E no espaço de 4 dias a história repetiu-se.

A meio da semana que passou, o SL Benfica recebeu o Vitória Setúbal, no Estádio da Luz, em jogo das meias-finais da Taça da Liga, e venceu por 3 a 0. Ontem, o mesmo SL Benfica voltou a receber no mesmo Estádio da Luz o mesmo Vitória Setúbal, em jogo do campeonato da Primeira Liga, e voltou a vencer por 3 a 0. Claro que nem a equipa do SL Benfica e do Vitória Setúbal foram exactamente as mesmas, houve ligeiras nuances, de um lado e de outro mas, no essencial, a coisa manteve-se.

Se a vitória no primeiro confronto permitiu ao SL Benfica ser o primeiro finalista da edição 2014/2015 da Taça da Liga, já esta segunda vitória permitiu recuperar a distância, 4 pontos, a que mantém o FC Porto, principal adversário na corrida para o título de campeão nacional, e alargar para 9 pontos a distância para com o rival da Segunda Circular que há uma semana poderia vir a disputar taco-a-taco a liderança da Liga com SL Benfica e FC Porto, e agora parece irremediavelmente arredado da corrida ao título. E parece porque, no futebol, muita coisa acontece ou pode vir a acontecer, que pode virar tudo de pernas para o ar.

O FC Porto venceu, pela margem mínina e com esforço mínimo, o outro Vitória, o de Guimarães, e mantém-se pressionante sobre o SL Benfica, para além de ter colocado a equipa de Guimarães, agora já, um tanto distante da luta pelo acesso indirecto à Liga dos Campeões, onde, para já, a disputa se vai travar entre o Sporting CP e o SC Braga.

Os Golos em Samba na Luz

Ontem, no Estádio da Luz, assistiu-se também, e no meio daquela vitória, ao saudado regresso aos golos do avançado brasileiro, Lima. Aliás, ontem foi tarde de regressos e, como é Carnaval, em jeito de samba. Aos 2 golos de Lima, acrescenta-se o golo de Jardel, ele que tinha dado o empate ao SL Benfica ao cair do pano no jogo anterior da Primeira Liga, contra o Sporting CP, voltou a marcar, desta vez ao Vitória Setúbal, levando 2 jogos seguidos na Liga a marcar.

Lima que tem andado desesperadamente longe das redes, matou saudades. 2 golos ao Vitória Setúbal, mesmo tendo em conta que a seu lado estava Jonas, o outro avançado brasileiro que tem a impetuosa mania de ir marcando um golo por jogo, mas que desta vez ficou em branco.

Lima

Depois de tanta insistência, Lima voltou aos golos e em dose dupla

Jorge Jesus aproveitou o jogo estar a correr bem para avançar com outras surpresas. Pizzi iniciou o jogo, substituindo o jovem brasileiro Talisca, que entraria na segunda parte, substituindo, precisamente, Pizzi, que fez uma grande partida e cada vez mais se afigura como dono e senhor daquela parcela de terreno que já foi de Enzo Pérez. Foi, aliás, dos seus pés que nasceu o passe para o golo inaugural do SL Benfica, marcado por Jardel, logo aos 9′.

Mas ontem também foi dia para o regresso de Rúben Amorim aos jogos da Primeira Liga, vários meses depois da lesão, e depois de já ter jogado uns minutos a meio da semana, precisamente com o mesmo Vitória Setúbal. Também foi dia para Jorge Jesus dar mais tempo de jogo a Gonçalo Guedes, o novo menino bonito da Luz, ele que até tinha entrado de início no jogo da Taça da Liga com o mesmo Vitória Setúbal. Gonçalo Guedes vai acumulando minutos e assistências: quase sobre o pano final, Gonçalo Guedes mandou uma bola teleguiada para Sálvio que, por pouco, não marcou.

Outra das surpresa do jogo com o Vitória Setúbal foi a utilização de 4 portugueses na equipa do SL Benfica e que, por breves minutos, chegaram a estar todos juntos em campo: Eliseu, Pizzi, Rúben Amorim e Gonçalo Guedes. Jorge Jesus a mudar o paradigma.

Quanto ao Vitória Setúbal, que vinha numa trajectória ascendente desde a saída de Domingos Paciência, e desde que Bruno Ribeiro pegou na equipa, teve o azar de apanhar com o SL Benfica, por duas vezes na mesma semana, nesta altura do campeonato. Porque, de repente, este Vitória que vinha a dar cartas (ainda não tinha perdido sob o comando do novo treinador), pareceu demasiado tenrinha para um SL Benfica tão devorador. Se no jogo da Taça de pode pegar na expulsão, exagerada, de Advíncula, como factor de destabilização, ontem o Vitória não chegou nunca a encontrar-se a si próprio, e mesmo as alterações produzidas por Bruno Ribeiro não provocaram nenhuma melhoria.

Não estando a jogar aquele futebol bonito que marcou as equipas de Jesus no seu início no SL Benfica, a equipa está pragmática a jogar. Acima de tudo, a vitória. E é com isso em vista que os homens de encarnado entram em campo. Ontem não fugiu à regra. Sem fazer um grande jogo, o SL Benfica foi prático, concreto, incisivo e vitorioso.

O Carnaval em Penafiel

Mas nem só na Luz houve Carnaval. A maior de todas as festas deu-se em Penafiel, onde a equipa da casa, embora derrotada, vendeu cara essa derrota, perdendo por 3 a 4, frente ao Marítimo, num jogo louco, onde a equipa da casa começou a ganhar logo aos 4′, aumentou a vantagem aos 19′ e que, apartir daí, permitiu ao adversário marcar por 4 vezes e inverter o marcador, tendo assinado o terceiro golo já para além do tempo regulamentar. Este Penafiel não merece estar na posição que ocupa, sofrendo, também, com algum azar que lhe tem roubado os pontos necessários para fugir do sítio onde está. Pode ser que ganhe esperança com o Gil Vicente e se inspire.

Penafiel 3 - 4 Marítimo 2015

Um carnaval de golos foi o que passou por Penafiel, não foi suficiente para a equipa da casa, mas alegrou a tarde aos amantes de futebol

Em Braga, o Sporting local ganhou por 2 a 0 ao Arouca, com um golo a abrir o jogo e outro a fechar, tendo ainda a curiosidade de Éder ter voltado aos golos, ele que assinou o segundo do SC Braga, aos 80′. Com esta vitória, o SC Braga já está a 4 pontos do Sporting CP, prometendo uma bem renhida luta pelo acesso à Liga dos Campeões. Entretanto, o Vitória Guimarães, que perdera por 1 a 0, na Sexta-feira com o FC Porto, já está, também, à distância de 4 pontos do SC Braga, parecendo deixar, por momentos, a luta pela Liga dos Campeões.

Carnaval também é o que parece estar a acontecer em Barcelos. Desde o início do campeonato que o Gil Vicente tem estado em último lugar, parecendo já ter a sua sentença garantida de descida de divisão desde o início do campeonato, o que até motivou a chicotada psicológica com a substituição de treinador e, de repente, em dois jogos, o Gil Vicente passou de último classificado, para 15º, com 2 pontos acima da linha de água, e com boas perspectivas de se manter entre os grandes. Um verdadeiro Carnaval cheio de samba e alegria. Quando ninguém dava nada pela equipa.

O mesmo já não pode clamar a Académica que, após o seu 12º empate, e a descida abaixo da linha-de-água, rescindiu contrato com o seu treinador, Paulo Sérgio. O oponente foi o Boavista, de Petit que, ponto a ponto, vai amealhando a permanência. E se o Boavista vai batalhando pela permanencia, esta Académica vai desperdiçando as oportunidades que tem tido.

Por último, o último dos carnavais aterrou no Estádio do Restelo onde, tendo estado a perder quase até ao fim do encontro (com uma falha clamorosa de Rui Patrício), o Sporting CP lá conseguiu empatar o jogo. Desilusão nos jogadores do Belenenses, alegria imensa nos jogadores do Sporting CP que, após queixas de azar pelo golo tardio do SL Benfica no outro derby, viu a sorte sorrir-lhes com um golo tardio neste derby.

Mas ainda falta muito campeonato e outras festas.

Boas Apostas!