Por vezes, quando, ao fim de tanta insistência, percebemos que não conseguimos, começamos a ficar nervosos. Irritáveis. Irritantes. Explodimos por tudo e por nada. Sem rastilho. Como se de combustão instantânea se tratasse.

Isto é o que se tem passado com o treinador francês, do clube londrino Arsenal, Arsène Wenger.

Para melhor se perceber o alcance, deve explicar-se que Arsène Wenger está, como treinador, no Arsenal desde 1996. Portanto, leva 18 anos à frente do clube londrino. Nesse tempo, o Arsenal ganhou 3 campeonatos da Premier League, 5 Taças de Inglaterra e 5 Supertaças. O que parece, à primeira vista, manifestamente pouco. E José Mourinho também o acha e já o disse.

E se se tiver em atenção que Arsène Wenger tem gozado se uma certa autonomia e carta branca para a aquisição de jogadores preferidos, mesmo que o treinador do Arsenal seja um dos defensores de um certo fair-play financeiro, ainda mais se percebe que a equipa dos gunners tem passado ao lado de uma certa glória futebolística. E Arsène Wenger continua firme, no seu posto. Em mais nenhum clube se poderia passar algo semelhante. Ao fim de tantos anos, o que é que foi construído?

É verdade que ainda está longe dos anos de Alex Ferguson à frente do Manchester United, mas está, ainda mais longe, dos campeonatos e taças e prémios que o escocês conquistou para a equipa de Manchester, e que tornaram a equipa, numa das melhores do Mundo.

Isto tudo a propósito do empurrão de Arsène Wenger a José Mourinho este último fim-de-semana, durante o jogo que opôs o Chelsea e o Arsenal.

Mourinho Irrita

Percebe-se Arsène Wenger. José Mourinho irrita. É uma personagem irritante. Que gosta de picar. De incomodar. De gozar. E não tem medo de o fazer. E mais gozo lhe dá a ele próprio irritar quem se irrita com alguma facilidade. E Arsène Wenger tem sido uma boa vítima de José Mourinho. Arsène Wenger está no ponto onde José Mourinho gosta de coçar.

José Mourinho deve representar para Arsène Wenger tudo o que ele não conseguiu fazer desde que chegou ao clube inglês.

Todos os anos a equipa do Arsenal se apetrecha, e bem. E todos os anos vai sendo afastado, aos poucos, dos seus objectivos. E Arsène Wenger começa a ser o bombo da festa. O treinador que muito promete e que nada dá.

Arsène Wenger & Alan Pardew

Em 2006, Arsène Wenger também empurrou Alan Pardew, então treinador do West Ham

As suas querelas com José Mourinho já vêm de longe. Mas desta vez, foi na forma de um empurrão que desequilibrou o treinador português. Tudo começou com uma entrada mais impetuosa Gary Cahill, do Chelsea, sobre Alexis Sánchez, do Arsenal, mesmo diante da zona dos treinadores. Arséne Wenger invadiu o espaço do treinador português que se lhe pôs à frente e que foi empurrado por um Wenger bastante furioso, embora José Mourinho não tenha caído.

No final do encontro, Arséne Wenger disse que não se arrependia de ter empurrado José Mourinho, que ele simplesmente se queria dirigir à zona do incidente entre os dois jogadores, segundo ele para averiguar o estado de Alexis Sánchez, quando se meteram à sua frente e ele foi obrigado a empurrar para poder passar.

Já José Mourinho referiu que Arsène Wenger invadiu o seu espaço, e não seria nada demais se fosse para dar instruções a algum jogador, mas não para pressionar o árbitro a dar cartão vermelho ao jogador do Chelsea.

Mas no fim de tudo isto, e da imagem do empurrão Arsène Wenger a José Mourinho, o que fica como o mais caricato da situação é o facto de a Federação Inglesa de Futebol não ter sancionado o treinador do Arsenal que, afinal, é reincidente, como o mostrou a comunicação social inglesa ao lembrar um outro empurrão de Arsène Wenger a outro treinador, Alan Pardew, do West Ham, em 2006, o que lhe custou uma multa da Federação de 13 mil euros.

Um Historial

Mas os confrontos entre Arsène Wenger e José Mourinho não começaram aqui.

Tudo começou com a ida de José Mourinho, pela primeira vez, para o Chelsea, e os seus ares de vedeta invencível. Ao longo dos anos, o Chelsea de Mourinho e o Arsenal de Wenger já se encontraram 12 vezes e, das 12 vezes, José Mourinho levou sempre a melhor.

Já no início deste ano, José Mourinho tinha dito que Arsène Wenger era um especialista do falhanço, já que desde 2005, o Arsenal não ganha nenhum troféu.

Mas também no longínquo ano de 2005, José Mourinho chamou voyeur ao francês quando Wenger questionou a política de transferências do Chelsea. Na altura, José Mourinho disse que Arsène Wenger estava muito preocupado em espreitar para a casa dos outros e descurava a sua própria casa.

José Mourinho também já disse que o Arsenal era uma equipa fantástica por apoiar um treinador com tantos maus momentos como os que Arsène Wenger colecciona, ele que já leva mais de mil jogos à frente do clube. José Mourinho também disse que para qualquer outro treinador, era muito difícil ficar tanto tempo num clube sem ganhar nada.

Um é muito irritante e gosta de chatear, o outro anda muito irritado e qualquer coisa serve para fazer explodir.

Uma novela que não terminará por aqui, com certeza.

Boas Apostas!