Menu
Primeira Liga 5ª Jornada

FC Porto – SL Benfica (Liga NOS)

O jogo por que todos esperávamos está aí. O campeão nacional que ultrapassou um verão bem quente com a saída de Jorge Jesus e a chegada de Rui Vitória, apresenta-se no Estádio do Dragão onde Julen Lopetegui fez uma espécie de “extreme make up” à sua equipa, preparando-se para atacar o título. No entanto, o Rui Vitória que teve menos reforços parece muito mais convincente do que o Julen Lopetegui que, apesar de ter tido um enorme investimento, continua a apresentar alguns dos problemas que no ano passado impediram o FC Porto de ser campeão. Em jogo onde os projetos de cada clube estarão mais em causa do que os próprios treinadores (mesmo que, no final, sejam os treinadores a pagar), o que se joga no relvado são muito mais do que três pontos.

O FC Porto é um dos líderes da Liga NOS, com a equipa azul e branca a perder pontos apenas na deslocação à Madeira, onde empatou com o Marítimo. Depois de começar a vencer o Vitória de Guimarães, bateu também o Estoril e o Arouca, enquanto na Liga dos Campeões começou com um empate fora, no terreno do Dínamo de Kiev. O problema da equipa de Julen Lopetegui não passa, até agora, pelos resultados, mas muito mais pela incapacidade do seu treinador em demonstrar uma ligação entre as ideias e os desejos da mesma. Na linha defensiva parece ser onde a equipa estará mais consistente, contando com a experiência de Casillas a liderar um setor onde Maxi Pereira, pela direita, e Layún, pela esquerda, não nos fazem ter saudades de Danilo e Alex Sandro. O centro da defesa, com Maicon e Marcano, pode inspirar determinados cuidados, mas a existência de Martins Indi como terceira opção obrigará a uma rotação de qualidade. No meio-campo, residem as dúvidas. Ruben Neves, sempre que joga, demonstra que merece ser titular, sobrando apenas um lugar para Danilo Pereira e Imbula, sendo o Sr. 25 Milhões aquele que, para já, parece dar menos garantias. Depois, André André também se vai impondo como opção para titular num onze onde Herrera procura o seu espaço, e destes cinco elementos só três deverão jogar como titulares. No espaço ofensivo, os golos de Aboubakar também tornam o camaronês presença obrigatória, sobrando espaço para que Brahimi ocupe um dos corredores e o lado direito seja discutido por Corona, Tello e Varela. Osvaldo e Bueno são, assim, cartas fora de um baralho que nem sempre tem sido convincente na forma como se apresenta.

Onze Provável: Casillas – Maxi Pereira, Maicon, Marcano, Layún – Imbula, Danilo Pereira, André André – Corona, Aboubakar, Brahimi.

Liga NOSPara o Benfica, o pior parece já ter passado. A pré-temporada alimentou imensas desconfianças sobre o plantel e Rui Vitória, mas o técnico parece ter sido capaz de estabilizar o seu conjunto, impondo também as apostas na juventude que Luís Filipe Vieira tanto reivindicava. A derrota na Supertaça com o Sporting deixou marcas que a goleada perante o Estoril não apagou. Isso mesmo se sentiu na derrota frente ao Arouca, em Aveiro, curada com uma vitória apertada frente ao Moreirense e uma nova goleada perante o Belenenses. No jogo da Liga dos Campeões, o Astana foi também presa fácil. No que toca ao onze de Rui Vitória, a espinha dorsal constituída por Júlio César, Luisão, Samaris e Gaitán, manteve sempre o barco equilibrado e alimentado da criatividade necessária. Na linha defensiva, Nélson Semedo e Eliseu dão mais garantias a nível ofensivo do que defensivo e estarão à prova no Dragão, enquanto Jardel será o melhor companheiro para o capitão. O grego Samaris deverá ter na frente Talisca, com o jovem Gonçalo Guedes a ser, uma vez mais, aposta para o flanco direito. No ataque, Jonas vai-se entendendo com Mitroglou, deixando Jiménez para opção durante a partida. Do banco, as principais opções que podem saltar são Fejsa, para consolidar o equilíbrio numérico na intermediária, Pizzi, que dá mais garantias no momento da perda de bola, havendo ainda Vítor Andrade, que já teve tempo de jogo este ano. Carcela e Taarabt continuam a ser ausências dignas de nota, por opção técnica, enquanto Salvio é o único jogador com o nome inscrito no boletim clínico.

Onze Provável: Júlio César – Nélson Semedo, Luisão, Jardel, Eliseu – Samaris, Talisca – Gonçalo Guedes, Jonas, Gaitán – Mitroglou.
No ano passado, o Benfica venceu no Dragão e conseguiu, com esse resultado, fazer com que a caminhada para o título se tornasse mais acessível aos encarnados. Este ano, Lopetegui sabe que não pode distrair-se.

Benfica 0-0 FC Porto Liga NOS 14/15
FC Porto 0-2 Benfica Liga NOS 14/15
FC Porto 2-1 Benfica Liga 2013/14
FC Porto 0-0 (3-4 g.p.) Benfica Taça da Liga 2013/14
Benfica 3-1 FC Porto Taça Portugal 13/14
FC Porto 1-0 Benfica Taça Portugal 13/14
Benfica 2-0 FC Porto Liga 2013/14
FC Porto 2-1 Benfica Liga ZON Sagres 12/13
Benfica 2-2 FC Porto Liga ZON Sagres 12/13

Num jogo onde o medo de perder deverá superar a vontade de ganhar, o Benfica até talvez chegue com mais condições de arrancar um resultado positivo. Dependerá bastante as mudanças que cada técnico se sentir obrigado a impor no onze escolhido. Aquele que for mais fiel às suas ideias, aproveitará, seguramente, a vantagem.

Prognóstico Odd Casa Erro
Ambas as Equipas Marcam 2.00 Dhoze
FC Porto
FC Porto
  • País: Portugal
  • Estádio: Estádio do Dragão
  • Cidade: Porto
  • Fundação: 1893

Ver ficha completa

benfica
Benfica
  • País: Portugal
  • Estádio: Estádio da Luz
  • Cidade: Lisboa
  • Fundação: 1904

Ver ficha completa

Luís Cristóvão
Luís Cristóvão
  • Próg. realizados 2911
  • Média Odds usadas 2.15
  • Próg. certos 1367
  • Próg. errados 1507
comments powered by Disqus

Últimos jogos