Nesta época em que termina a Semana Santa, nada mais apropriado do que dar destaque à salvação e ascensão. Sim, porque se nesta fase final dos campeonatos muito se fala dos aflitos, há também aqueles que se encaminham para um final feliz. A Galiza está prestes a festejar duplamente já que, ao que tudo indica, terá dois dos seus clubes históricos a disputar a Liga Espanhola no próximo ano. Celta de Vigo e Deportivo da Corunha, estes galegos são de primeira!

A resistência Celta e o fator Andaluzia

Com a vitória do fim de semana sobre o Almeria, um sério candidato à despromoção, o Celta praticamente assegurou a manutenção na Liga. Em teoria, os quarenta pontos conquistados devem ser suficientes. Mas Luis Enrique prefere não facilitar até ter o pássaro bem seguro nas mãos. “Lembro-me de duas temporadas em que se desceu com quarenta e dois. Creio que os quarenta serão suficientes, mas agora é preciso garantir a permanência de forma matemática e quando o conseguirmos podemos celebrar.” O resultado de 2-4 dá uma ideia de facilidade que não se refletiu em campo. A verdade é que o jogo foi bastante disputado, sobretudo na primeira parte. Mas as exibições de Nolito, Orellana e Krohn-Dehli inclinaram a balança para o lado dos galegos. O ex-benfiquista marcou dois golos e fez ainda a assistência para o terceiro, do brasileiro Charles. Aliás, o Celta fez, esta época, o que nenhuma equipa da primeira divisão espanhola tinha conseguido antes, vencer nas deslocações aos cinco emblemas andaluzes – Bétis (1-2), Málaga (0-5), Sevilha (0-1), Granada (1-2) e Almeria (2-4). Nem Barcelona, Real ou Atlético o conseguiram, o que já levou o treinador Luis Enrique, em jeito de brincadeira, a dizer que os ares da Andaluzia fazem milagres pelo Celta. Talvez fosse o caso de marcar umas férias para a região, ou fazer a pré-época por lá.

Faltam apenas quatro partidas para o fim da Liga Espanhola, e no horizonte dos homens de Vigo alinham-se Valladolid e Real Madrid, em Balaídos, Osasuna e Valência, fora de casa. Não será propriamente um calendário fácil, mas o Celta só precisa de amealhar quatro dos doze pontos em disputa.

A cadeira de sonho pode esperar?

O nome de Luis Enrique tem sido referido sempre que o Barcelona está no mercado, à procura de treinador. Foi assim no verão passado e agora tudo se repete, com a possibilidade de vir a substituir Tata Martino. Em Vigo já encaram isso com naturalidade. Com o passado que teve em Barcelona, aliado ao percurso enquanto técnico, Enrique será sempre mencionado quando se abrem estas bolsas de recrutamento. Mas o asturiano sente-se confortável no Celta e continua a dizer que os contratos são para cumprir. O dele estende-se até Junho de 2015 e é nesse pressuposto que o clube já está a preparar a temporada seguinte.

Já se vê a luz ao fundo do túnel

Luisinho Deportivo

Luisinho é peça fundamental no Depor

O Depor chega a este trecho final da Liga Adelante num excelente pico de forma. E estão a aproveitá-lo para alargar as distâncias para os outros candidatos à subida. Neste momento, os da Corunha lideram a segunda divisão espanhola, com sessenta e oito pontos, cinco acima do Eibar, e um registo de dezoito vitórias, nove empates e oito derrotas. Estão também há seis partidas sem saber o que é uma derrota e se no Domingo baterem o Ponferradina podem continuar em alta. Nestes seis jogos mais recentes, o Deportivo reencontrou a sua solidez defensiva – uma marca que evidenciaram ao longo da época – sofrendo apenas um golo, e mesmo assim de grande penalidade.

Esperam-nos sete desafios até ao fim do campeonato – Ponferradina, Lugo, Alavés, Eibar, Numancia, Real Jaén e Girona. Como aspeto positivo, estar na frente e, portanto, depender apenas de si para lá continuar. O mais complicado é ter que defrontar os segundos classificados e três emblemas que neste momento estão abaixo da linha de água. Há ainda quase dois meses de competição pela frente, mas o bom momento do Deportivo permite encarar o que falta com confiança. Isso e os nove pontos que os separam de Tenerife e Las Palmas. O regresso à primeira divisão espanhola, depois de um ano de ausência, está ao alcance da mão.

Boas Apostas!