Irlanda do Norte, Suíça, Croácia, Grécia, Suécia, Itália, Dinamarca e República da Irlanda são as oito equipas que vão discutir entre si as últimas quatro vagas europeias de acesso ao Mundial 2018.

Croácia – Grécia

Conseguirá a Croácia fintar a Grécia no caminho para a Rússia?

Conseguirá a Croácia fintar a Grécia no caminho para a Rússia?

A Croácia fez uma boa prova no Grupo I, não tão boa quanto era de esperar dada toda a sua qualidade, e terminou a fase de qualificação 2 pontos atrás da líder Islândia, procurando agora marcar a 2ª presença consecutiva num Mundial. Os Vatreni têm uma espinha-dorsal bem constituída, com Subasic na baliza, Vrsaljko, Vida e Dejan Lovren destacam-se no sector defensivo, Perisic, Rakitic, Modric e Brozovic são os patrões do meio-campo, e Kramaric, Kalinic e Mandzukic compõem a frente de ataque.

A qualidade desta selecção é indubitável, mas mesmo assim os croatas parecem evidenciar alguma dificuldade em impôr todo o seu talento dentro de campo, tendo somado alguns resultados decepcionantes na fase de grupos. Já a Grécia não tem praticamente história nenhuma em Campeonatos do Mundo, e não tem tanta qualidade como a Croácia, ainda que apresente algum talento como Karnezis na baliza, Sokratis, Torosidis e Manolas na defesa, Fortounis, Samaris e Tachtsidis, no meio-campo e Mitroglou no ataque.

Ainda assim, as duas selecções demonstraram uma grande organização defensiva, a melhor dos respectivos grupos, com a Croácia a conceder 4 golos em 10 jogos, e a Grécia 6, os mesmos que líder Bélgica. Os não perdem em casa desde 2013, e é de prever que esse registo tenha continuidade, com estes a tirarem proveito disso para levarem um resultado seguro para a 2ª mão. Os Vatreni são favoritos a marcar presença na Rússia, e deverão corresponder às expectativas.

Irlanda do Norte – Suíça

A Irlanda do Norte foi uma revelação na fase de grupos. Voltará a surpreender?

A Irlanda do Norte foi uma revelação na fase de grupos. Voltará a surpreender?

A Irlanda do Norte foi uma revelação no Grupo C, tendo ficado atrás da actual campeão do Mundo que venceu todos os 10 jogos do agrupamento. Esta selecção não se consegue qualificar a um Campeonato do Mundo desde 1986, Mundial no México, e apenas em 1958 conseguiu ir além da fase de grupos. A maioria dos jogadores desta selecção ou alinham no campeonato escocês ou num dos 3 primeiros escalões de futebol de Inglaterra, não detendo o mesmo ritmo competitivo que algumas das outras selecções, mas é importante realçar que esta selecção venceu 4 dos 5 jogos disputados em casa no Grupo C, perdendo apenas contra a Alemanha, mantendo a sua baliza invicta nos 4 jogos que venceu, e apontando 12 golos no processo.

Já Suíça também fez uma grande campanha pelo Grupo B fora, liderando o agrupamento desde a 1ª jornada e apenas perdendo a liderança para Portugal na última jornada, ficando com os mesmos pontos que os campeões da Europa mas com uma diferença de golos muito inferior. Os suíços conseguiram marcar presença nos últimos 3 Campeonatos do Mundo, alcançando os oitavos de final por duas vezes, mas sem conseguir ir além. Além disso, os helvéticos apresentam uma selecção talentosa e com bons jogadores, com os guarda-redes Sommer e Burki, os defesas Lichtsteiner, Elvedi e Ricardo Rodríguez, os médios Granit Xhaka, Behrami e Shaqiri, e os avançados Seferovic e o jovem Embolo.

Este será um encontro bem disputado, com a Irlanda do Norte a ser uma equipa muito forte em casa. Ainda assim, a Suíça deverá conseguir adiar a decisão da eliminatória para o seu território e, uma vez nos seus domínios, estes deverão conseguir facilmente a qualificação.

Suécia – Itália

Mais um Mundial para estes dois colossos do futebol europeu?

Mais um Mundial para estes dois colossos do futebol internacional?

Este será um dos grandes jogos deste play-off. A Suécia realizou uma boa campanha no Grupo A, tendo ficado 4 pontos atrás da líder França, e ficado com os mesmos pontos que a 3ª Holanda, ainda que com uma melhor diferença de golos, e têm aqui um possível regresso ao primeiro Campeonato do Mundo desde 2006. Os suecos demonstraram uma boa organização defensiva bem como um ataque eficaz, tendo mesmo sido a equipa que mais golos marcou nos 10 jogos do Grupo A (26 golos). Existem vários jogadores conhecidos a representarem a Suécia, como o guarda-redes Nordfeldt, os defesas Lindelof, Granqvist, Helander e Augustinsson, os médios Sebastian Larsson, Emil Forsberg, Ekdal, entre outros, e o avançado John Guidetti.

Já a Itália ficou no mesmo Grupo G que a Espanha, tendo sido os italianos a saírem derrotados dessa batalha, ficando em 2º lugar com 23 pontos, 5 a menos que a Espanha, e 10 a mais que a 3ª Albânia. A selecção transalpina tem um belíssimo historial em competições internacionais, vencendo o último Mundial 2006, mas nas últimas duas edições não conseguiu ir além da fase de grupos, algo que pretendem mudar este ano. A qualidade desta equipa, especialmente defensivamente, é mundialmente conhecida, contando com o mítico guarda-redes Buffon, os defesas Chiellini, Bonucci e Barzagli, entre outros, os médios Verratti, De Rossi, Parolo, entre outros, e avançados como Insigne, El Shaarawy, Immobile, Belotti, Zaza, etc.

A Suécia não teve sorte e esbarrou num colosso do futebol internacional. Famosa pela forma como defende e como ataca, com muito talento e muita organização, a selecção transalpina não irá, certamente, ficar aquém das expectativas, sendo de prever uma qualificação italiana.

Dinamarca – República da Irlanda

Irá Eriksen marcar presença no seu primeiro Mundial?

Irá Eriksen marcar presença no seu primeiro Mundial?

Este será um jogo de difícil previsão, sendo duas equipas equilibradas. A Dinamarca tem poucas presenças em Campeonatos do Mundo, tendo participado pela última vez em 2010, e agora chega a este play-off depois de ficar em 2º lugar no Grupo E, 5 pontos atrás da Polónia, e 4 à frente de Montenegro, tendo sido a selecção com menos golos sofridos (8) no respectivo agrupamento. Os dinamarqueses têm jogadores muito talentosos e de grande ritmo competitivo, como o guarda-redes Schmeichel, os defesas Vestergaard, Kjaer, Christensen, entre outros, os médios Kvist, Eriksen, Schone e Sisto, e os avançados Poulsen, Bendtner e Fischer.

Já a República da Irlanda também esteve bem durante a fase de qualificação e ficou em 2º lugar no Grupo D, 2 pontos atrás da Sérvia e 2 pontos à frente do País de Gales, tendo sido a equipa com menos golos sofridos (6) a par com o País de Gales. Os irlandeses participaram apenas em 3 edições do Campeonato do Mundo, em 1990, 1994 e 2002. Todos os jogadores convocados para o play-off representam equipas inglesas, com a maioria delas da Premier League.

Este será um encontro bem disputado, com as duas equipas a serem fortes em casa e a procurarem tirar proveito disso mesmo. Qualquer uma delas defendeu muito bem nos respectivos grupos, sendo de esperar duas mãos intensas, mas com poucas ocasiões de golo, já que ambas selecções estarão mais concentradas em defender.

Boas Apostas!