Menu

Gael Monfils – Aleksandr Dolgopolov (ATP Masters Monte Carlo)

Frente a frente entre dois tenistas que nunca se deram particularmente bem no torneio monegasco. Monfils e Dolgopolov nunca foram além dos oitavos de final e as perspetivas não muito são favoráveis também desta vez. Mas para já há que tentar a passagem à próxima ronda, onde se podem cruzar com Roger Federer.

O homem elástico francês esteve menos espetacular do que o costume na sua estreia em Monte Carlo. Havia dúvidas quanto à sua condição física já que Gael Monfils teve que abandonar o encontro dos oitavos de final de Miami, com Tomas Berdych, a meio do segundo set, quando apoiou mal o pé. Pelo que se viu esta terça em court é possível que o décimo oitavo de ranking ainda esteja com algumas cautelas e não estique demasiado os seus golpes acrobáticos. Facto é que Monfils eliminou Alexey Kuznetsov (4-6, 6-3, 6-4) em quase duas horas de partida. O francês confessou-se aliviado com o desfecho, consciente de ter alternado bons momentos com outros bastante duvidosos, de que os trinta e nove erros não forçados são testemunha. A nota mais positiva é que demonstrou empenho e capacidade para recuperar de uma situação de desvantagem.

monte_carlo_300O ponto alto da temporada foi a final de Marseille, torneio que perdeu para o compatriota Gilles Simon (6-4, 1-6, 7-6) e onde, curiosamente, tinha ultrapassado Kutznesov na segunda ronda. Gael conta treze triunfos esta temporada e foi derrotado por quatro homens neste mesmo período. Tomas Berdych em dose dupla, em Roterdão (6-1, 6-4) e Miami; Jerzy Janowicz, na segunda ronda do Open da Austrália (6-4, 1-6, 6-7, 6-3, 6-3); Richard Gasquet, na meia-final de Montpellier (6-4, 6-3), e Simon em Marseille.

Aleksandr Dolgopolov também tem como melhor marca no Monte Carlo Rolex Masters a ronda de dezasseis e nas últimas duas edições tem ficado pela segunda ronda. O ucraniano tem vindo a melhorar a sua prestação em court desde o início do ano, que não foi particularmente animador. Em Melbourne foi afastado pelo italiano Paolo Lorenzi logo na ronda inaugural (6-4, 6-3, 6-2), o mesmo acontecendo em Memphis, dessa vez às mãos de Bernard Tomic (6-1, 7-5). Mas a partir de Acapulco, onde chegou aos quartos de final, travado por Kei Nishikori (6-4, 6-4), só perdeu para homens do top-10. Raonic afastou-o de Indian Wells (7-6, 6-4) e Djokovic em Miami (6-7, 7-5, 6-0).

À chegada a Monte Carlo esperava-se que Dolgopolov tivesse dificuldades em ultrapassar a jovem sensação do circuito, Borna Coric. Mas o tenista de dezanove anos esteve pouco feliz e nunca foi capaz de se encontrar com o seu melhor ténis. À inconsistência do croata, o experiente ucraniano respondeu com a sua habitual regularidade (7-5, 5-7, 6-2). Dolgopolov perdeu quase quarenta posições no ranking desde o início da temporada mas agora que pôs os pés na terra está apostado em recuperar algum desse prejuízo. O ucraniano recorreu a variações táticas e de ritmo e às pancadas com efeito para baralhar o adversário, com um ténis mais enquadrado aos pisos rápidos.

Monfils venceu os dois confrontos anteriores, ambos na época de 2013, em pisos sintéticos. Mas se não estiver fisicamente a cem por cento a balança pode inclinar a favor do motivado ucraniano.

2013 Winston Salem Monfils 2   7 6       MF
Dolgopolov 0 6 3      
2013 Open da Austrália Monfils 3   6 7 6 6   1R
Dolgopolov 1 7 6 3 3  

A Bet365 oferece-lhe 50€ de bónus para apostar neste jogo: http://bitly.com/50eurbonus

Prognóstico Odd Casa Erro
Total de Sets: Mais de 2.5 2.28 Bet365
Gael Monfils
Gaël Monfils
  • País: França
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

alexandr-dolgopolov
Aleksandr Dolgopolov
  • País: Ucrânia
  • Estádio:
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Justa Barbosa
Justa Barbosa
  • Próg. realizados 2085
  • Média Odds usadas 2.2
  • Próg. certos 880
  • Próg. errados 1180
comments powered by Disqus

Últimos jogos