Ou como as sortes foram diferentes para os portugueses em prova.

Começou ontem a fase de grupos da Liga dos Campeões, temporada 2014/2015. E ontem entraram, também, em acção, os vários portugueses espalhados pelas várias equipas da Europa. E começaram com sortes diferentes. Uns terminaram o dia mais satisfeitos. Outros, nem por isso. Mas há derrotas que mereceram o apauso, quase unanime, dos adeptos. Foi o que aconteceu ao SL Benfica depois da derrota por 2 a 0 com os russos do Zenit de São Petersburgo.

Embora a fase mais visível de Portugal esteja estampada na derrota do SL Benfica neste jogo inaugural da Liga dos Campeões, em pleno Estádio da Luz, a verdade é que o saldo português na competição, é bastante positivo. Basta ver que, à derrota do SL Benfica, corresponde a vitória do também português André Villas-Boas. E até o acidentado Leonardo Jardim levou os alemães de vencida.

Foi, então, assim, o dia de ontem:

Grupo A:

Olympiacos 3 – 2 Atlético Madrid

Juventus 2 – 0 Malmöe

Os 2 únicos portugueses presentes neste Grupo A da Liga dos Campeões, Pelé e Tiago, estavam no mesmo jogo, o Olympiacos – Atlético Madrid, no Estádio Georgios Karaiskaki, na Grécia, mas nenhum deles jogou. No entanto, este jogo teve outras aliciantes. Desde logo, o facto de ser apitado por outro português, o árbitro Pedro Proença. E depois, por ter nas duas balizas, dois antigos guarda-redes do SL Benfica, embora nenhum deles português. Na baliza grega estava Roberto, que poucas saudades terá deixado na Luz, mas que ajudou à vitória da sua equipa sobre os finalistas vencidos da última Liga dos Campeões. E estes, o Atlético de Madrid, tinha na baliza Oblak que, no último Verão, saiu um pouco a mal do clube da Luz. Oblak que sofreu o primeiro golo do encontro no primeiro remate feito à sua baliza, foi insuficiente para travar o ímpeto da equipa grega, naquele que constituiu uma das grandes surpresas da noite de ontem.

Grupo B:

Liverpool 2 – 1 Ludogorets

Real Madrid 5 – 1 FC Basel

Neste Grupo B, 3 das 4 equipas comportam portugueses. E, em todas elas, houve alguns portugueses em acção.

No Anfield, em Liverpool, Inglaterra, o Ludogorets, equipa da Bulgária, tem no seu plantel 2 jogadores portugueses, Vitinha e Fábio Espinho. No jogo de ontem, jogo de loucos, com o resultado a ficar selado só mesmo no apito final, jogou Fábio Espinho, que começou a partida no banco, mas que entrou ao minuto 85 para substituir Dyakov, numa altura em que o Ludogorets perdia por 1 a 0, golo marcado, aos 82′, pelo inevitável Mario Balotelli. O Ludogorets, já com Fábio Espinho, conseguiu empatar o jogo no primeiro minuto dos descontos, por intermédio de Dani Abalo, que também tinha entrado no decorrer da segunda parte do encontro. Num esforço final, o Liverpool conseguiu ainda marcar o golo da vitória ao minuto 3, depois dos 90′, de grande penalidade, marcada por Gerrard. Um jogo de loucos, portanto. Pelo menos no final.

Real Madrid 5 - 1 FC Basel

Real Madrid com golos para todos os gostos e feitios

No Santiago Barnabéu, em Madrid, Espanha, jogou-se o outro jogo do Grupo, entre Real Madrid e FC Basel, duas equipas cheias de portugueses. No Real Madrid, jogaram o central luso-brasileiro Pepe e o Melhor Jogador do Mundo, Cristiano Ronaldo que, mais uma vez, fez o gosto ao pé ao marcar o terceiro golo merengue, de um resultado que ficou em 5 a 1 para a equipa da casa. O outro português da actual campeã em titulo da Liga dos Campeões, o lateral esquerdo Fábio Coentrão, não jogou por estar lesionado.

Por outro lado, na equipa do FC Basel, para além da equipa técnica comandada pelo português Paulo Sousa, secundado pelo adjunto Manuel Cordeiro, o único jogador de origem portuguesa, Michael Gonçalves, não foi alternativa para o jogo de ontem.

Este foi um jogo relativamente simples para o Real Madrid que aos 14′ já estava a ganhar, beneficiando de um auto-golo do lateral checo Marek Suchy. Depois, foi um vendaval de golos: aos 30′, foi a vez de Gareth Bale; logo aos 31′, como já dissemos, foi a vez do inevitável português Cristiano Ronaldo; 6′ depois, aos 37′, foi a vez do colombiano, que já passou pelo FC Porto, James Rodríguez. Na resposta, um minuto depois, Derlis González, paraguaio que também já esteve no SL Benfica, reduziu para 4 a 1. Aos 79′, Krim Benzema fechou a contagem ao assinar o 5 a 1, resultado final com que o Real Madrid recebeu o FC Basel.

Grupo C:

SL Benfica 0 – 2 Zenit

AS Monaco 1 – 0 Bayer Leverkusen

No Grupo mais português de todos os Grupos, onde está uma equipa portuguesa, 3 treinadores portugueses e uma série de jogadores portugueses, o grande destaque vai para a derrota sofrida pelo SL Benfica na Luz contra o Zenite de André Villas-Boas. Mas também não é de desprezar a vitória caseira do AS Monaco de Leonardo Jardim, que vem de uma cadeia de maus resultados, sobre os alemães do Bayer Leverkusen.

O SL Benfica, que já não perdia no Estádio da Luz, nos jogos da UEFA, desde há 2 anos, voltou a perder para o brasileiro Hulk. Foi este antigo avançado do FC Porto o carrasco benfiquista que marcou logo golo aos 5′ de jogo. Ao longo de toda a partida firmou-se sempre, a par de Danny, como o mais complicado dos adversários da equipa portuguesa.

O SL Benfica entrou em campo só com um jogador português, o lateral esquerdo Eliseu. Mas logo aos 20′, Paulo Lopes, que se esperaria nunca se ver sair do banco, tornou-se o segundo português em campo na equipa do SL Benfica. Artur Morais viu o cartão vermelho directo por uma falta sobre o avançado português da equipa russa, Danny, e foi expulso do jogo. Jorge Jesus foi obrigado a fazer entrar o outro guarda-redes disponível, e assim, fez entrar o 3º guarda-redes da equipa, tendo de prescindir do médio de ataque, Talisca, que tão bem conta do recado vem dando.

A perder por 2 a 0, e com um jogador a menos, o SL Benfica nunca baixou os braços. E se é verdade que o Zenit esteve muito próximo do 3 a 0, também não deixa de ser verdade que o SL Benfica podia ter empatado o jogo. Houve uma grande entrega dos homens de Jorge Jesus, que o público que foi ao Estádio da Luz apreciou e recompensou, batento palmas e agradecendo o empenhamento dos jogadores, como se tivessem ganho, num jogo difícil, aziago, mas jogado com alma, sujando a camisola. O treinador do Benfica ainda fez entrar outro português em campo, André Almeida, aos 74′, para o lugar do grego Samaris, numa tentativa de refrescar o miolo de jogo. Bebé, o outro português convocado para o jogo de ontem à noite, não saiu do banco.

André Villas-Boas, o treinador do Zenit, apresentou uma equipa bastante forte e segura, onde o centro do terreno era o do antigo SL Benfica: Garay no centro da defesa, Javi García e Axel Witsel no meio-campo, e depois, para a frente, para destruir a defesa benfiquista, o português Danny, Hulk e Shatov. O outro português do Zenit, o central Luís Neto, ficou a suplente e não saiu do banco até ao final do encontro.

AS Monaco 1 - 0 Bayer Leverkusen

O português João Moutinho foi o autor do golo da vitória do AS Monaco

Também outro treinador português, foi a jogo, na noite de ontem. Leonardo Jardim, que tem tido muitas dificuldades com este descapitalizado AS Monaco, conseguiu a proeza de levar de vencida os alemães do Bayer Leverkusen, a única equipa deste Grupo sem jogadores, ou técnicos, portugueses. 1 a 0 foi o resultado suficiente para a vitória monegasca. E o golo foi marcado pelo português João Moutinho, aos 61′. Aliás, Leonardo Jardim colocou em campo os 3 jogadores portugueses que tem na equipa. João Moutinho, que marcou o golo, Ricardo Carvalho, um dos centrais da equipa e o avançado Bernardo Silva, emprestado pelo SL Benfica, que entrou ao minuto 57 para substituir o argentino Lucas Ocampos.

Grupo D:

Borussia Dortmund 2 – 0 Arsenal

Galatasaray 1 – 1 Anderlecht

Neste Grupo D só existe um jogador português e está nos turcos do Galatasaray.

O Galatasaray recebeu os belgas do Anderlecht e não conseguiu melhor que um empate a 1 golo. Um empate sofrido, deve dizer-se, que o golo turco só apareceu ao minutos 1 depois dos 90′ regulamentares, marcado por Yilmaz. O antigo jogador do Sporting CP, Bruma, entrou em jogo a partir do minuto 57, para substituir Pandev.

A equipa belga esteve a ganhar desde o minuto 52, com um golo conseguido por Praet, a responder a um passe do antigo jogador portista Defour. Embora estivesse quase toda a segunda parte do jogo em vantagem, o Anderlecht não foi capaz de aguentar a última investida da equipa da casa que recolocou tudo no empate inicial.

A primeira jornada da Liga dos Campeões continua hoje, com os restantes Grupos, onde se poderão encontrar mais jogadores e técnicos portugueses, e outras 2 eqyuipas nacionais, o FC Porto e o Sporting CP.

Boas Apostas!