É a grande sensação da Taça de Inglaterra deste ano. Uma equipa do terceiro nível do futebol inglês alcançou as meias-finais e sonha com uma presença no jogo mais importante do ano, a final da Taça. Para começar, já conquistou o direito de pisar o relvado de Wembley, onde no próximo domingo defrontará o Hull City. Trata-se do regresso de um histórico do futebol britânico, uma equipa que tem no seu currículo um título nacional e várias taças, mas que há alguns anos caiu para longe da divisão principal.

Há cem anos

Costuma utilizar-se uma expressão parecida com esta para qualificar coisas que aconteceram há muito tempo atrás, mas para os adeptos do Sheffield United, há cem anos atrás o seu clube vivia os seus anos de ouro. O único título nacional foi conquistado em 1898, quando terminaram à frente da First Division, o antecessor da Premier League, num pódio onde também marcaram presença clubes como o Sunderland e o Wolverhampton. Um ano depois, The Blades ganhava a Taça de Inglaterra, algo que voltaria a repetir em 1902, 1915 e 1925. Depois dessa data, nunca mais o Sheffield United voltou a estar entre os melhores de Inglaterra, apesar de várias passagens, quase sempre curtas, pela First Division e pela Premier League, onde estiveram em 2006-2007.

A atual presença da equipa na League One, a terceira divisão, só não é a pior marca do Sheffield United porque em 1981-82 estiveram na quarta divisão. Felizmente foi sol de pouca dura e, nesse mesmo ano, foram campeões da Fourth Division e conquistaram a promoção.

Na atualidade, já serão poucos aqueles que possam falar de nomes importantíssimos da história dos The Blades, como George Utley, por exemplo, um dos melhores jogadores do seu tempo e que capitaneou o Sheffield United na final da Taça em 1915. Outros nomes importantes na história do clube são Jimmy Dunne, que em 1931 bateu o recorde de golos marcados numa só temporada com a camisola dos The Blades, ou Joe Shaw, o jogador com mais presenças em jogos do clube, tendo representado o clube de Sheffield entre 1948 e 1966.

O renascimento

nigel clough

Nigel Clough promete espetáculo

A equipa caiu na League One em 2011, mas foi no passado verão que começou, de novo, a poder aspirar a algo mais. Metade do clube foi comprada por um príncipe saudita, o que permite algum desafogo financeiro ao emblema. Para o lugar de treinador foi chamado Nigel Clough, antigo internacional inglês que, como jogador, brilhou em clubes como o Nottingham Forest, Liverpool ou Manchester City, mas que tem como maior cartão-de-visita o ser filho de Brian Clough, o maior mago dos bancos britânicos.

Com Nigel Clough, a equipa vai mantendo uma posição confortável no seu campeonato, apesar de não ser ainda este ano que os The Blades vão alcançar a promoção. É na Taça de Inglaterra que o Sheffield United vai provando o gosto da grandeza, ao ter afastado o Aston Villa e o Fulham, ambos da Premier League, o Nottingham Forest e o Charlton. Agora, pela frente, terá o Hull City, no que será mais um adversário da Premier a colocar os homens de Clough à prova. O facto de não jogarem em casa não será problema, até porque as outras duas equipas da Premier League que foram eliminadas pelos The Blades foram-no nos seus próprios estádios.

Será que neste regresso a Wembley poderá projetar-se uma presença na final da Taça de Inglaterra? Esse é o sonho de todos os adeptos do Sheffield United e também de alguns apaixonados das grandes histórias do futebol.

Boas Apostas!