Jonas Thern foi um dos nomes mais sonantes do Futebol Sueco dos anos 90, contando com passagens por clubes como Nápoles, Roma, Rangers e Benfica, clube no qual se tornou Campeão Português em 1990/1991. A nível internacional, fez parte da famosa Selecção Sueca que conseguiu chegar às Meias-Finais no Campeonato do Mundo de 94′ nos Estados Unidos. Em Setembro de 1992, dois anos antes, quando Jonas actuava com as cores do Nápoles, nasceu Simon Thern, o seu filho.

Simon deu nas vistas desde cedo pela qualidade técnica hereditária do seu futebol , tendo iniciado o seu percurso nas Selecções Jovens Suecas a partir dos dezasseis anos e feito a sua estreia na principal divisão daquele país aos dezoito, defendendo as cores do Helsingborgs IF, para onde se transferiu oriundo do IFK Varnamo, clube situado na província histórica de Smaland.

«Simon, o Judas!»

O ano de 2011 foi conturbado para Simon Thern, uma vez que rejeitou a proposta de renovação de contrato com o Helsingborgs e saíu no final da época a custo zero para o seu arqui-rival, o Malmö FF. Esta mudança de Thern dos foi vista por parte dos adeptos do Helsinborgs como uma das maiores traições da sua história.

A 24 de Setembro de 2012, jogou-se no Olimpia, em Helsinborg, o derby da Escandinávia entre o Helsinborgs IF e o Malmo FF, tendo o jogo ficado marcado pelo clima de grande tensão que envolveu o regresso do jovem internacional sueco ao terreno do seu anterior clube, com tarjas a serem exibidas pelos adeptos locais em que Thern foi apelidado de Judas, traidor e até uma mais extremista onde se podia ler “Simon Thern skall dö” (Simon Thern devias morrer).

O futuro a Thern pertence

Simon Thern

O estilo do jovem sueco

Simon Thern, que conta actualmente 21 anos, tem-se assumido como um dos elementos mais importantes do meio-campo do Malmo, clube que iniciou esta temporada 2014 (na qual procura revalidar o título da época anterior) da melhor forma, ocupando a primeira posição decorridas que estão cinco jornadas. Na Selecção Sueca, Thern, vai acumulando chamadas aos Sub-21, contando já com uma internacionalização pela Selecção Principal do seu país.

Com o contrato com o Helsingborgs IF a expirar em Dezembro próximo e devido ao estatuto que tem atingido dentro do panorama futebolístico sueco, Simon Thern é nome para seguir de perto e saber até que ponto conseguirá manter os bons índices de aproveitamento dos últimos tempos por forma a catapultar o seu futebol para outro tipo de patamares competitivos.

Médio-Esquerdo de Aproximação Ofensiva

Actuando como Médio-Esquerdo desdobrável em médio-ala, ou pisando zonas mais centrais num registo próximo ao de «organizador-criativo», Simon Thern, destaca-se pela sua competência a assumir acções de condução velozes acompanhadas de razoável virtuosismo no drible, criando desequilíbrios nas defensivas contrárias com relativa facilidade através dos seus argumentos no capítulo do passe.

Astuto a mover-se e a aparecer próximo das zonas de decisão final para efectuar a assistência para um companheiro ou procurar situações privilegiadas de finalização, o internacional sueco de 21 anos, pode assumir-se ainda como executante de lances de bola parada a jeito do seu pé direito, o seu preferido, embora consiga em acções de jogo corrido fazer uso também do esquerdo – não é totalmente cego.

Ainda que denote várias contingências no seu futebol, desde logo uma adequada gestão de decisões com bola e a manutenção dos índices gerais de intensidade suficientemente calibrados em momentos de recuperação, aspectos que certamente terão impacto numa materialização tão efectiva e consistente do seu potencial técnico em enquadramentos competitivos superiores quanto aquela que consegue proporcionar em palcos escandinavos, Thern é por estes dias um dos talentos suecos que maior cobiça tem despertado junto dos emissários de alguns clubes de média-dimensão europeia, principalmente italianos, habitualmente atentos aos talentos da «Allsvenskan».

Fica a conhecer o talento de Simon Thern neste vídeo de Highlights de Simon Thern.

Boas Apostas!