Sepp Blatter recusou-se a renunciar ao cargo de Presidente da FIFA, apesar das exigências de quatro dos maiores patrocinadores do Campeonato do Mundo quererem que este o fizesse imediatamente. Coca-Cola, McDonald’s, Visa e Budweiser todos pediram a renuncia de Blatter na passada sexta-feira, após procuradores suíços iniciarem um processo penal contra ele, na semana passada.

Após a companhia de refrigerantes ser a primeira a exigir a saída de Blatter, o seu advogado, sediado nos Estados Unidos, disse: “Apesar da Coca-Cola ser um valorizado patrocinador da FIFA, Joseph Blatter, respeitosamente, discorda com a renuncia à sua posição, acreditando firmemente que abandonar o seu cargo, agora, não seria do melhor interesse para a FIFA, nem avançaria o processo de melhoramento do mesmo. Portanto, ele não renunciará.”

A pressão aumenta…

Não está claro quanto tempo o aguerrido de 79 anos será capaz de aguentar a pressão comercial dos maiores patrocinadores de desporto, pedindo a sua demissão. O Presidente da Associação de Futebol, Greg Dyke, disse que a jogada dos patrocinadores foi um divisor de águas. ” Não importa o que o Sr. Blatter diga agora – se as pessoas que pagam à FIFA querem uma mudança, eles vão ter uma mudança. Não é apenas sobre a demissão de Blatter – é sobre ter a certeza que existe um programa de melhorias compreensivo e eficaz. Portanto, para aqueles de nós que querem um mudança fundamental, são boas notícias. ”

Blatter disse, em Junho, que iria ficar para a reeleição como Presidente da FIFA em 2016, mas que iria permanecer a exercer funções até uma votação ser realizada. ” Eu não me sinto responsável pelo mundo inteiro do futebol – os fãs, os jogadores, os clubes, as pessoas que respiram, vivem e amam o futebol tanto como nós na FIFA,” disse na altura. As autoridades suíças acusaram Joseph Blatter de um pagamento desleal, num valor superior a 1.5 milhões de euros, ao presidente da UEFA, Michel Platini, em 2011, e ainda a entrega de um contrato de TV para o Campeonato do Mundo ao desonrado ex Vice-Presidente da FIFA Jack Warner, por um preço abaixo do valor de mercado.

Patrocinadores contra a permanência de Blatter

A Coca-Cola disse: “Cada dia que passa, a imagem e reputação da FIFA fica mais manchada. A FIFA precisa urgentemente de uma mudança, e isso só pode ser realizado através de uma abordagem verdadeiramente independente.” A companhia de refrigerantes gasta à volta de 100 milhões em cada quatro anos, em troca de tomar o troféu do Campeonato do Mundo numa tour mundial patrocinada. Blatter foi eleito em 1975 para liderar o novo plano de desenvolvimento global da FIFA, chamado Project One, financiado pela Coca-Cola.

McDonald's

McDonald’s, através da rede social Twitter, publicou: Pelo bem do jogo, Blatter deve pedir a demissão.

McDonald’s disse: “Os acontecimentos das últimas semanas têm continuado a diminuir a reputação da FIFA e confiança do público na sua liderança.” Já a Visa, disse que era do interesse da FIFA, e do desporto em geral, que Blatter se demiti-se imediatamente. Outros patrocinadores como a Hyundai e Gazprom ainda estão para seguir os seus homólogos em pedir a demissão do suíço. Por outro lado, a Kia, que é propriedade da Hyundai, disse: ” Nós, da Kia, não temos qualquer comentário neste momento a respeito de Joseph Blatter ou sobre a nossa situação actual do patrocínio da FIFA. A companhia recusou comentar acerca do futuro do acordo do patrocínio, que dura até 2022.

A Adidas, por sua vez, disse: ” A FIFA deve implementar mudanças fundamentais para o bem do futebol. Portanto, o processo de melhoria já iniciado deve continuar de forma rápida e transparente. Esta companhia alemã tem fornecido as bolas para todos os Campeonatos do Mundo desde 1970, tendo contrato até 2030.