Menu
  • 13 junho
  • 20:00
  • Bet365

Espanha – Holanda (Mundial 2014)

As memórias cruzam-se entre mundiais, quando acumulamos uma série de edições vividas apaixonadamente. Mas, da África do Sul ao Brasil, um pequeno pulo e, de uma final à primeira jornada do outro lado, um jogo com as mesmas equipas em campo, apesar de diferentes os intervenientes, mas com muitas estrelas a cumprirem o ciclo de quatro anos e a regressarem com nova ambição para lutar por um título.

A Espanha ganhou todas as três grandes competições em que participou, desde 2008, somando no seu currículo dois campeonatos europeus e um mundial. Nunca ninguém antes havia exercido tal ciclo de domínio. Voltar a vencer, apesar do sonho e do crédito que é dado a esta seleção espanhola, parece não ser o mais provável. Mas a Espanha será sempre um elemento bem complicado de ultrapassar. Para a Holanda, a história é hoje bem diferente. Louis Van Gaal operou uma profunda transformação na equipa laranja e, apesar de uma fase de apuramento a roçar a perfeição, a verdade é que os holandeses não assustam, hoje, como faziam há quatro anos.

mundial 2014Cheguemos, então, à Bahía, território que já foi dominado por espanhóis e holandeses, simbolicamente acolhendo o regresso de duas esquadras que querem dominar no Brasil. O Grupo B apresenta uma constituição algo traiçoeira, visto que, para além dos dois finalistas de 2010, temos ainda o Chile, uma das mais perigosas equipas da América do Sul e a Austrália, que apesar de frágil, tem conseguido superar-se nas suas mais recentes presenças em Mundiais. Assim que este primeiro jogo poderá oferecer um importante crédito, em forma de três pontos, a um dos conjuntos, enquanto, por outro lado, poderá haver um favorito a ter que lutar pelos pontos nas duas jornadas seguintes. Quem quer ficar com a fava?

A Espanha sabe bem o que é encarar grupos difíceis. Na fase de qualificação teve que ultrapassar a França, moldando-se, uma vez mais, com cara de campeão quando a exigência assim lhe pediu. Na preparação, apenas uma derrota, na deslocação à África do Sul, tendo batido a Guiné Equatorial, a Itália, a Bolívia e El Salvador. Vicente del Bosque apostará no conjunto de jogadores que mais garantias lhe oferece, em termos de experiência e de reconhecimento de um estilo de jogo que tornou a Espanha numa referência. A baliza estará, definitivamente, entregue a Casillas, que depois da lesão de Valdés não mais viu o seu lugar em perigo. Na linha defensiva, a dúvida estará na utilização de Juanfran ou Azpilicueta, podendo o lateral do Chelsea ser preferido, pela capacidade de entrega na execução das tarefas defensivas e no apoio ao ataque. A meio-campo, o típico duplo-pivô constituído por Sergio Busquets e Xabi Alonso será garante de segurança, enquanto na frente de ataque a boa forma demonstrada por David Villa nas últimas semanas poderá permitir-lhe a titularidade, em detrimento de um Diego Costa que ainda procura recuperar o ritmo depois da lesão.

Onze provável: Iker Casillas – Azpilicueta, Sérgio Ramos, Piqué, Jordi Alba – Xabi Alonso, Sergio Busquets – David Silva, Xavi, Iniesta – David Villa.

Depois de uma fase de qualificação onde não encontrou adversário à sua altura, a Holanda entrou em período de experiências e somou três amigáveis sem conhecer o sabor da vitória, com empates frente à Colômbia e ao Equador e uma derrota com a França. No entanto, Louis Van Gaal não se desviou da sua ideia de renovar a equipa, e os resultados nos dois últimos ensaios, com o Gana e o País de Gales, parecem oferecer-lhe garantias de que a Holanda poderá ter uma presença interessante nesta competição. Para a maioria dos adeptos será interessante descobrir novos valores do país das túlipas, que apresentará uma linha defensiva composta por muita juventude. A tentar levar a equipa, de novo, a uma avançada etapa da competição estarão, no entanto, Sneidjer, Van Persie ou Robben, figuras incontornáveis da caminhada até à final de há quatro anos.

Onze provável: Cillessen – de Vrij, Vlaar, Indi Martins – Janmaat, de Guzmán, de Jong, Daley Blind – Sneidjer – Robben, Van Persie.

Há quatro anos, a Espanha precisou de prolongamento para levar de vencida uma Holanda muito defensiva. Desta vez, até por não se tratar de uma final, esperam-se esquemas táticos um pouco mais libertos. Ainda assim, o empate é um resultado que as equipas não costumam desdenhar em jogos de estreia de grandes competições.

Holanda  0-1 (a.p.)  Espanha  África do Sul 2010
Holanda  1-0  Espanha  Jogos Amigáveis 2002
Espanha  1-2  Holanda  Jogos Amigáveis 2000
Espanha  1-1  Holanda  Jogos Amigáveis 1987

A Espanha tem mais experiência e melhor organização coletiva. A Holanda revela algum toque de rebeldia oferecido por um conjunto de jogadores que sente ter ainda tudo a provar. No entanto, de ambos os lados, grandes craques mundiais podem decidir o jogo em pequenos pormenores. Uma coisa é certa neste jogo: nenhuma defesa poderá falhar, sob o risco de oferecer ao adversário toda a vantagem.

A Bet365 oferece-lhe 50€ de bónus para apostar neste jogo: http://bitly.com/50eurbonus

Prognóstico Odd Casa Erro
Vitória da Espanha 1.83 Bet365
Espanha
Espanha
  • País: Espanha
  • Estádio:
  • Cidade: Madrid
  • Fundação: 1920

Ver ficha completa

holanda 300
Holanda
  • País: Holanda
  • Estádio:
  • Cidade: Amesterdão
  • Fundação: 1889

Ver ficha completa

Luís Cristóvão
Luís Cristóvão
  • Próg. realizados 2915
  • Média Odds usadas 2.15
  • Próg. certos 1368
  • Próg. errados 1507
comments powered by Disqus

Últimos jogos