, o Gil Vicente só pode mesmo pensar em vencer os dois jogos que faltam. Primeiro, na visita ao condenado Penafiel. Depois, na receção ao grande rival Belenenses. Dois jogos de nervos para a equipa de José Mota, que não pode agora esperar mais pelos erros dos outros: ação, precisa-se!