Os treinadores estão a assumir todo o protagonismo nesta ronda da Liga dos Campeões. Pelo menos até ao apito inicial são eles que dominam as notícias. Já não são só os jogadores as estrelas. Os mestres da tática também são chamados à ribalta. Alguns até gostam.

O regresso de Didier Drogba a uma casa onde foi feliz passou claramente para segundo plano, na ante-visão da segunda mão dos oitavos da Liga dos Campeões. O destaque vai para a troca de mimos entre Mancini e Mourinho. A relação entre os dois tem sido feita de “alfinetadas”, desde que o português substituiu o italiano à frente do Inter de Milão. Durante a campanha bem sucedida de José Mourinho em Itália Roberto Mancini pôs-se várias vezes em bicos de pés para reclamar os seus créditos, chegando até a afirmar que Mourinho se tinha limitado a pegar na grande equipa que ele tinha construído. Na conferência de imprensa o técnico do Galatasaray disse que convidaria Mourinho para jantar no final do jogo de Stamford Bridge, e que até está disposto a pagar se os Turcos saírem vitoriosos. Do outro lado a resposta não se fez esperar, em tom mordaz. Mourinho dispensa o convite e ainda acrescenta que a única coisa em comum com Mancini é a profissão que ambos exercem.

Roberto Mancini e Jose Mourinho

Tão amigos que eles não são.

O primeiro jogo, na Turquia, terminou em empate, com Fernando Torres a marcar aos 9 minutos e Aurélien Chedjou a igualar o marcador a meio da segunda parte. O que começou por ser uma exibição dominante do Chelsea tornou-se numa partida equilibrada assim que Mancini corrigiu o modelo de jogo. De qualquer modo o golo fora dá uma pequena vantagem à equipa Inglesa.

O outro embate da Liga dos Campeões desta terça parece já ter perdido todo o interesse. Com a vitória do Real em Gelsenkirchen por 6 a 1, há três semanas, deixou de haver história. Os jornais espanhóis, por exemplo, já estão concentrados no clássico do próximo Domingo, em que os Madrilenos recebem o Barcelona no Bernabéu. Os media alemães temem mais derrota pesada do Schalke 04.

Por estes dias há um segundo treinador português nos cabeçalhos desportivos. André Villas-Boas é o novo treinador do Zenit de São Petersburgo, substituindo o italiano Luciano Spalleti. Alguns desportivos até já lhe chamam o “Papa-clubes”, tal é o talento demonstrado para acumular contratos milionários. Depois da passagem pelo Chelsea e Tottenham parte agora para a Rússia com um acordo de dois anos e 8,5 milhões de euros, segundo consta no comunicado emitido pelo clube. Segundo adiantam as redes sociais o nome do português não agrada à claques do Zenit mas teve o aval da Gazprom, o gigante do gás natural que controla a maioria das ações do clube.
Na deslocação à Alemanha, para defrontar o Dortmund, a equipa será ainda orientada por Sergey Semak, que assumiu interinamente o lugar após a saída de Spalleti no início do mês. Villas-Boas será apresentado oficialmente no dia 20.
O primeiro jogo não correu de feição aos russos e a equipa de Jurgen Klopp parte para a partida decisiva com uma vitória confortável no terrenos dos adversários (2-4). Como não podia deixar de ser também o técnico alemão foi notícia esta semana. Vai ter de pagar 10 mil euros de multa por uma acesa troca de ideias com o quarto árbitro na derrota em casa frente ao Moenchengladbach, no último Sábado. A DBF não brinca.

Por último, David Moyes nas bocas do mundo. A sua ida para Old Trafford tem sido uma sucessão de desastres, um verdadeiro filão mediático. Depois da desilusão na Grécia e da derrota caseira frente ao Liverpool o escocês continua a afirmar que o seu lugar no United não está em risco, que sabe o que está a fazer e onde quer chegar. Não sei se ainda alguém acredita, a começar pelos jogadores do plantel. Noutros tempos não seria difícil ao poderoso United reverter uma desvantagem de dois golos diante do seu público. Com a confusão que atualmente reina em Manchester, vão-se ver gregos. O jornal inglês The Guardian até sugeriu que Moyes tentasse chegar à fala com o treinador do Panatinaikos, Yannis Anastasiou, um dos poucos que bateu os tetracampeões gregos esta época, para pedir umas dicas.

Boas Apostas!