Seguir a Liga Inglesa nunca defrauda. A jornada vinte e oito do campeonato inglês foi cheia de emoção e reviravoltas. As coisas não podiam estar mais renhidas nem ser mais inesperadas no topo da tabela. O líder Leicester começou por tropeçar na terça-feira mas no fim da contas acabou até por ganhar um ponto aos concorrentes diretos – Tottenham e Arsenal – que perderam os respetivos jogos. Os triunfos de United e West Ham colam os dois clubes ao City. E no fim de semana há dérbi em Londres: os Spurs recebem os Gunners.

Leicester ganha ponto a adversários diretos

Na terça-feira a equipa de Claudio Ranieri recebeu no King Power Stadium o West Brom e não foi além de um empate (2-2). Temeu-se que, finalmente, o Leicester perdesse o primeiro lugar com este percalço. Afinal o Tottenham estava dois pontos atrás. Mas quando a jornada fechou, na noite seguinte, verificamos que, afinal, o pódio da Liga Inglesa se mantém inalterado. Não só o Leicester City não foi arredado da liderança como ainda ganhou terreno aos adversários diretos. E na próxima jornada há um dérbi de Londres em White Hart Lane.

Os Spurs de Mauricio Pochettino foram a Upton Park e não conseguiram anular o golo madrugador de Michaeil Antonio, que viria a valer os três pontos para o West Ham (1-0). Já o Arsenal recebia no Emirates o Swansea, que esta temporada luta pela manutenção, e acabou derrotado (1-2). Os Gunners até marcaram primeiro mas permitiram que os galeses virassem o resultado. Assim sendo, os Foxes ficam com uma margem de três pontos sobre o Tottenham e seis sobre o Arsenal.

Wenger tem prazo de validade?

Wenger tem prazo de validade?

Wenger tem prazo de validade?

A derrota do Arsenal foi a mais estrondosa. Jogava em casa, tinha muito a ganhar com os três pontos e o opositor está longe de ser a equipa dura de bater das últimas temporadas. Se fosse uma situação isolada até poderia passar. Mas os Gunners são especialistas em desfazer expetativas. Com United, Chelsea e até o City a passar por temporadas complicadas, a equipa de Arsène Wenger tinha tudo para aproveitar o seu lugar ao sol. E mesmo sem a oposição dos pesos pesados, candidatos crónicos ao título, o clube londrino continua a falhar em toda a linha. No final do encontro de quarta-feira os protestos eram muitos e vinham de todos os lados. Os comentadores assinalavam a falta de garra, de determinação da equipa e até jogadores como Alexis Sánchez lamentavam que este plantel não tivesse a ambição e fome de vencer. Só o treinador francês parece acomodado com a situação. As declarações dele foram no sentido de assumir que realisticamente as hipóteses de se sagrarem campeões começavam a fugir da mão. E de se justificar quanto à substituição de Joe Campbell, o marcador do único golo, por Welbeck. São reações de quem não está a registar o panorama geral.

É uma discussão que se repete há muitos anos em Inglaterra. Normalmente começa pela altura do Natal, quando o Arsenal acusa a pressão e falha diante dos outros grandes. É altura de Wenger dar lugar a outro. São dezassete anos, rios de dinheiro disponíveis e muito pouco retorno para toda a confiança depositada.

Liverpool vinga a derrota na Taça

Na quarta-feira o Liverpool vingou, em Anfield, a derrota imposta pelo Manchester Cuty na final da Capital One Cup, no passado domingo (3-0). Jurgen Klopp falou da importância de uma reação e ela não se fez esperar. Perder em Wembley nos penáltis custa muito e era essencial para o crescimento da equipa e de muitos destes jogadores que os Reds fossem capazes de voltar à luta. Por contraponto, as energias dos City parecem ter sido todas gastas nesse esforço de conquistar o troféu e regressaram à apatia anterior. Com este desaire perdem ainda mais terreno para o top-3 e sofrem a pressão de Red Devils e Hammers.

United e West Ham colam ao City

Slaven Bilic não deixou os seus créditos por mãos alheias. O treinador sérvio conseguiu transmitir logo na temporada de estreia em Upton Park uma nova personalidade à equipa e o sexto lugar no campeonato não é obra do acaso. O West Ham joga bem, é aguerrido e muito consistente. Ninguém ficou surpreendido por ter roubado pontos aos Spurs, que também estão a fazer uma época brilhante. O Manchester United sofreu para levar de vencido o Watford (1-0), é certo. Depois do impulso dos dois jogos anteriores, que Marcus Rashford decidiu, e já com Martial no onze, os Red Devils só a sete minutos do fim conseguiram furar as redes adversárias. Mas estes três pontos são importantíssimos. Ficam em quinto lugar mas em igualdade pontual com os azuis de Manchester.

Os lugares europeus da Liga Inglesa estão ao rubro e as trocas e baldrocas da jornada vinte e oito só vieram acrescentar incerteza. O Tottenham recebe o Arsenal em White Hart Lane, no próximo sábado. O que vai certamente afetar as contas do título, mais uma vez.