Menu
LaLiga 31ª Jornada

FC Barcelona – Real Madrid (Liga BBVA)

“El clásico” é, sempre, um jogo que não passa ao lado de ninguém, não só em Espanha, mas por todo o mundo que vive o futebol. Habitualmente, os encontros entre os dois gigantes do futebol espanhol decidem campeonatos ou tendências que se apontam na direção do título, algo que este ano parece já bem entregue quando ainda faltam oito jogos por disputar na Liga BBVA. No entanto, o jogo não vale menos por isso, até porque há muito mais em jogo. Para começar, e olhando do lado dos catalães, este jogo impõe-se como a última barreira para o festejo do título, sendo que passando aqui com uma vitória, não haverá espaço para dúvidas sobre o primeiro lugar do Barcelona (se é que elas ainda resistem). Do lado da equipa de Madrid, o jogo tem o interesse de o poder aproximar do segundo lugar, atrasando, pelo caminho, a caminhada triunfal do seu maior rival. Seja como for, “el clásico” é sempre um dos jogos do ano e, com alguns dos melhores jogadores do mundo em campo, é isso mesmo que se espera que aconteça.

Aconteça o que acontecer, o FC Barcelona não perde. Assim é desde outubro do ano passado, quando a equipa catalã perdeu para o Sevilla em jogo do campeonato espanhol. O pior que aconteceu desde então foi uma série de três empates, entre jogos de diferentes competições, rapidamente retomando o seu caminho um conjunto que tem no trio MSN – Messi, Suárez, Neymar – parte importante da razão do seu sucesso. É, sobretudo, na capacidade de tomada de decisão dos seus melhores jogadores que o Barcelona se sobrepõe a qualquer adversário, encontrando sempre muitas opções para desenvolver o seu futebol de ataque, direto ao golo. Luis Enrique deu um caráter terreno ao sonho de futebol da linhagem Cruyff-Guardiola, aproveitando os princípios, os intervenientes e dotando-os de uma atitude que deve, também, à anterior história do Barcelona em Espanha. É essa unidade histórica que a equipa parece atingir este ano onde, para além do título do nacional, aponta também para a possibilidade de ser campeão europeu. Apesar de ter alguns jogadores lesionados, não parece que algum dos habituais titulares falhe a partida. Jordi Alba está tocado, mas com Adriano lesionado, não restará outra opção que fazer alinhar o internacional espanhol. Sandro Ramírez e Mathieu são os outros dois elementos impedidos de dar o seu contributo.

Onze Provável: C. Bravo – Dani Alves, Mascherano, Piqué, Jordi Alba – Iniesta, Sergio Busquets, Rakitic – Messi, L. Suárez, Neymar.

Liga BBVAO Real Madrid já não luta pelo título, mas este jogo mantém todo o peso dos clássicos que decidem o futuro da equipa merengue. Quando se decidiu a despedir Rafael Benítez e a promover Zinedine Zidane a treinador principal, Florentino Pérez confiava plenamente nas opções que estavam ao dispor dos treinadores no plantel e analisava a situação do ponto de vista onde, alguma paz social, nas bancadas, e um trabalho sem levantar ondas, levassem ao clube a alcançar os seus objetivos. A análise, já sabia, era errada. A paz social, em Madrid, só acontece quando existem vitórias (e mesmo assim…), o plantel está longe de poder dar todas as garantias a um treinador que queira cumprir o objetivo de vencer todas as provas e, para se ser dominante no futebol atual, não basta fazer as coisas certas, é necessário, também, saber como as conjugar com as inovações necessárias para ultrapassar a concorrência. A missão de Zidane parecia, assim, condenada a falhar, algo que acabou por se assinalar com a derrota frente ao Atlético e a concentração total na Liga dos Campeões. Ainda assim, mesmo que na próxima quarta-feira haja jogo com o Wolfsburg, o Real Madrid joga a possibilidade de ficar mais perto do segundo lugar e o futuro destas opções de Florentino no Camp Nou. Ganhar é, será sempre, o objetivo, mas dar luta ao ponto de poder sugerir uma competição de igual para igual com o Barcelona já seria uma enorme evolução para o Real Madrid. No entanto, tendo em conta as forças de cada uma das equipas, parece muito pouco provável que esse objetivo possa ser conseguido. Independentemente do resultado, o Real Madrid pode ter alguns desequilibradores, mas estará sempre longe de ter o coletivo que o Barcelona apresenta.

Onze Provável: K. Navas – Carvajal, Pepe, Sergio Ramos, Marcelo – Kroos, Casemiro, Modric – Bale, Benzema, Cristiano Ronaldo.

A goleada por quatro golos de diferença pesa ainda nas mentes dos jogadores do Real Madrid, que não vencem em Barcelona, para o campeonato, desde 2012.

Real Madrid 0-4 Barcelona J12
Liga BBVA 15/16
Barcelona 2-1 Real Madrid J28
Liga BBVA 14/15
Real Madrid 3-1 Barcelona J9
Liga BBVA 14/15

Jogo onde as estrelas podem sempre decidir, mas para o qual a importância do coletivo tem vindo a contribuir de forma mais decisiva. As fragilidades do Real Madrid ficam muito expostas frente a adversários desta índole, pelo que se espera nova vitória do Barcelona.

Prognóstico Odd Casa Erro
3W Handicap: Barcelona -1 2.30 Betrally
barcelona
Barcelona
  • País: Espanha
  • Estádio: Camp Nou
  • Cidade: Barcelona
  • Fundação: 1899

Ver ficha completa

realmadrid
Real Madrid
  • País: Espanha
  • Estádio: Santiago Bernabéu
  • Cidade: Madrid
  • Fundação: 1902

Ver ficha completa

Luís Cristóvão
Luís Cristóvão
  • Próg. realizados 2831
  • Média Odds usadas 2.16
  • Próg. certos 1330
  • Próg. errados 1465
comments powered by Disqus

Últimos jogos