Menu

Milos Raonic – Kei Nishikori (ATP – Madrid Open)

O canadiano, atual nono do ranking ATP, não terá tarefa fácil. Para chegar aos quartos-de-final do Mutua Madrid, Milos Raonic terá que superar Kei Nishikori. É bom que saiba que o japonês ligou o turbo. Se a rapidez como se move no court sempre foi a sua assinatura, com a série de sete vitórias consecutivas está imparável. De um lado lado, Raonic, com 1,96m. Do outro, Nisshikori, quase vinte centímetros abaixo. São o oposto um do outro, e por isso mesmo adversários temíveis. O primeiro assenta o seu jogo no serviço e na envergadura, o segundo na agilidade e jogo de pés para chegar a todo o lado. O importante não é o tamanho, é o que se faz com ele. Adivinha-se um embate interessante.

Milos Raonic fez jus ao seu estatuto de cabeça de série para despachar o francês Jeremy Chardy, quadragésimo nono do ranking em apenas dois parciais de 6-3. Mas se recuarmos a uma semana atrás, no Portugal Open, o canadiano fez praticamente o mesmo na primeira ronda, derrotando o uruguaio Pablo Cuevas (6-3 e 6-2) e mostrando-se muito satisfeito com o nível da sua exibição na conferência de imprensa que se seguiu ao encontro. O pior veio depois. Na ronda seguinte, os quartos, foi surpreendido pelo argentino Carlos Berlocq, que depois de o ter empurrado para tiebreak e ter vencido o primeiro set o afastou prematuramente do torneio com um seguro segundo parcial de 6-4. A ver se não se repete. Pelo menos aqui não haverá surpresa. A fulgurante campanha que Nishikori tem tido neste arrancar da terra batido não passou despercebida nem aos mais distraídos. Raonic, dono do serviço mais demolidor do circuito, vai precisar da sua melhor arma bem afinada.

mutua-madridA última derrota do japonês de vinte e quatro anos foi em finais de Março, diante de Novak Djokovic, na semifinal do Masters 1000 de Miami, altura em que se retirou do evento com um problema na coxa. Desde que pisou a argila não voltou a perder uma partida, e já lá vão sete, diante de adversários de considerável valia. Em Barcelona bateu Roberto Bautista-Agut (6-1, 4-6, 6-3), Andrey Golubev (6-0, 6-4), Marin Cilic (6-2, 6-3), Ernests Gulbis (6-2, 6-4) e Santiago Giraldo (6-2, 6-2), para sair da Catalunha com o quinto título da carreira. E em Madrid tem mantido o ritmo, eliminado Ivan Dodig (6-4, 6-4) e Guillermo Gascia-Lopez (6-3, 6-1) em dois sets. À exceção de Golubev (61º), todos os outros pertencem ao Top-50.

Muitas vezes quando se classifica um tenista como especialista em terra batida está subentendido que não é grande coisa noutras superfícies. Também não é o caso. Esta temporada Nishikori acumula vinte e cinco vitórias e apenas cinco derotas, sendo que só sete dos resultados positivos foram jogados no seu piso preferido. Abriu o ano em Brisbane, onde perdeu a meia-final para Lleyton Hewitt, e, pela primeira vez no seu percurso profissional, já dois troféus ao currículo – o já mencionado Conde de Godó e o do torneio de Memphis.

O ténis de elite não é para baixotes, parece ser o mote. No Top-15 há apenas dois tenistas com menos de um metro e oitenta, David Ferrer e Kei Nishikori. A altura é particularmente importante para um bom serviço, sendo diretamente proporcional a elevação, velocidade e ressalto que o mesmo atinge. O jogador mais alto circuito, Ivo Karlovic – que mede 2,11m – consegue servir a cerca de 250km/hr. É também o ponto forte de Raonic que, desde que conta com a preciosa ajuda de Ljubicic, domina com mestria a arte de bem servir. Para o “pequeno” japonês é difícil jogar contra estes gigantes, é complicado manter o serviço. Nishikori tem que compensar o que lhe falta em altura com boas pernas, muita velocidade e variando muito as pancadas.

Milos Raonic e Kei Nishikori só se defrontaram uma vez. Pode não servir de estatística mas carrega bastante significado para o japonês. Foi precisamente em 2012, em Tokio, diante do canadiano que Nishikori se tornou o primeiro nipónico a vencer o título no Ariake Colosseum. Foi também o seu segundo troféu ATP, quatro anos depois de vencer Delray Beach.

A Bet365 oferece-lhe 50€ de bónus para apostar neste jogo: http://bitly.com/50eurbonus

Prognóstico Odd Casa Erro
Vitória de Kei Nishikori por 2-1 3.60 William Hill
Milos Raonic
Milos Raonic
  • País: Canadá
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Kei Nishikori
Kei Nishikori
  • País: Japão
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 1791
  • Média Odds usadas 2.22
  • Próg. certos 751
  • Próg. errados 1014
comments powered by Disqus

Últimos jogos