Depois de conquistado o título pelo Atlético de Madrid, alcançando algo que muitos julgavam impossível, se pensarmos nas diferenças orçamentais entre os dois grandes de Espanha, Real Madrid e FC Barcelona, e toda a restante concorrência, a nova temporada será um teste à capacidade de renovação dos colchoneros, perante dois adversários que se continuam a reforçar com qualidade e muito dinheiro.

Simeone renova peças

Mandzukic Atletico Madrid

Mario será sinónimo de golo em Madrid

Diego Simeone viu sair alguns dos artífices dos seus mais recentes sucessos. Courtois e Filipe Luís deixaram espaço em aberto na defesa, enquanto Diego Costa e David Villa obrigam “El Cholo” a renovar o seu ataque. Perante a necessidade de atacar o mercado, o Atlético de Madrid tentou manter os mesmos princípios que os guiaram até ao topo do futebol europeu, ora comprando jogadores jovens, ora recorrendo a apostas em elementos que perderam espaço em equipas consideradas maiores.

Para ocupar o posto na baliza, o Atlético recorreu a Jan Oblak, que depois de meia temporada como titular no Benfica parece dar garantias de manter o nível. Siqueira, também saído da Luz, será o principal candidato a ocupar a faixa esquerda da defesa, onde também Ansaldi poderá esperar ganhar alguns minutos. Os principais investimentos chegam, no entanto, para os lugares mais adiantados. Mario Mandzukic parece ser um jogador à imagem desta equipa, combativo, orgulhoso e com algo a provar, depois de ter perdido espaço no Bayern Munique, com a chegada de Pep Guardiola. Para o acompanhar chega, ainda, o francês Griezman, que tem velocidade e talento para ferir as defensivas adversárias. Olhando bem para o possível onze colchonero desta nova temporada, a sensação é que nada se perdeu, tudo se transforma, no Vicente Calderón.

Real Madrid ainda tem crédito

James Rodriguez Real Madrid

James vestirá o 10

A equipa de Cristiano Ronaldo tem estado muito ativa no mercado e isso não deixa de ser uma surpresa, sobretudo depois de ter conquistado a Liga dos Campeões. As chegadas de James Rodríguez e Toni Kroos vão obrigar a mexidas no onze e fazer, seguramente, com que alguns elementos saiam do plantel. Para Florentino Pérez, o poder do livro de cheques parece ser aquele que mais impera e, não negando as qualidades dos reforços, imaginar um onze do Real sem Xabi Alonso, Di Maria ou Gareth Bale parece fazer pouco sentido. Para além disto, há ainda a possibilidade de ver chegar Keylor Navas, mais uma das figuras do Mundial. O que parece ser sintomático do tipo de apostas que o Real Madrid está disposto a fazer.

A exigência volta a subir, numa temporada em que, depois de ganha a tão propalada “Décima” Liga dos Campeões, a obrigatoriedade de ganhar em Espanha e na Europa parece reforçada, não esquecendo, ainda, que haverá um Campeonato do Mundo de Clubes para juntar à lista.

Barcelona será incógnita da prova

O Barcelona regressa a seu melhor estilo caseiro, com Luis Enrique a assumir o controlo técnico da equipa. Com ele, espera-se rever o Barcelona a adoptar um estilo de jogo que é característico ao emblema da Catalunha, com um futebol bonito e atrativo, em busca de também assim alcançar resultados. Talvez o maior feito do novo técnico tenha sido, para já, garantir a continuidade de Xavi, que será de grande preponderância no balneário. Luis Suárez chega como grande contratação, mas o mais provável é que só em novembro possa dar o seu contributo à equipa. Outras contratações, como a do guarda-redes ter Stegen, do defesa Mathieu ou os regressos de Rafinha ou Deulofeu, aumentam a curiosidade sobre até onde poderão chegar os culés.

Boas Apostas!