Menu

Milos Raonic – Jo-Wilfried Tsonga (ATP – Roma)

Raonic e Tsonga asseguraram a passagem à terceira ronda do Masters de Roma, cada um deles despachando o adversário que lhes coube em sorte em dois sets. Dito assim pode parecer que tiveram trabalho fácil, o que não foi de todo o caso. Quinta-feira apenas um seguirá em frente. A boa notícia é que nenhum dos dois terá que se haver com Roger Federer, o suíço já está fora de competição.

Milos Raonic teve que ultrapassar um homem da casa, no seu encontro inaugural no pó de tijolo, em Roma. Simone Bolelli, número cento e sessenta e dois do ranking, serviu muito bem no primeiro set, surpreendendo o canadiano. Conseguiu mesmo uma quebra de serviço, que Milos se apressou a contrariar para reequilibrar as contas. A eficácia de Raonic foi crescendo e fechou o parcial com autoridade. No segundo set não houve quebras de serviço, seguindo tudo muito equilibrado até ao décimo segundo jogo, em que o italiano beneficiou de dois pontos de set, mas não converteu nenhum deles. O décimo jogador ATP deixou que o adversário lhe ganhasse a dianteira no tiebreak, mas depois do 4-2 Raonic recorreu à sua grande arma, o serviço, e com uns quantos ases seguidos colocou-se na frente do marcador, em boa posição para encerrar o set e o encontro.

O registo de Raonic, esta temporada, aponta para quinze vitórias e oito derrotas, cinco e três se considerarmos apenas as partidas disputadas em terra batida. Atingiu os quartos-de-final de quatro torneios ATP seguidos. Em Miami perdeu diante de Aleksandr Dolgopolov (6-3, 6-4), não sem antes ter eliminado Andy Murray, nos oitavos (4-6, 7-5, 6-3). Em Miami, caiu quando encontrou pela frente o n.º 1 do mundo, Rafa Nadal, obrigando o espanhol a jogar um terceiro set, o que não envergonha ninguém (4-6, 6-2, 6-4). Em Monte Carlo o carrasco foi Stanislas Wawrinka, que viria a conquistar o torneio (7-6, 6-2). Já no Portugal Open, esperava-se que o canadiano chegasse mais longe. A eliminação, às mãos de Carlos Berlocq, quadragésimo nono, pelos parciais de 7-5 e 6-4, foi inesperada, sobretudo depois da confiança demonstrada na ronda anterior. No Mutua Madrid Open, Milos não resistiu ao superior momento de forma do japonês Kei Nishikori (7-6, 7-6).

ATP Masters RomaNo dia em que completou vinte e nove anos, Jo-Wilfried Tsonga carimbou a sua 300ª vitória no circuito profissional de ténis, uma marca muito considerável. O sacrificado foi Kevin Anderson, vigésimo do ranking, que para abrilhantar a festa vendeu cara a derrota. O sul-africano forçou o aniversariante a um duplo tiebreak, e só para fechar o primeiro parcial Tsonga teve que salvar nove pontos de set. Nove! A coisa já estava a tomar proporções de batalha épica. O segundo set continuou equilibrado e foi então, mais uma vez, decidido na negra, mas sem tanto dramatismo. Na exibição inaugural na capital italiana, o francês teve pela frente o búlgaro Dolgopolov, que superou sem problemas de maior (6-3, 7-6).

O décimo terceiro tenista do ranking ATP leva um registo, em 2014, de vinte e uma vitórias e nove derrotas. Deve estar particularmente aliviado pelo facto de Federer já não se encontrar no seu horizonte imediato visto o suíço já o ter eliminado, esta época, do Open da Austrália (6-3, 7-5, 6-4) e do Torneio de Monte Carlo (2-6, 7-6, 6-1). Na primeira ronda de Madrid venceu Roger-Vasselin, com os parciais de 6-3, 4-6 e 6-3, tendo sido derrotado na etapa seguinte por Santiago Giraldo, em dois sets (6-4, 6-3).

Milos Raonic e Jo-Wilfried Tsonga só se cruzaram duas vezes em competição, nunca antes em terra batida. Ambas sorriram ao francês e ambas têm história. A primeira aconteceu em Londres, no torneio olímpico de ténis, que o francês acabou por ganhar ao fim de 3:57 minutos (6-3, 3-6, 25-23). Só o terceiro set durou três horas, um recorde absoluto das olímpiadas para o set mais longo de sempre, uma verdadeira maratona em forma de quarenta e oito jogos.

O segundo confronto deu-se na época passada, no Masters de Indian Wells, que Tsonga venceu, também por dois a um (4-6, 7-5, 6-4). Desta vez a peripécia deveu-se à falha do marcador eletrónico, inclusive do sistema “olho de falcão”, razão pela qual Milos Raonic não se apercebeu que, ao fazer uma dupla falta no serviço tinha perdido a partida. Teve que ser o árbitro de cadeira a dar-lhe a má notícia.

A Bet365 oferece-lhe 50€ de bónus para apostar neste jogo: http://bitly.com/50eurbonus

Prognóstico Odd Casa Erro
Vitória de Jo-Wilfried Tsonga por 2-1 3.75 Bet365
Milos Raonic
Milos Raonic
  • País: Canadá
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Tsonga
Jo-Wilfried Tsonga
  • País: França
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 1821
  • Média Odds usadas 2.21
  • Próg. certos 764
  • Próg. errados 1034
comments powered by Disqus

Últimos jogos