Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Sevilla?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

Estádio Ramón Sánchez Pizjuán
Ramón Sánchez Pizj
  • País: Espanha
  • Cidade: Sevilla
  • Capacidade: 45.500

Ver ficha

O Sevilla Fútbol Club é uma equipa de futebol da Andaluzia, em Espanha. Os primeiros relatos de futebol naquela região espanhola apontam para uma partida em 1890 entre Sevilla Foot-Ball Club e Huelva Recreation Club, mas o primeiro clube a ser registado foi apenas em 1905, com o nome de Sociedad de Foot Ball e com tremendas ligações á equipa Sevilla Foot-Ball Club que actuou em 1980.

Durante os primeiros anos de existência o Sevilla disputou apenas partidas de cariz amigável frente ao Sevilla Balompié e ao Real Betis que mais tarde, em 1914, se uniram para dar origem ao actual Real Betis Balompié. Ainda antes disto, em 1912, estes três clubes juntamente com o Recreativo de Huelva, juntaram-se com o objectivo de fundar uma associação de futebol na Andaluzia, mas o processo não se desenrolou da melhor forma e acabou por ir por água a baixo. A primeira federação na Andaluzia acabou então por aparecer em 1915 e, conhecida como Sur, albergava ainda as equipas da Extremadura espanhola, das Canárias e das terras espanholas no norte de África. Como resultado disto, em 1916 o Sevilla passou a disputar a Taça da Andaluzia, já com carácter oficial, que venceu na 2ª edição na temporada 1916/17. Apesar disto, as primeiras partidas da equipa sevilhana fora da Andaluzia aconteceram apenas em 1915, na casa do Real Madrid. Tendo passado a ter também acesso à Taça do Rei, que se disputava desde 1903 e era a única competição nacional da época, o Sevilla conseguiu boas prestações na prova em 1917 e 1919 quando atingiu as semifinais.

Sevilla 1945:46

Equipa do Sevilla campeã espanhola em 1945/46

Em 1923 o Sevilla Fútbol Club passa a ser presidido por Manuel Blasco Garzón que procura implementar algumas boas ideias na equipa, entre elas a contratação de um médico, reuniões antes de jogos e ainda a separação das tarefas de treinador e capitão. Para seu braço direito, Manuel Garzón elegeu Ramón Sánchez-Pizjuán que se viria a tornar na mais emblemática figura do clube.

Finalmente em 1928, por iniciativa da Federação Espanhola de Futebol, formam-se campeonatos, sendo que na 1ª divisão eram apenas admitidos 10 equipas. Por isto o Sevilla viu-se a jogar na 2ª divisão até 1934, ano em que, por vencer o Atlético de Madrid, conquistou o título de campeão daquela liga secundária. Numa altura em que o campeonato de elite foi também alargado a 12 equipas, o Sevilla estreou-se em excelente forma tendo logo na temporada 1934/35 terminado com o 5ª lugar e vencido ainda a 1ª Taça do Rei da sua história.

Depois deste bom arranque do Sevilla na Liga, os campeonatos são interrompidos devido a Guerra Cívil Espanhola. Durante este período de interrupção o Sevilla disputou 66 jogos amigáveis, dos quais triunfou em 55, o que impulsionou o excelente regresso às competições em 1939/40 visto que o clube foi 2º na Liga e venceu ainda mais uma Taça do Rei, à altura apelidada de Taça do Generalismo devido à amplitude de equipas permitidas. Depois disso a equipa voltou a ser 2ª no campeonato em 1942/43, preparando-se assim para, duas temporadas depois se sagrar pela 1ª vez campeão espanhol ao superiorizar-se ao Barcelona que foi 2º classificado. O Sevilla vivia então um dos melhores períodos da sua existência, e logo na temporada 1947/48 conquistam a 3ª Taça do Rei.

Depois da entrada na década de 50 o Sevilla continuou no topo das prova nacionais, ainda que sem o mesmo ímpeto conseguido em algumas das edições da década de 40. Na temporada 1950/51 conseguiram um 2º posto na Liga que se repetiu em 1956/57, enquanto que a melhor prestação na Taça do Rei aconteceu em 1954/55 quando conseguiram marcar presença na final, tendo no entanto sido derrotados pelo Athletic Bilbao. Apesar de não terem conseguido qualquer título, esta década destacou-se pela primeira participação da equipa nas competições europeias que aconteceu em 1957/58, com o Sevilla a atingir os quartos de final da prova onde foi derrotado pelo Real Madrid.

Na década de 60 as finanças do Sevilla sofreram um grande abalo devido às dívidas contraídas para a construção do novo estádio. Por isto a equipa viu-se obrigada a vender os seus melhores jogadores, o que resultou em mais uma década desportivamente fraca. Ainda assim, logo na temporada 1961/62 o Sevilla está muito próximo da surpresa ao ter atingido mais uma final da Taça do Rei. Apesar disso, na temporada 1967/68 o clube não foi capaz de se manter na 1ª Liga e acabou despromovido à 2ª, ainda que esta passagem tenha sido apenas de curta duração pois, com mais um título na divisão secundária espanhola, o Sevilla conseguiu imediatamente o regresso à elite.

O regresso do Sevilla à 1ª liga aconteceu da melhor forma possível com o clube a conseguir o 3º lugar logo em 1969/70. Ainda assim, esta acabou por ser revelar uma temporada isolada visto que o clube, logo em 1971/72 voltou a cair para o segundo escalão do futebol espanhola, desta feita ficando por lá durante três épocas. Em 1974/75 voltaram à 1ª Liga depois de um 3º lugar na 2ª divisão, conseguindo daí em diante consolidar a sua presença junto da elite espanhola.

Durante a restante década de 70, 80 e ainda uma grande parte de 90, o Sevilla conseguiu sempre uma manutenção segura na Liga Espanhola, tendo ainda, por 4 vezes, conseguido a qualificação para as competições europeias. Foi então, já na temporada 1996/97, quando toda a gente pensava que o clube atravessaria o século livre de problemas, que o Sevilla se voltou a dar mal junto da elite de Espanha e voltou então a cair para a 2ª divisão. Depois de duas temporadas o Sevilla conseguiu o regresso à 1ª Liga, mas por pouco tempo visto que logo após uma temporada voltaria a cair para a 2ª, onde foi campeão de imediato, regressando assim em 2001/02 à Liga.

Jogadores sevillanos comemoram a conquista da Supertaça Europeia em 2006.

Jogadores sevillanos comemoram a conquista da Supertaça Europeia em 2006.

O novo milénio trouxe também um novo Sevilla, e logo em 2003/04 o clube atingiu mais uma semi-final da Taça do Rei. Daí em diante a equipa andaluza cresceu a olhos vistos e em 2005/06 conquistou pela primeira vez um título europeu ao vencer a, ainda, Taça UEFA. No seguimento deste triunfo, em 2006 conquistaram também a Supertaça Europeia ao vencerem o Barcelona por 3-0. Para além desta conquista, a temporada 2006/07 foi recheada de glórias. Na Liga BBVA a 3ª posição foi motivo de festa, que foi ainda acrescentada com o título da Taça do Rei e com o bicampeonato europeu por terem vencido a Taça UEFA pelo segundo ano consecutivo.

Em 2007/08 o Sevilla manteve-se em grande e conquistou mais uma supertaça, desta vez da de Espanha. Na época que se seguiu, apesar de não ter conseguido o triunfo em nenhuma prova, o Sevilla foi 3º na Liga e atingiu ainda a semi-final da Taça do Rei. No ano seguinte foi conquistada a 5ª Taça do Rei da história do emblema. Depois disso o Sevilla emergiu num ciclo de três temporada que, para além de não ter conquistado nenhum título, não esteve sequer perto de tal feito.

Foi então na mais recente temporada de 2013/14 que, já depois de ter terminado em 5º na Liga BBVA, o Sevilla conseguiu mais um grande título ao conquistar a Liga Europa. Esta foi ainda uma conquista especial visto que se superiorizaram ao favorito Benfica que havia já derrotado a Juventus.