Traduzindo para português, a expressão “cash out” está próxima de algo como “retirar o dinheiro”.

O “cash out” é, antes de tudo, uma vantagem significativa apresentada pelas casas de apostas online em relação às opções “offline”. Dependendo do “modus operandi” da casa de apostas, a ferramenta que passaremos a explicar nas próximas linhas poderá ser, claro está, mais ou menos apelativa.

Simplificando a premissa de partida, a opção “cash out” permite ao utilizador “fechar” uma aposta antes do tempo, ou seja, fazê-lo antes do final de determinado encontro/evento. O valor da aposta flutua ao longo do evento, tal e qual como acontece com as odds. A Casa dá ao apostador a possibilidade de “resgatar” o dinheiro antes de conhecer o desfecho do jogo. A este processo se chama “cash out”.

Ora, existem duas circunstâncias diametralmente opostas em que o “cash out” deve/pode ser utilizado, embora a “sentença final” parta sempre do apostador. A subjetividade, tal e qual como em muitas outras opções no mundo das apostas desportivas, está sempre presente. Vejamos:

  • Utilização do “Cash Out” quando o cenário apostado se verifica.
  • Utilização do “Cash Out” quando a aposta não está a correr de feição.

Confuso? Passamos a explicar com exemplos concretos.

Exemplo 1

Imaginemos que apostámos 10 euros na vitória do Real Madrid em Camp Nou, diante do Barcelona, com odd 3.50. A dez minutos do fim, o Real Madrid está em vantagem por uma bola a zero. No entanto, enquanto assistimos ao jogo, verificamos que o Barcelona está a criar várias situações de golo e, conhecendo a qualidade dos seus jogadores, é provável que consiga mesmo marcar. Nesse momento, se quisermos jogar “à defesa”, podemos recorrer ao “cash out”. Ao invés de pagar a totalidade do prémio (35.50, no caso), nesse momento, a Casa deverá oferecer um valor mais baixo, entre os 28 e os 30 euros. Se o fizermos, não teremos que nos preocupar com o que vai acontecer no resto do jogo. Por outro lado, se o Real Madrid segurar o resultado, deixaremos de ganhar o restante valor. É este o “dilema” que dificulta a missão dos apostadores.

Exemplo 2

Agora, consideremos o cenário contrário. Apostámos 10 euros no Real Madrid e, com 60 minutos de jogo, os “merengues” não dão sinais de que poderão vir a ganhar o encontro, com o Barcelona a dominar claramente as ações e muito perto do golo. Nesse momento, a Casa disponibilizará um valor mais baixo que os 10 euros apostados, mas o jogador, entendendo que a probabilidade de vitória é muito baixa, pelo menos olhando ao desenrolar dos acontecimentos, poderá retirar o valor para evitar que a perda seja total.

Além das apostas simples  

As opções para efeitos de “Cash Out” não se restringem às apostas simples. Também é possível fazê-lo com apostas múltiplas. Imaginemos que colocamos uma combinada com seis seleções (jogos). Cinco das seleções citadas estão ganhas, restando uma para a vitória. A lógica não é diferente – se quisermos adotar uma postura cautelosa, optamos por fazer “Cash Out” ainda antes do desfecho do último jogo, abdicando da possibilidade de garantirmos o prémio total.

Apostas a longo prazo

Há outros dois tipos de apostas que passamos a distinguir: apostas a curto prazo (de jogo, por exemplo) e a longo prazo (vencedor de determinada competição ou prémio, no caso das distinções individuais).

Coloquemos a seguinte hipótese: decidimos apostar num “outsider” para vencer a Liga dos Campeões.

Neste momento, a odd que contempla a possibilidade de o Estrela Vermelha vencer a Liga dos Campeões 2019/20 é de 251.00. Imaginemos que, de forma totalmente inesperado, o Estrela Vermelha chega aos quartos de final da competição. Numa altura em que seguem apenas oito emblemas em prova, a odd associada à possibilidade de o Estrela Vermelha conquistar o troféu já terá descido significativamente, ainda que decerto permaneça muito alta. Dadas as circunstâncias, essa poderá ser uma boa oportunidade para efetuar o dito “cash out”, até porque a possibilidade de os sérvios vencerem a competição continuará a ser remota.