Menu
Primeira Liga 10ª Jornada

FC Porto – SL Benfica (Liga NOS)

Clássico é, sempre, clássico, aumentando de temperatura quando FC Porto e SL Benfica se encontram nas primeiras posições. No entanto, os resultados de uma e outra equipa fazem com que este jogo seja de maior tranquilidade para as hostes encarnadas. O Benfica chega ao Estádio do Dragão com cinco pontos de avanço sobre os portistas e, depois de mais uma vitória na Liga dos Campeões, respiram saúde no plano do rendimento. A equipa de Nuno Espírito Santo também venceu no contexto europeu, aproximando-se do apuramento para os oitavos-de-final, ainda que no contexto nacional as suas opções e dores de crescimento associadas acabem por causar um percurso bem mais acidentado. Tendo isso em conta, é bom entender que um clássico é sempre um clássico (já o tínhamos dito?) e que quase sempre se trata de um jogo com pouco “antes” ou “depois”. No relvado, ambas as equipas jogam como se de uma final se tratasse.

Nuno Espírito Santo tem falado do processo de construção do jogador “à FC Porto” mas aquilo que se vai passando entre o Estádio do Dragão e o Centro de Treinos do Olival tem muito pouco de formação de jogadores. Bem pelo contrário. Como sempre foi apanágio do clube, e mais depois de três anos sem ser campeão, no Porto joga-se para ganhar e é a busca do resultado que estará no cume dos objetivos delineados pelos azuis e brancos. Na Liga NOS, a maioria dos jogos terminou com resultado favorável aos portistas, tendo apenas perdido numa ocasião, quando se deslocaram a Alvalade para defrontar o Sporting. Resultado aceitável, pelas circunstâncias das equipas e do jogo. De então para cá, e no que à Liga portuguesa diz respeito, empates em Tondela e Setúbal marcaram quatro pontos perdidos que poderiam significar uma realidade bem diferente na classificação. Em ambos os casos, a equipa presa de movimentos, reagindo também a momentos de proximidade com jogos da Liga dos Campeões onde a pressão dificilmente era calada. Aliás, a presença europeia vai sendo a prova mais afetada pelos problemas de construção do jogo da equipa (e não do jogador).

Um empate caseiro com o FC Copenhaga e uma derrota em Leicester deixa para as últimas duas jornadas todas as decisões. Antes de lá chegar, o Porto tem que resolver o problema Liga NOS. No papel, é fácil. Vencer para encurtar distâncias. No terreno de jogo, só o melhor Porto poderá sair da partida como vencedor.

Onze Provável: Casillas – Maxi Pereira, Felipe, Marcano, Alex Telles – Herrera, Danilo, Óliver Torres – Otávio – André Silva, Diogo Jota.

Liga NOSA temporada do SL Benfica não está a ser um caminho de rosas para o seu treinador, deparado com uma série de lesões que foi afetando o seu plantel. Também no que toca a possíveis saídas a situação demorou a compor-se, com um mês de agosto particularmente sensível na gestão das páginas dos jornais. Mas foi neste contexto de dificuldades que Rui Vitória encontrou, finalmente, espaço para se afirmar como um treinador de respeito no topo do futebol nacional. Sim, é verdade, já tinha sido campeão a época passada, mas sempre com o peso de transportar um estilo de jogo que muitos não diziam seu, para além de ter beneficiado do grupo de melhores jogadores disponíveis para marcar diferenças para a concorrência.

Esta temporada, até este momento, as coisas mudaram de figura. A lesão de Jonas obrigou-ou a encontrar soluções que não passam apenas pela substituição deste jogador pelo outro. A entrada de Gonçalo Guedes tem obrigado a mudanças na dinâmica do conjunto que mostram o trabalho de pormenor realizado no Seixal. Depois, Rafa, que surgia como grande opção para ocupar a vaga deixada em aberto por Gaitán, também tem estado lesionado, levando à procura de soluções que têm passado, essencialmente, por Pizzi, seja a partir da faixa, seja no meio do terreno. Na defesa, Jardel também foi sendo ausência constante, com Luisão a recuperar o seu papel de líder depois de quase ter sido dado como dispensado. E esta semana, para que a pressão do clássico não soubesse a pouco, é Fejsa quem se lesiona, obrigando Rui Vitória, uma vez mais, a olhar para o seu sistema e adaptá-lo aos jogadores que tem disponíveis. Na Liga dos Campeões, tal como o FC Porto, um empate frente ao Besiktas e uma derrota em Nápoles poderiam ter deitado por terra as esperanças dos encarnados. No entanto, após dupla vitória frente ao Dinamo de Kiev, e tendo em conta os resultados dos outros encontros, o Benfica até está em posição favorável para garantir o apuramento. No Dragão, com cinco pontos de vantagem para gerir, não se espera ver um Benfica muito aflito. Pelo contrário. Consciente de que com a receita certa, até pode sair daqui com uma vantagem inimaginável para apenas dez jogos disputados.

Onze Provável: Éderson – Nélson Semedo, Lindelof, Luisão, Grimaldo – Samaris, André Almeida – Salvio, Gonçalo Guedes, Pizzi – Mitroglou.

Na época passada, o título foi do Benfica, mas foi o FC Porto quem venceu os dois encontros disputados na Liga NOS. Seguir o mesmo princípio agradaria mais a Rui Vitória, mas Nuno Espírito Santo tem consciência que vencer é o caminho mais curto para poder ser ele o campeão.

Jogo que, como apontámos, muitas vezes tem pouco que ver com a realidade que ambas as equipas atravessam antes e depois do clássico. Ainda assim, a ausência de Fejsa poderá ter um peso determinante na forma como o Benfica consegue controlar o ritmo do jogo. E será isso que levará a inclinar o tabuleiro do favoritismo para o lado dos azuis e brancos.

Prognóstico Odd Casa Erro
Vitória do FC Porto 2.15 Betrally
FC Porto
FC Porto
  • País: Portugal
  • Estádio: Estádio do Dragão
  • Cidade: Porto
  • Fundação: 1893

Ver ficha completa

benfica
Benfica
  • País: Portugal
  • Estádio: Estádio da Luz
  • Cidade: Lisboa
  • Fundação: 1904

Ver ficha completa

Luís Cristóvão
Luís Cristóvão
  • Próg. realizados 2832
  • Média Odds usadas 2.16
  • Próg. certos 1330
  • Próg. errados 1465
comments powered by Disqus

Últimos jogos