A Premier League é conhecida por ser das Ligas mais equilibradas da Europa, com vários candidatos a alcançarem o título. O início da temporada pode ser um dos momentos da verdade, já que uma equipa que perca pontos nas jornadas iniciais carrega o ónus da recuperação por todo o campeonato. Para além do mais, a variedade de candidatos não garante nunca que alguém possa sentir-se acomodado com a sua posição. Tudo isto são verdades que poderão ser comprovadas por exemplos de anos anteriores. Na jornada um da época 2014/15, treinadores e jogadores saberão que na Premier League, é sempre tudo ou nada.

Manchester United dá pontapé de saída

Louis_van_Gaal

van Gaal reconhece os cantos à sua nova casa

Curioso assinalar que serão os Red Devils quem dará o pontapé-de-saída na edição deste ano da Premier League. A equipa terá feito a contratação técnica de maior estrondo na Europa, este ano, trazendo Louis Van Gaal para as Ilhas Britânicas, e ainda mantém o seu plantel sob o signo da reconstrução. Para a forma como o técnico holandês pretende arrumar a casa, a ausência das competições europeias até pode soar favorável. No entanto, com o olhar no mercado quando a competição está prestes a começar, os Red Devils deverão ter em conta que há quem tente aproveitar o momento para lhes roubar pontos. Será isso mesmo que poderá acontecer com o Swansea City. A equipa galesa já não terá a mesma capa romântica que transportou nos seus primeiros anos na Premier League, mas voltou a saber reforçar-se bem, sobretudo com as chegadas de Jeferson Montero e Gomis.

Também no sábado, o Arsenal entra na Premier League recebendo o Crystal Palace. É o autêntico dérbi entre o londrino rico e o londrino pobre. Os Gunners “cheiram” nova oportunidade de se atirar a um título e a exibição conseguida no Community Shield aumentou, e de que maneira, o entusiasmo em volta desta equipa. O grande desafio de Arsène Wenger é combater a falta de consistência da sua equipa ao longo de uma temporada completa. Nos últimos dois anos, o treinador francês tem tido oportunidade de se reforçar de forma mais competitiva, mas nem sempre isso parece o suficiente para fazer diferença. Para o Crystal Palace, fazer uma temporada completa com Tony Pulis será uma oportunidade de entender até onde conseguem crescer. O técnico salvou as águias no ano passado e apresenta como objetivo repetir em Londres o que fez em Stoke. Ambicioso.

Domingo de novidades

Ryan Bertrand

Bertrand com a nova camisola

No domingo, entra em campo uma das equipas que mais mudou de face durante este verão. O Southampton será orientado por Ronald Koeman, aumentando assim o perfume do país das túlipas na Premier League. Koeman será dos mais pragmáticos dos técnicos holandeses e perante um plantel que perdeu parte das suas estrelas, vai continuando a acreditar que alguns reforços sonantes possam chegar. Frasier Forster, Ryan Bertrand, Graziano Pellè e Shane Long são os jogadores que esperam fazer a diferença.

Entre os nomes fortes a entrar em campo no domingo, o Liverpool sem Luis Suárez é aquele que mais curiosidade alimenta. Com Lallana, Lambert e Lazar Markovic a poderem ajudar no momento ofensivo da equipa de Brendan Rodgers, o mais provável será ver o técnico manter-se por terrenos conhecidos e colocar P. Coutinho a alimentar Sturridge e Sterling, nomes que ganharam ainda mais reconhecimento ao representarem a Inglaterra no Mundial.

O Chelsea, de José Mourinho, só entrará em campo na segunda-feira, e logo frente ao recém-ascendido Burnley. Para a equipa do técnico português, é uma oportunidade de defrontar uma adversário que chega a um mundo totalmente novo. No Burnley, a generalidade dos jogadores tem pouca ou nenhuma experiência de mais alto nível e, com um onze afinado ao máximo, Mourinho quer começar, sem dúvidas, a ganhar.