O derradeiro Grand Slam de 2014 está já ao virar da esquina. Segunda-feira, através das redes sociais, o espanhol partilhou com os fans a tristeza por não poder marcar presença nesta edição do Major americano. O azar de uns é a sorte de outros e neste caso sorri ao tenista português mais bem cotado de sempre. João Sousa será o último cabeça-de-série do torneio, feito inédito na sua carreira e estreia absoluta para o ténis nacional. Ao vencer o título em Cincinnati, Roger Federer garantiu lugar cativo nas finais do ATP World Tour, pela décima terceira vez consecutiva.

Campeão fica de fora

Roger Federer

Federer chega com mais um troféu no currículo

Rafael Nadal sofreu uma lesão no pulso direito a 30 de Julho, durante uma sessão de treino. Logo na altura ficou claro que a estratégia seria retirar o nome dos dois Masters 1000 – Toronto e Cincinnati – e trabalhar no sentido de estar recuperado a tempo de ainda participar no US Open. Mas uma semana antes do arranque do Major em solo norte-americano o número dois mundial foi obrigado a tornar pública a sua desistência. O pulso ainda não está em condições de entrar em competição. Uma decisão difícil de tomar para o combativo espanhol, que certamente gostaria de lutar pela revalidação do título. Na final da edição do ano passado, Rafa Nadal bateu Novak Djokovic (6-2, 3-6, 6-4, 6-1) para conquistar o seu segundo cetro em Flushing Meadws. A primeira consequência desta desistência é que Nadal, que já perdeu a liderança do ranking ATP para o sérvio, não vai poder reclamar os dois mil pontos que lá conquistou na temporada passada.

Um português entre os cabeças-de-série

João Sousa US Open

Sousa será cabeça-de-série

A infelicidade de Nadal deu a João Sousa a possibilidade de, mais uma vez, elevar a fasquia para o ténis português. Pela primeira vez na história do circuito, um tenista luso será cabeça-de-série num torneio do Grand Slam. A importância do facto não é apenas honorífica, tem vantagens práticas evidentes. Pelo menos até à terceira ronda – classificação alcançada na época passada – o caminho de Sousa estará livre de outros pré-designados, aumentando assim as probabilidades de defesa dos pontos conquistados nessa altura. Considerando que o vimaranense teve o azar de apanhar, e ser eliminado por, Djokovic e Wawrinka nas primeiras rondas de Roland Garros e Wimbledon, respetivamente, há razões para otimismo.

Mais um record para Federer

No Domingo, Roger Federer conquistou o seu sexto troféu no Masters de Cincinnati, às custas de David Ferrer (6-3, 1-6, 6-2). Mesmo com um apagão completo do suíço no segundo set, o espanhol não teve argumentos para contrariar o vencedor de dezassete Grand Slams. Com este título – o octogésimo do palmarés pessoal em singulares – Federer consolidou a sua posição no terceiro lugar do ranking e garantiu também o bilhete para as finais do World Tour, em Novembro, na O2 Arena, em Londres. O espantoso é que esta será a décima terceira presença consecutiva do suíço entre os oito melhores tenistas do circuito, feito nunca antes alcançado na modalidade. Mais um recorde impressionante de Roger Federer.

Lusos no Qualifying

Entretanto, já foi conhecida a sorte dos restantes portugueses que vão disputar o qualifying do US Open. Michelle Larcher de Brito terá pela frente Gabriela Dabrowski, Gastão Elias defronta Luke Sorensen e Pedro Sousa mede-se com Adrian Menendez-Maceiras.