As segunda e terceira jornadas da Fase de Qualificação para o Europeu 2016 realizam-se entre amanhã, quinta-feira, e a próxima terça-feira. Para Portugal, esta jornada parece revestir-se de uma sensação dramática que foi acentuada com a troca de treinador. Depois de perder na jornada inaugural para a Albânia, a seleção lusa estreará na Dinamarca, em partidas oficiais, Fernando Santos. Para o técnico nada de surpresas – depois da experiência com a seleção grega, o Engenheiro está perfeitamente familiarizado com o ambiente dos jogos de seleções.

Fernando Santos

Que obra apresentará o Engenheiro?

O resultado da Albânia em Aveiro não atingiu, no entanto, apenas a seleção portuguesa. No Grupo I, os albaneses estão perante a possibilidade de entrar na corrida por um dos três primeiros lugares, mesmo que a nível de talento individual estejam um pouco abaixo dos seus concorrentes. Recebendo a Dinamarca na segunda jornada, a Albânia tem hipótese de derrotar mais um adversário que imaginava um percurso mais tranquilo nesta Qualificação. A acontecer, seria ainda um resultado que tornaria o Dinamarca – Portugal num jogo ainda mais decisivo para os dois lados.

No D nada será dado

O Grupo D estava assinalado como um dos que teria mais competição pela segunda posição. A primeira estará destinada à Alemanha, que nesta jornada dupla enfrenta duas seleções que se sentem como favoritas para apanhar a segunda posição. A Polónia tem dois jogos agendados para casa. Primeiro, recebe o vizinho alemão. Depois, encontra-se com a Escócia, que fez uma grande exibição na jornada inaugural frente aos germânicos e logo fez aumentar o seu estatuto dentro do grupo. Na jornada seguinte, a Alemanha recebe a República da Irlanda. Os irlandeses sonham com um apuramento direto, mas para tal vão precisar de pontuar numa destas saídas – num grupo com quatro candidatos aos lugares da frente, esperar fazer todos os pontos necessários em casa é um risco que ninguém deverá estar disposto a correr.

Danças com Lobos (maus)

Suécia

A Suécia festejou assim um empate…

Na jornada dupla existem mais três encontros a merecerem nota. Em jogo entre grandes favoritos do Grupo G, a Suécia recebe a Rússia. A equipa sueca já perdeu pontos, na deslocação à Áustria, confirmando-se que austríacos são também candidatos a entrar na corrida do apuramento. No grupo resta ainda Montenegro, que não deverá facilitar. Por tudo isto, o encontro que se jogará na Suécia cresce em importância vital para os dois conjuntos. A Suécia de Ibrahimovic não pode continuar a perder pontos – muito menos em casa. Já para a Rússia, que fez um Mundial bem pálido, é fundamental encontrar segurança desde o início do Grupo.

No Grupo H, a visita da Croácia à Bulgária também tem um cariz de grande importância na definição da classificação. A Itália é a equipa mais forte do grupo e a Croácia não quer cair numa luta onde, para além de búlgaros, também estarão os noruegueses. Vencer fora é fundamental para marcar distâncias – perder, ou mesmo empatar, é deixar a seleção búlgara alimentar esperanças de proximidade.

Finalmente, depois de começarmos o texto a falar de Fernando Santos, é a sua antiga seleção que acabamos a analisar. A derrota na jornada inaugural frente à Roménia deixou os gregos em posição periclitante num grupo onde existem muitas equipas com sonhos parecidos. Viajar à Finlândia é um teste à preparação de Ranieri para este desafio. Se vencer, poderá recuperar a confiança da Federação. Se perder, poderá nem durar muito mais tempo no lugar. Cuidado, portanto, para quem o convidar para dançar no país dos lobos!