Menu
Premier League 27ª Jornada

Manchester United – Arsenal (Premier League)

O Manchester United recebe o grande rival de Londres no próximo domingo, depois de uma noite europeia absolutamente épica. É certo que foi na Liga Europa e contra o Midtjylland mas a força de um miúdo de dezoito anos, que se estreava na equipa principal por acidente, contagiou o resto da equipa e levou à goleada. O Arsenal não teve a mesma sorte, mas neste caso o adversário foi o Barcelona. A primeira parte até esteve equilibrada. Mas quando quis o Barça meteu a última velocidade. Os Gunners tentaram muito mas com pouco critério.

Não mudou nada em Old Trafford. O treinador continua o mesmo, a razia de lesões continua a fazer mossa, mas aposto que o ambiente no regresso aos trabalhos, para preparar o duelo com os Gunners foi feito num espírito que há muito não se sentia por aqueles lados. O Manchester United teve uma noite histórica, não é exagero afirmá-lo. Eu sei que o adversário não era um dos colossos do futebol europeu e que a Liga Europa não suscita o mesmo tipo de entusiasmo que a sua congénere mais elitista. O Midtjylland vinha a Manchester com vantagem da primeira mão, que venceu por 2-1. E logo mostrou que vinha ao mesmo, não se intimidando com o palco onde atuava. Pione Sisto, que já tinha dado nas vista no primeiro jogo, abriu o marcador antes da meia-hora de jogo. De repente estava-se na expetativa de um desastre de proporções alarmantes. Mas Bodurov acalmou a histeria, mascando quase de seguida, na própria baliza. A segunda permaneceu incerta. O United tinha mais iniciativa, tinha que o fazer porque estava a perder na eliminatória, mas a equipa dinamarquesa aguentava-se bem. Foi preciso entrar em jogo o jocker do United. Marcus Rashford só entrou em campo na quinta-feira porque Anthony Martial se magoou no aquecimento. Aos dezoito anos o avançado da equipa de reservas estreava-se com a camisola da primeira equipa e logo numa partida a eliminar. Em nove minutos fez dois golos, virou a eliminatória e contagiou os companheiros. Rashford, que até está mais habituado a funcionar como segundo avançado, foi agressivo, oportuno e tremendamente eficiente. Foi a estrela maior da noite e empurrou o resto da equipa para a frente. Se o United se apurou para os oitavos – onde já se sabe que irá defrontar o Liverpool – e fechou com goleada (5-1) deve-o a ele. Mas aqui sinto a obrigação de referir também a exibição de Joe Riley, na lateral esquerda. Marcos Rojo, que o viria a substituir na fase final do encontro, até exagerou nas subidas à linha. Devia estar a pensar que tinha que mostrar serviço ou não entrava no onze tão cedo.

São sete os lesionados – Shaw, Young, Jones, Schweinsteiger, Rooney, Fellaini e Will Keane – mas De Gea, Smalling, Darmian, Martial e Borthwick-Jackson ainda suscitam dúvidas.

Onze Provável: Romero – Varela, Smalling, Blind, Riley – Herrera, Schneiderlin – Lingard, Mata, Memphis – Rashford.

premier leagueO Arsenal não teve a mesma sorte na noite europeia. Sim, desta vez era Liga dos Campeões e o adversário era o Barcelona. Por sinal, o desfecho foi o esperado mas a forma como aconteceu foi menos evidente. Na primeira parte as duas equipas estiveram até bastante equilibradas em campo. Mas no segundo tempo os Culé meteram outra intensidade na partida e a diferença de valor entre as equipas começou a aparecer. Messi fez claramente a diferença e mais uma vez os golos do Barcelona devia fazer parte de um qualquer workshop. Quase de certeza que há no portfolio um exemplo para todas as jogadas ideais de finalização. Como se faz um contra-ataque para garantir o máximo de eficácia, como todas as peças se movem com um desenho quase de manual, como entregar os talentos individuais a favor do sucesso coletivo. O Arsenal foi aquilo em que é imbatível: sabotar-se a si mesmo. Desperdiçar as oportunidades de golo criadas nesta fase da prova milionária é desconcertante. Fazê-lo diante do Barcelona, que nem costuma dar tantas abertas, é suicídio.

Wilshere, Rosicky, Cazorla e Oxlade-Chaberlain são os indisponíveis. Gabriel Paulista ainda está em dúvida.

Onze Provável: Cech – Bellerín, Mertesacker, Koscielny, Monreal – Coquelin, Ramsey – Walcott, Ozil, Alexis Sánchez – Giroud.

Arsenal 3-0 Manchester United Premier League 2015/16
Manchester United 1-1 Arsenal Premier League 2014/15
Manchester United 1-2 Arsenal Taça de Inglaterra 14/15
Arsenal 1-2 Manchester United Premier League 2014/15

O Arsenal venceu o jogo da primeira volta do campeonato, no Emirates. Os Gunners está no terceiro lugar da Liga, com cinquenta e um pontos, os mesmos do Tottenham e quatro a mais que o City. Já o United está na quinta posição e também está cercado. Southampton e West Ham têm só um ponto a menos. Em caso de derrota pode cair dos lugares europeus.

Prognóstico Odd Casa Sucesso
Ambas as Equipas Marcam 2.00 Betrally
manchesterunited
Manchester United
  • País: Inglaterra
  • Estádio: Old Trafford
  • Cidade: Manchester
  • Fundação: 1878

Ver ficha completa

arsenal
Arsenal
  • País: Inglaterra
  • Estádio: Emirates
  • Cidade: Londres
  • Fundação: 1886

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 1899
  • Média Odds usadas 2.21
  • Próg. certos 797
  • Próg. errados 1075
comments powered by Disqus

Últimos jogos