Menu

Islândia – Áustria (Euro 2016)

Parece que vai mesmo ser precisa a calculadora para fazer as contas finais do Grupo F. Para a Áustria não há alternativa: só a vitória lhe dá hipóteses de apuramento. No caso da Islândia as ramificações são maiores. Os três pontos garantem a passagem aos oitavos de forma automática, independentemente do que aconteça no outro jogo grupo. Mas um empate pode ser suficiente, com vários cenários possíveis. Pelo sim, pelo não, é melhor entrar para vencer. Algo que a Islândia ainda não provou ser capaz de fazer.

As decisões do Grupo vão ser só na última e tudo indica que Portugal contagiou a concorrência. O mais provável é que estejam todos agarrados à calculadora. Se à partida para o Europeu dissessem à Islândia – a mais pequena nação presente em França e que faz aqui a sua estreia absoluta na competição – que iria para o último jogo da fase de grupos com a possibilidade de ainda vencer o grupo, assinava em branco.

Os islandeses saltaram para os cabeçalhos com a imposição de uma igualdade a Portugal, no jogo inaugural. Foi um banho gelado para nós, portugueses, mas o segundo da Islândia provou que não aconteceu por acaso. A seleção nórdica conhece as suas fraquezas e trabalhou intensamente as suas forças. Muito sólida e compenetrada a defender, aguarda a oportunidade para contra-atacar, deixando sempre o adversário desconfortável quando destapa a retaguarda. Conseguiu contrariar de forma muito eficaz as muitas e variadas tentativas dos lusos para romper a barreira e diante da Hungria foi ainda mais fácil, já que não havia tantas trocas e movimentação no setor ofensivo. O segundo embate da Islândia foi decidido pelos erros defensivos de parte a parte. Kiraly fazendo o penálti que Gylfi Sigurdsson não desperdiçou; Birkir Saevason marcando na própria baliza na altura em que os húngaros exerciam maior pressão.

Finnbogason cumpre castigo depois de ter visto o segundo amarelo. É a única baixa no plantel nórdico.

Onze Provável: Halldorsson – Saevarsson, Arnason, Sigurdsson, Skúlason – Gudmundsson, Gylfi Sigurdsson, Gunnarsson, Bjarnason – Sigthórsson, Bodvarsson.

euro 2016Ao contrário da Islândia, a Áustria tem ficado aquém do esperado. Mas só porque as expetativas criadas foram empoladas, por assim dizer. A qualificação deixou uma imagem que a seleção orientada por Marcel Koller não tem conseguido igualar. Muitas críticas são dirigidas a David Alaba. É certo que o homem do Bayern de Munique não tem brilhado mas continua a ser, de longe, o melhor jogador desta equipa, seja em que posição o ponham a jogar. O problema começa aí. A versatilidade é, em abstrato, uma coisa boa, mas acaba muitas vezes por se virar contra quem o é. Porque se exige que o que cumpre várias funções o faça, em todas elas, a um nível de excelência e isso é impraticável. A segunda questão é que o futebol se joga em equipa de onze e não há elemento, por melhor que seja, que possa substituir o coletivo. Resolver uma jogo pontual, com certeza. Ser determinante ao longo de uma fase de qualificação, também. Mas isto é diferente. No espaço de dez dias, com a pressão de todos os resultados, todos os golos que entram ou não, contarem, é muito duro.

Portugal dominou o jogo desde o início e os austríacos fizeram o seu papel. As muitas combinações e lances ofensivos da equipa das quinas simplesmente não cruzaram a linha de baliza. Aquilo que não foi ao lado ou ao poste, Almer defendeu. E assim os austríacos chegam ainda vivos a este último compromisso.

Alaba foi substituído na segunda parte, tocado. Janko não foi sequer a jogo com Portugal, também ele tocado, Ambos continuam em dúvida para este encontro embora o primeiro só não jogue por motivo de força maior.

Onze Provável: Almer – Klein, Dragovic, Hinteregger, Fuchs – Baumgartlinger, Ilsanker – Sabitzer, Schopf, Arnautovic – Harnik.

Áustria
1-1
IslândiaIslândia
Amigáveis 2014
Áustria
2-1
IslândiaIslândia
Mundial 90 (Q)
Islândia
0-0
ÁustriaÁustria
Mundial 90 (Q)

Para a Áustria só a vitória interessa e depois logo se vê. Um triunfo carimba a passagem da Islândia, sem mais considerações. Dependendo do que aconteça no outro jogo do Grupo F pode até dar o primeiro lugar. Se se mantiver a tendência dos empates a coisa complica bastante. Húngaros ficam com o primeiro lugar e austríacos vão para casa. Islândia e Portugal decidem entre si o segundo e terceiro lugar, com base na diferença de golos. Um ficaria com a qualificação automática, o outro sujeito à repescagem dos melhores terceiros classificados. O terceiro do Grupo F pode beneficiar do resultado entre Alemanha e Irlanda do Norte, se os germânicos ganharem o jogo por mais de dois golos. Sim, eu sei, contas a mais. É muito mais simples vencer o jogo.

Prognóstico Odd Casa Sucesso
Ambas Equipas Marcam 2.20 Betrally
Islândia
Islândia
  • País: Islândia
  • Estádio:
  • Cidade: Reykjavík
  • Fundação: 1947

Ver ficha completa

Austria
Áustria
  • País: Áustria
  • Estádio:
  • Cidade: Viena
  • Fundação: 1904

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 2059
  • Média Odds usadas 2.2
  • Próg. certos 872
  • Próg. errados 1162
comments powered by Disqus

Últimos jogos

O jogo a dinheiro real só é permitido a pessoas com mais de 18 anos de idade. Seja responsável e jogue com moderação. Neste site promovemos o jogo como uma actividade de entretenimento. É extremamente importante que jogue de uma forma responsável. Saiba mais na página jogo responsável.