Menu

Islândia – Hungria (Euro 2016)

O empate da Islândia com Portugal correu o mundo e abafou um dado tão ou mais significativo. Com pezinhos de lá, sem ninguém dar por ela, a seleção húngara ocupou o primeiro lugar. Se os homens de Bernd Storck conseguirem manter a concentração podem ser mesmo a primeira equipa do Grupo F a garantir a passagem aos oitavos de final do Euro 2016. Quem diria?

O empate de Islândia frente a Portugal (1-1) encheu as primeiras páginas em todo o mundo. E é justo que assim seja. A pequena nação nórdica chega pela primeira vez na sua história a uma fase final de um Europeu e logo a abrir bate o pé a uma seleção que era apontada como clara favorita. Claro que o mau perder de Cristiano Ronaldo só inflamaram ainda mais o espaço mediático. E os jogadores e equipa técnica islandeses aproveitaram os holofotes. Mas um empate é só um ponto, mesmo contra o adversário mais competitivo do Grupo, e rapidamente a Islândia tem que voltar a assentar a cabeça. A não ser que fique satisfeita só com o brilharete inicial, o que não me parece. É que ao lado os magiares surpreendiam os austríacos e surpreendentemente saltaram para o primeiro lugar do grupo F. São, à entrada para a segunda jornada, os únicos deste agrupamento já com três pontos no bolso e isso faz uma grande diferença. Ambas as seleções receberam uma injeção tremenda de confiança no jogo de estreia. Mas graças a esses três pontos a almofada da Hungria deixa-os numa posição bem mais relaxada.

A meio da primeira parte Portugal parecia estar a dominar a partida, depois de uma entrada algo nervosa, e o golo de Nani veio sublinhar isso mesmo. Mas a vantagem no marcador passou para a equipa portuguesa a ideia de que estava tudo encaminhado e a descompressão foi talvez demasiada. Do outro lado, o estarem a perder só os libertou. Aos cinco minutos do segundo tempo Birkir Bjarnason aproveitar um erro de marcação na defesa portuguesa – não de Vieirinha mas de Pepe, que andou completamente aos papéis – para loucura dos ruidosos islandeses nas bancadas.

A Islândia precisou de apenas quatro remates à baliza para marcar um golo, um aviso à navegação para os húngaros. Como seria de esperar dominou por completo o espaço aéreo mas também esteve melhor nas bolas divididas pelo chão. Não têm receio do contacto físico – mais uma influência do andebol – e insistem até ao fim. No entanto, suspeito que estas características não lhes vão dar tanto ascendente sobre a Hungria.

Onze Provável: Halldórsson – Saevarsson, Arnason, Sigurdsson, Skúlason – Gudmundsson, Gylfi Sigurdsson, Gunnarsson, Bjarnason – Sigthórsson, Bodvarsson.

euro 2016Chega a ser injusto porque o triunfo da Hungria no jogo de estreia não teve a projeção que merecia. Afinal, a Áustria chegava como uma das sensações do apuramento – venceu o grupo onde estavam também Rússia e Suécia, sem derrotas (9V/ 1E) – e a maioria esperava que, tanto como Portugal, tivesse passagem à fase seguinte sem grandes apertos. Do outro lado estava a Hungria, que há mais de quatro décadas não conseguia entrada para um Europeu e cujo apuramento foi garantido in extremis. Foi um dos terceiros lugares repescados – ficou atrás de Irlanda do Norte e Roménia – e bateu a Noruega no play-off.

Mas, com pezinhos de lá e sem que ninguém desse nada por ela, a seleção húngara fez história. Quarenta e quatro anos depois da última participação, em 72, vencia uma partida num Europeu. O golo de Ádám Szalai, aos sessenta e dois minutos, foi em explosão de alegria e um momento coletivo de grande emoção. Esta seleção não representa qualquer tipo de renascimento do futebol húngaro. Não há aqui grandes figuras, só um conjunto unido e trabalhador, bem orientada por um selecionador bem consciente das limitações do plantel. Zoltán Stieber saltou do banco para render a jovem promessa, Lázló Kleinheisler, e matou o encontro a três minutos do fim.

Agora a Hungria está a uma vitória de garantir já a passagem aos oitavos de final do Euro 2016. E tem a vantagem anímica de poder subir ao relvado sem qualquer pressão ou ansiedade. Um ponto, provavelmente, será suficiente.

Onze Provável: Kiraly – Fiola, Lang, Guzmics, Kadar – Gera – Dzsudzák, Kleinheisler, Nagy, Németh – Szalai.

Hungria
4-0
Islândia
Amigáveis 2011
Islândia
2-3
Hungria
Mundial 2006 (Q)
Hungria
3-2
Islândia
Mundial 2006 (Q)

A Hungria venceu os últimos cinco confrontos com a Islândia, o mais recente dos quais um amigável, em 2011.

Prognóstico Odd Casa Sucesso
Ambas Equipas Marcam 2.20 Betrally
Islândia
Islândia
  • País: Islândia
  • Estádio:
  • Cidade: Reykjavík
  • Fundação: 1947

Ver ficha completa

Hungria
Hungria
  • País: Hungria
  • Estádio:
  • Cidade: Budapeste
  • Fundação: 1901

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 2085
  • Média Odds usadas 2.2
  • Próg. certos 880
  • Próg. errados 1180
comments powered by Disqus

Últimos jogos

O jogo a dinheiro real só é permitido a pessoas com mais de 18 anos de idade. Seja responsável e jogue com moderação. Neste site promovemos o jogo como uma actividade de entretenimento. É extremamente importante que jogue de uma forma responsável. Saiba mais na página jogo responsável.