Os restantes quatro grupos da Liga dos Campeões começam a disputar a prova na próxima quarta-feira. Será também aqui que FC Porto e Sporting marcam o seu regresso à competição, duas equipas que demonstram ambição de alcançar as fases a eliminar. Nestes quatro grupos estão, também, alguns dos mais fortes candidatos a destronar o campeão Real Madrid.

Eis a nossa análise dos Grupos E, F, G e H.

Grupo E

Bayern Munique e Manchester City voltam a encontrar-se numa fase de grupos, parecendo difícil que não sejam estas as duas equipas a conquistar o direito a continuar em prova. O Bayern está, este ano, mais identificado com as ideias de Pep Guardiola e espera conseguir ter os seus jogadores com disponibilidade física para uma época de retoma, no que toca ao sucesso europeu. O Manchester City e o seu técnico, Manuel Pellegrini, têm também a missão de fazer prolongar ao máximo a experiência nesta prova, de forma a tornar rentáveis os investimentos realizados na equipa. Os Citizens só podem aspirar a fazer parte dos maiores clubes de futebol do mundo se conseguir juntar um troféu europeu ao seu currículo. A chamar a atenção neste grupo está, ainda, o facto de não existirem, propriamente, equipas fáceis. O AS Roma regressa à Liga dos Campeões com sede de mostrar o futebol liberto e criativo que quase os levou ao título na temporada passada, enquanto o CSKA Moscovo é sempre um adversário complicado em qualquer prova europeia. Não haverá semanas fáceis para os candidatos do Grupo E.

Grupo F

Messi Barcelona

Messi é a chave do sucesso catalão

O Barcelona procura encontrar-se com Luis Enrique no comando das tropas e nada melhor do que um grupo onde não existem dificuldades de maior para atingir o apuramento. Messi vai continuando a ser a figura principal de uma equipa que estará mais sólida e, sobretudo, terá encontrado mais formas de ultrapassar as dificuldades. Para um apuramento praticamente garantido corre, também, o Paris SG. Os franceses continuaram, este verão, a esbanjar dinheiro para fortalecer o seu onze titular e esperam comprovar com resultados a sua evolução. Ibrahimovic, Cavani e Lavezzi terão, frente aos Culés, a sua melhor oportunidade para vingar a eliminação da temporada passada. O grupo compõe-se com o Ajax e o APOEL Nicósia. As duas equipas têm poucas aspirações de ultrapassar os colossos europeus que terão de enfrentar, lutando para ficar no terceiro lugar e, com isso, seguir na Liga Europa para a segunda metade da temporada.

Grupo G

Nani Sporting

Nani quer voltar a vencer com os Leões

O Sporting começou a temporada a revelar algumas fragilidades, quer no capítulo ofensivo, quer no defensivo, mas o seu grupo permite-lhe sonhar com um segundo lugar, caso a equipa não falhe nos encontros da Liga dos Campeões. O Chelsea é o favorito a seguir em frente, estando muito acima do nível de qualidade dos restantes concorrentes neste Grupo. O Schalke seria, naturalmente, o candidato a terminar em segundo lugar, mas a equipa alemã também vai lutando com problemas para alcançar a sua melhor forma e isso poderá refletir-se nesta disputa. Os jogos mais importantes do grupo serão, com toda a certeza, os embates entre Sporting e Schalke, ficando aí desenhado quem acompanhará os Blues na fase seguinte. Finalmente, os eslovenos do Maribor esperam conseguir pontuar na prova e poderão ter a sua melhor oportunidade já na jornada de abertura, quando receberem o Sporting. Pelo que alcançarem aí poderão entender até onde chegarão e, sobretudo, se terão a capacidade para alterar as expetativas que pendem sobre este grupo.

Grupo H

jackson_martinez_porto

Os golos têm selo de Jackson

O FC Porto de Julen Lopetegui reforçou-se, não só para alcançar o título nacional, mas também para voltar a ter uma presença condigna na Europa. De certa forma, o sorteio acabou por favorecer a equipa portista, que poderá ser considerada a principal favorita a vencer. Como principal adversário surge o Athletic Bilbao, conjunto basco que, com Ernesto Valverde ao comando, voltou a ser capaz de colocar em sentido os adversários mais fortes, como demonstrou, aliás, no passado sábado, em Camp Nou. No entanto, o FC Porto parece um pouco mais sólido e, sobretudo, mais capaz de criar perigo no último reduto adversário. O terceiro elemento deste grupo é o Shakhtar Donetsk, que vive tempos conturbados devido à situação política ucraniana, podendo acabar por ver as suas aspirações comprometidas por isso mesmo. De qualquer maneira, será sempre uma equipa difícil de ultrapassar e que estará na linha da frente para assegurar, como mínimo, uma posição na Liga Europa. Finalmente, o BATE Borisov tudo fará para não sair como o parente pobre deste grupo. O nível do futebol bielorrusso vai crescendo e, nos jogos em casa, o BATE não será fácil de ultrapassar. De qualquer maneira, vê-los ficar em qualquer posição que não seja o último lugar será, sem dúvida, uma surpresa.