Menu

Nick Kyrgios – Tomas Berdych (Open da Austrália)

A terceira ronda começa a proporcionar grandes duelos e este será um dos mais aguardados. O australiano bateu Pablo Cuevas em sets diretos mas continua a despender demasiada energia a barafustar com tudo e todos. Mas Nick Kyrgios é um tenista que adora os grandes momentos e terá o público do seu lado. Tomas Berdych tem tido uma progressão tranquila, defrontando adversários acessíveis, mas agora sabe que terá que pôr em court todo o seu jogo.

O jogo com Pablo Cuevas prova que Nick Kyrgios continua igual a ele próprio. Qualidade, potência e intensidade ele tem, para dar e vender. Também continua a permitir, ou diria mesmo a precisar, de mil e uma distrações, para aguentar umas horas em court. O uruguaio foi fazendo o que podia para lhe criar dificuldades mas o número trinta mundial já entrou em campo zangado. Em pouquíssimo tempo já estava a reclamar com o árbitro de cadeira. Voltou ao ténis, propriamente dito e venceu o primeiro set. Mas os resmungos em direção ao seu camarote de apoio, o atirar com as toalhas, o reclamar consigo mesmo, o responder ao que dizem da bancada, estiveram sempre presentes. Aparentemente, o cerne da questão eram uns calções que lhe prendiam os movimentos, coisa que se resolveu quando desapareceu em direção ao túnel de acesso e regressou com outros mais confortáveis. Cansa só de ver este constante desperdiçar de energia, é impossível que isso não afete o tenista em court, que devia estar cem por cento focado no ténis. Mesmo neste modo de catavento humano, Kyrgios fechou a partida a seu favor em sets diretos (6-4, 7-5, 7-6), em aproximadamente duas horas. Mostrou a espaços um ténis que encosta o adversário às cordas. Mas também é natural que passe por fases em que a desconcentração se reflita na prestação, como quando o serviço simplesmente deixa de entrar. Nestas circunstâncias foram cinquenta os ases e apenas vinte e sete os erros não forçados. Imaginem o que poderia fazer sem o circo em volta.

Australia Open 2015Na primeira ronda Kyrgios afastou o espanhol Pablo Carreno Busta, também em três parciais (6-2, 7-5, 6-2).

Em 2015 o jovem de vinte anos chegou ao quartos de final, altura em que mediu forças e perdeu com Andy Murray (6-3, 7-6, 6-3).

Tomas Berdych não é um jogador qualquer. O checo é aquele tenista que está sempre a aceder à soleira do sucesso numa prova de um grande slam mas ainda não conseguiu transpor a porta. Desde 2011 que o número seis mundial alcança pelo menos os quartos de final em Melbourne Park. São cinco anos consecutivos a entrar nesse grupo restrito de jogadores, uma consistência que ninguém lhe recusa. Nas duas últimas edições foi semifinalista. Em 2014 foi afastado por aquele que viria a ser o campeão do Open da Austrália, Stan Wawrinka (6-3, 6-7, 7-6, 7-6), e no ano passado caiu às mãos e Murray (6-7, 6-0, 6-3, 7-5), depois de ter afastado Nadal na ronda anterior.

Berdych será um adversário à altura das ambições do intrépido Kyrgios e o checo sabe que precisa de estar totalmente investido na partida para sair vitorioso. Em dezembro, no IPTL, Nick superiorizou-se a Tomas num daqueles sets de exibição. Para o tenista do top-10 o desafio vai ser entrar em ritmo competitivo intenso, que Kyrgios já teve que alcançar nas rondas anteriores mas Berdych ainda não. Para bater os adversários da primeira e segunda eliminatórias – o indiano Bhambri (7-5, 6-1, 6-2) e o bósnio Basic (6-4, 6-0, 6-3) – nunca precisou de meter o preço a fundo.

Berdych e Kyrgios nunca se defrontaram em torneios oficiais. Será uma estreia para ambos.

Prognóstico Odd Casa Erro
Nick Kyrgios vence primeiro set 2.10 Betrally
Nick_Kyrgios
Nick Kyrgios
  • País: Austrália
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

tomasberdych
Tomas Berdych
  • País: República Checa
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 1781
  • Média Odds usadas 2.22
  • Próg. certos 746
  • Próg. errados 1008
comments powered by Disqus

Últimos jogos