Terminados que estão os campeonatos nacionais e europeus, fazemos agora uma retrospectiva daquilo que foram todas as equipas dos campeonatos inglês, italiano, espanhol e francês. Tendo sido respectivamente vencidos por Chelsea, Juventus, Barcelona e PSG, terão estas quatro equipas sido estatisticamente merecedoras dos triunfos, e porquê? Que terão elas feito a mais que a concorrência para se conseguirem superiorizar? São estas as perguntas a que tentaremos dar resposta neste artigo olhando apenas para os dados estatísticos de todos os 80 clubes que actuaram nestes quatro campeonatos na temporada 2014/15.

Disciplina, Posse de Bola e Rácio de Passes Certos

pepe reina vermelho

Mesmo tendo actuado em apenas duas partidas pelos Bávaros, Pepe Reina conseguiu ser um dos dois expulsos da temporada.

Apesar de pouca influência terem nos resultados, visto que uma equipa pode passar 90′ minutos a defender, sem posse de bola e com péssima marca de disciplina, e ainda assim conseguir vencer o encontro com uma jogada fortuita. No parâmetro da disciplina, o Bayern de Munique foi o emblema que melhor se apresentou tendo os seus atletas sido alvo de apenas 37 cartões amarelos e 2 vermelhos em 54 jogos que disputaram ao longo de toda a época. Com o segundo melhor registo de disciplina encontramos, de forma surpreendente, o Caen, da Ligue 1. Tendo disputado 41 partidas ao longo de toda a época, os homens deste conjunto da Normandia viram apenas 43 cartolinas amarelas e seis vermelhas para terminarem no 13º posto da tabela. Já no último lugar do top-3 de equipas com melhor disciplina encontramos os 2º classificados da Bundesliga, os homens do Wolfsburg que somaram apenas 44 cartolinas amarelas e uma vermelha em 54 jogos durante toda a temporada. No que toca a percentagens de posse de bola, voltamos a encontrar o conjunto orientado por Pep Guardiola no topo da lista, tendo conseguido uma média de 70,2% de posse de bola ao longo de toda a época. Na 2ª posição deste parâmetro foi o Barcelona, de Leo Messi, quem se conseguiu colocar ao impor 69,7% de posse de bola perante os seus adversários. Já no último lugar do pódio encontramos o PSG, que apesar de ter lutado bastante para renovar o título de campeão da Ligue 1, garantiu uma média de 63,5% de posse de bola em todos os jogos que disputou. Quanto a percentagens de passes correctos efectuados, foi o Barcelona quem melhor se conseguiu exibir ao garantir que 88,2% dos seus passes alcançaram o destinatário. No 2º lugar encontramos os franceses do PSG, com 88% de passes certos nos 59 jogos que disputaram em toda a época. No último lugar do pódio de equipas com maior rácio de passes acertados encontramos o Bayern de Munique que conseguiu que 87,5% das suas transições de bola chegassem ao destino.

Remates Concedidos, Cortes por Jogo, Intercepções e Faltas Cometidas

eugen polanski

Com uma média de 3.4 cortes por jogo, Eugen Polanski foi um dos grandes responsáveis pela solidez defensiva do TSG Hoffenheim.

Com um esquema táctico super consistente, como é habitual nas equipas de Pep Guardiola, o Bayer foi o conjunto que melhor conseguiu impedir a sua baliza de ser alvo de remates hostis, tendo permitido que isso acontecesse numa média de apenas 7,5 por jogo. Com 8 remates permitidos por partida, apresenta-se o Barça na 2ª posição, enquanto que o 3º lugar deste ranking é preenchido pelo Atlético de Madrid, cuja linha defensiva permitiu que os avançados adversários desferissem contra si apenas uma média de 8,6 remates por jogo. Quanto ao número de roubos de bola conseguidos por partida, o TSG Hoffenheim foi quem melhor se apresentou, tendo tirado a bola ao seu adversário cerca de 24,6 vezes por partida, enquanto que no 2º lugar se apresenta o Atlético de Madrid, por ter recuperado a bola 23,3 vezes por encontro, enquanto que o último conjunto deste top-3 foi, mais uma vez, o surpreendente Caen, com uma média de 22,9 cortes por jogo. No parâmetro das intercepções por partida foi mais um clube francês a conseguir surpreender, desta feita o Nice, ao ter intercepção uma média de 23,6 jogadas por partida. Na 2ª e 3ª posições de equipa com maior número de intercepções encontramos dois emblemas alemães, ambos com uma média de 21 intercepções conseguidas por partida, sendo eles o Bayern de Munique e o Werder Bremen. Já no que toca a faltas cometidas, encontramos Barcelona, Arsenal e Chelsea no topo das equipas menos faltosas desta temporada 2014/15, tendo os catalães cometido uma média de 9,8 infracções por partida, enquanto que os Gunners agiram de forma faltosa numa média de 9,9 faltas por jogo, enquanto que os Blues, campeões ingleses, praticaram uma média de 10,1 faltas por partida.

Remates, Remates Enquadrados, Dribles por Jogo e Faltas Sofridas

ronaldo remate

Com uma média de 6.4 remates por encontro, não há ninguém que remate tanto como Cristiano Ronaldo.

Muito pela vantagem de ter Cristiano Ronaldo, nesta temporada o Real Madrid foi a equipa que mais remates efectuou por partida, tendo conseguido uma média 18,1, pondo-se assim à frente do Manchester City, com 17,6 remates por partida, e ainda do Bayern de Munique, que procurou o golo uma média de 17,4 vezes por jogo. Contudo, destas tentativas de alvejar a baliza nem todas foram certeiras e, dos 18,1 remates que fez por jogo, o Real Madrid conseguiu com que 7,4 fossem enquadrados, enquanto que na 2ª posição de remates certeiros encontramos o Barcelona, que realizou uma média de 7,2 por jogo. Já a fechar este top-3 posiciona-se o Bayern de Munique, cujos atletas tiveram pontaria em cerca de 7 remates por partida. Quanto à criatividade implementada no futebol, o Bayern de Munique foi mais uma vez a equipa que melhor se apresentou, tendo efectuado uma média de 16,1 dribles por jogo. No 2º lugar de equipas com maior número de fintas por partida encontramos o Arsenal, cujos atletas tentaram ultrapassar os adversários recorrendo à sua técnica em 15,8 vezes por jogo. A fechar este top-3 encontramos o Marselha, que acabou por terminar classificado no 4º lugar da Ligue 1 após uma excelente primeira metade de temporada, tendo ainda assim realizado uma média de 14,3 fintas por partida. Já quanto ao número de faltas sofridas por encontro, os atletas do surpreendente Sassuolo foi quem mais vezes conseguiu forçar os seus adversários a cometer falta, o que aconteceu numa média de 17,6 vezes por encontro. No 2º lugar do pódio de equipas com maior número de faltas encontramos o TSG Hoffenheim, cujos atletas foram parados de forma faltosa numa média de 17,2 vezes por jogo. Já na 3ª posição de equipas com maior número de faltas sofridas encontramos outro emblema da Bundesliga, o TSG Hoffenheim, cujos jogadores sofreram uma média de 17 faltas por partida.

Média Geral de Equipas

Dando nesta apreciação uma especial atenção aos clubes campeões das ligas alemã, espanhola, inglesa, francesa e italiana, podemos constatar que, os campeões nem sempre foram os emblemas a exibir-se de forma mais vistosa, sendo o Chelsea o melhor exemplo disto. Com uma média exibicional de 7,28, os jogadores dos Blues ficaram ainda atrás dos Citizens, 7,29, e do Arsenal, onde Arsène Wenger conseguiu pôr os atletas a praticar um futebol de excelência que lhes valeu os 7,38 pontos, e o 5º lugar entre as equipas cujos atletas melhor futebol praticaram.

Mesmo sem se terem destacado a nível individual, a união dos Blues rendeu os seus frutos.

Mesmo sem se terem destacado a nível individual, a união dos Blues rendeu os seus frutos.

Já no topo da lista encontramos o Barcelona, com uma média de 7,54, seguido do Real Madrid, com 7,50. Na 3ª e 4ª posições encontramos o Bayern de Munique, com 7,46, e o Wolfsburg, com 7,38, respectivamente 1º e 2º classificados da Bundesliga. Já do campeonato francês, o PSG consegue aparecer neste ranking classificado na 7ª posição com uma média de 7,34, enquanto que a Juve, campeã em Itália e vice-campeã da Liga dos Campeões, conseguiu estes feitos com uma média de apenas 7,25 que a deixam na 12ª posição deste ranking de médias gerais de equipas.

Revistos que estão os dados estatísticos dos emblemas das cinco principais ligas europeias, podemos então dar a equipas como o Barcelona, o Bayern de Munique, o PSG e a Juventus completo mérito pelos campeonato obtidos visto que foram os melhores no respectivo país e, no caso do Barça, em toda a Europa. Já em relação à Premier League, apesar de não ter sido o conjunto a apresentar-se com o maior exibicionismo, o Chelsea mostrou coesão, eficácia e eficiência, factores que lhes valeram o 4º título de campeão inglês, contrariando assim a já gasta máxima de que quem joga melhor vence sempre.

Boas Apostas!