Menu

Shakhtar Donetsk – Sevilla (Liga Europa)

O Sevilla viaja até Lviv para a primeira mão da meia-final, sonhando fazer o que nenhum outro clube conseguiu, vencer a competição em três anos consecutivos. O Shakhtar Donestk sabe que enfrenta o atual bicampeão da Liga Europa mas vai fazer de tudo para agarrar a oportunidade e vingar a eliminação de 2007. O registo dos homens de Emery fora de casa, esta temporada, tem sido miserável, o que pode equilibrar bastante as possibilidades neste primeiro jogo.

Esperava-se que o Shakhtar Donetsk sentisse maiores dificuldades para progredir nos quartos de final. A qualificação para esta meia-final acabou por ser mais leve do que se antecipou à partida. Depois de Afastar o Anderlecht nos oitavos, vencendo as duas mãos (3-1 na Ucrânia e 0-1 na Bélgica), a equipa liderada pelo experiente Mircea Lucescu foi à Pedreira, medir forças com o SC Braga. Os homens de Paulo Fonseca tiveram um jogo algo infeliz, sofreram um golo em cima do intervalo, e estar em desvantagem frente aos ucranianos foi bem diferente de estar na mesma posição frente ao Fenerbahçe. O Shakhtar é uma equipa muito organizada e o treinador romeno conseguiu um bom equilíbrio entre solidez nos setores mais recuados e o arrojo do meio-campo para a frente. O segundo jogo, em casa emprestada, ficou logo muito mais fácil com o golo de Srna, a meio da primeira parte, na marcação de uma grande penalidade. Acentuava a vantagem do encontro em Portugal e obrigava o Braga a um esforço tremendo só para equilibrar a partida. Ricardo Ferreira acabaria por contribuir com dois autogolos, a manifestação mais visível do desespero da equipa Arsenalista perante a insistência dos ucranianos em fechar a eliminatória (4-0).

Portanto, eles podem chegar aqui sem o estatuto mas o Sevilla deve estar de sobreaviso. Há muita motivação. A começar porque ainda há neste plantel e na estrutura do clube ucraniano quem ainda recorde a última vez que os dois emblemas se defrontaram, em 2007.

A nível doméstico, o Shakhtar vem de dois empates seguidos, ambos fora de casa e ambos por um a um. O primeiro com o PFC Oleksandriya, na meia-final da Taça da Ucrânia, e o segundo com o Chornomorets, a contar para o campeonato. Lucescu só não poderá contar com o brasileiro Márcio Azevedo, lesionado.

Onze Provável: Pyatov – Srna, Kucher, Rakitskiy, Ismaily – Malyshev, Stepanenko – Marlos, Kocalenko, Taison – Ferreyra.

Liga EuropaNos últimos anos o Sevilla ganhou merecidamente o apelido de clube da Liga Europa. Não apenas por ter ganho dois troféus seguidos, coisa que já tinha feito em 2005/06 e 2006/07, mas pela paixão que os adeptos Palanganas demonstram por esta prova europeia, tantas vezes menosprezada. Nesta edição os Rojiblancos sonham com um feito que ainda nenhum outro clube alcançou: conquistar três títulos consecutivos na segunda competição europeia e para isso a próxima meta é garantir presença na final, em Basileia.

Esta temporada está a ser a menos conseguida desde que Unay Emery assumiu o comando da equipa. Estão na sétima posição na Liga Espanhola, dois pontos abaixo dos lugares de acesso às competições europeias do próximo ano, e ao que tudo indica o Sevilla terá tarefa complicada para arrancar uma dessas vagas ao Athletic Bilbao ou Celta de Vigo. Claro que ganhar a Liga Europa elimina essa necessidade já que o vencedor tem entrada direta na Liga dos Campeões. Mas o bilhete ainda está longe de garantido.

O Ramón Sánchez Pizjuán sempre foi um alicerce tremendo nas boas temporadas dos Palanganas mas este ano tem sido por demais. Dizendo de outro modo, na época de 2015/16 a equipa está completamente dependente dos resultados conseguidos no próprio estádio já que o registo nas deslocações é desolador. A jogar em casa, em todas as competições, o Sevilla soma vinte e duas vitórias, um empate e cinco desaires. Agora vejamos o contraponto. Fora venceu apenas quatro partidas em toda a temporada, somando onze igualdades e doze derrotas. Registe-se que os Rojiblancos não conquistaram três pontos em nenhum encontro do campeonato disputado fora do seu reduto. E três dos quatro triunfos aconteceram em eliminatórias da Taça do Rei. A exceção foi o jogo no San Mamés, dos quartos de final da Liga Europa, onde o Sevilla foi vencer por 1-2. Aliás, esta eliminatória cem por cento espanhola foi realmente atípica no que respeita ao comportamento da equipa. Venceu o primeiro jogo no País Basco mas concedeu o mesmo resultado na segunda mão, no Sánchez Pizjuán, obrigando a um prolongamento e marcação de grandes penalidades para carimbar a passagem (5-4).

O Sevilla teve no fim de semana a melhor preparação possível para enfrentar em alta a receção aos ucranianos. Nada melhor do que um dérbi de Sevilha para estimular a competitividade e quebrar a série de quatro jogos sem vitórias (1E/ 3D).

Emery continua sem poder contar com Andreolli, Trémoulinas e Vitolo. Carriço e Rami ainda estão em dúvida.

Onze Provável: Soria – Mariano, Carriço, Kolodziejczak, Escudero – N’Zonzi, Krychowiak – Konoplyanka, Banega, Krohn-Dehli – Gameiro.

Shakhtar Donetsk
2-3 (a.p.)
Sevilla
UEFA 06/07
Sevilla
2-2
Shakhtar Donetsk
UEFA 06/07

Os dois emblemas só se defrontaram por duas vezes, nos oitavos de final da então chamada Taça UEFA. A primeira mão, em Sevilha, terminou empatada e na Ucrânia foi um golo do guarda-redes Rojiblanco, Andrés Palop a marcar em cima dos noventa, garantindo assim a ida a prolongamento. Nesse tempo extra Chevantón marcou para o Sevilla, eliminando assim o Shakhtar Donetsk.

Prognóstico Odd Casa Erro
Vitória do Shakhtar Donetsk 2.65 Betrally
shakhtardonetsk
Shakhtar Donetsk
  • País: Ucrânia
  • Estádio: Donbass Arena
  • Cidade: Donetsk
  • Fundação: 1936

Ver ficha completa

sevilla
Sevilla
  • País: Espanha
  • Estádio: Ramón Sánchez Pizjuán
  • Cidade: Sevilha
  • Fundação: 1905

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 1825
  • Média Odds usadas 2.21
  • Próg. certos 764
  • Próg. errados 1034
comments powered by Disqus

Últimos jogos