O campeão em título da Premier League está perto de ver o seu reinado terminar. O Chelsea, de José Mourinho, é o principal favorito à conquista do campeonato, mas há mais equipas à espreita.

Desperdício

Em Janeiro, Manchester City e Chelsea partilhavam a liderança com 46 pontos, no final da 20ª jornada.

Na jornada seguinte, o City, de Manuel Pellegrini, deslizou perante o Everton, e o Chelsea aproveitou para se distanciar. 49 pontos para o clube londrino e 47 para os citizens. Logo atrás vinha o Southampton, de Ronald Koeman e José Fonte, com 39 pontos. O Chelsea conseguiu superar-se depois de uma derrota pesada no terreno do Tottenham, por 5-3, mas o contrário não aconteceu com o Manchester City que, desde então, não conseguiu recuperar a desvantagem pontual.

Chelsea 1 - 1 Manchester City 2015

No início do ano, em Janeiro, o Manchester City e Chelsea partilhavam o comando da Premier League e o City foi empatar a Stamford Bridge a 1 golo

Passados três meses, encontramos um cenário completamente diferente. Os blues de Mourinho são líderes com 70 pontos, mais 7 que Arsenal, 8 que Manchester United, 9 que Manchester City, 16 que Liverpool e Tottenham e 17 que Southampton.

No futebol é fácil passar de bestial a besta em pouco tempo. O que hoje é verdade, amanhã é mentira. Mas a realidade é que o Chelsea está bem encaminhado para levantar o troféu, depois de já o ter feito com a Capital One Cup, batendo o Tottenham, na final, por 2-0.

José Mourinho soma 21 vitórias, 7 empates e 2 derrotas, com 63 golos marcados e 26 sofridos. Nem o afastamento prematuro do Chelsea na Liga dos Campeões, frente ao PSG, nos oitavos-de-final, abanou a confiança da equipa. Por outro lado, o Manchester City tem somado erros atrás de erros e vê a revalidação do título como uma realidade cada vez mais distante.

O Chelsea tem neste momento menos 1 jogo que os rivais Arsenal e Manchester United, podendo desta forma aumentar a vantagem para 10 e 11 pontos, respectivamente. Faltam 8 jornadas para a equipa de Mourinho confirmar as previsões do início da temporada e sagrar-se campeã mas o Arsenal e United prometem não dar descanso até ao fim.

Insucesso

São várias as razões para o insucesso do Manchester City esta temporada.

Começamos por identificar os fracassos esta época.

A temporada 2014/2015 começou com a derrota frente ao Arsenal, por 3-0, na Supertaça Inglesa. Seguiu-se a eliminação da Capital One Cup, em casa, frente ao Newcastle, derrota por 2-0. O mesmo resultado serviu para eliminar a equipa da FA Cup, em casa, frente ao Middlesbrough, do segundo escalão inglês.

Se estas não fossem razões suficientes, temos ainda a eliminação da Liga dos Campeões, nos 16 avos-de-final. O City caiu, uma vez mais, aos pés do Barcelona. Os espanhóis bateram os ingleses por 3-1, no conjunto das duas mãos. Mais uma época em que o Manchester City não conseguiu consolidar a sua posição junto das melhores equipas europeias da actualidade.

Do ponto de vista da Premier League, o bicampeonato passou a ser uma miragem, depois de 7 empates e 6 derrotas que atiram a equipa de Pellegrini para o 4º lugar.

Crystal Palace 2 - 1 Manchester City 2015

No último fim-de-semana, o Manchester City foi perder 2 a 1 com o Crystal Palace, e o título está cada vez mais distante

A derrota este fim-de-semana, por 2-1, em casa do Crystal Palace, colocou a equipa numa posição que desconhece desde 2010/2011. Apesar de matematicamente ser possível alcançar o título, poucos acreditam que isso venha acontecer.

É necessário apontar à nova temporada e começar a repensar nos erros que ocorreram.

O dono do City, Khaldoon Al Mubarak, tem uma grande decisão em mãos no final da temporada, saber se deve reconduzir Manuel Pellegrini no comando do clube ou iniciar um novo ciclo. Muito depende do final da temporada que os citizens protagonizarem mas, a verdade, é que o técnico chileno conquistou um campeonato, uma Capital One Cup e liderou o City aos 16 avos-de-final, pela primeira vez na história do clube. Pellegrini goza de um certo estatuto dentro do clube por aquilo que conquistou, mas o oxigénio pode terminar, aliado ao facto de Guardiola, Ancelotti, Simeone, Rodgers, Klopp e Benítez serem opções válidas para o futuro do clube.

Na defesa, Joe Hart tem estado a realizar uma excelente temporada, apesar de umas dúvidas que persistem na qualidade do guarda-redes inglês nas bolas áreas, o mesmo não se pode dizer do quarteto defensivo. Na direita, Zabaleta apresenta problemas disciplinares nos jogos Europeus e Sagna não é uma opção de futuro. Na esquerda, Clichy e Kolarov apresentam lacunas nos processos defensivos. No eixo os problemas são ainda maiores. Mangala não tem convencido e muito se tem questionado sobre o real valor do ex-central do Porto, com os adeptos a criticarem o dinheiro gasto no francês. Kompany não tem estado a um grande nível e isso acaba por se reflectir no resto da época, dado o seu estatuto de capitão. Apenas Demichelis com 34 anos, apresenta-se a um bom nível.

No meio-campo, a dinâmica gira em torno de Yaya Touré cujo futuro é indefinido. Fernando tem sentido dificuldades na adaptação, sobrando Fernandinho, uma vez que Milner não conta para Pellegrini neste sector.

No sector ofensivo, Nasri e Navas não têm acompanhado o ritmo e o nível de David Silva. Agüero luta sozinho face ao seu talento natural com Bony, Dzeko e Jovetic com muitas dificuldades para acompanhar o argentino.

São muitas incertezas para um clube que se afigura como principal favorito à conquista de todas as provas em que participa. O Verão de 2015 promete aquecer o ambiente no Etihad Stadium.

Boas Apostas!