Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Santos?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

estadio Vila Belmiro
Vila Belmiro
  • País: Brasil
  • Cidade: Santos
  • Capacidade: 16.798

Ver ficha

O Santos Futebol Clube é uma equipa de futebol da cidade brasileira Santos, no estado de São Paulo. A sua fundação aconteceu no dia 14 de Abril de 1912, curiosamente na data em que se viria a afundar o Titanic, tendo este acontecimento um elevado peso na decisão das cores das camisolas da equipa. A primeira partida do clube aconteceu após alguns meses de treino, ainda de carácter amigável, que o Santos venceu sem grandes problemas. Pouco tempo depois o clube sagra-se vencedor do Campeonato da Cidade de Santos, o que os leva a filiarem-se à Liga Paulista de Futebol, para assim poderem em 1914 estrear-se no Campeonato Paulista de Futebol.

A primeira participação no campeonato estatal não aconteceu da melhor forma, com a equipa a reagir mal às constantes deslocações a que não estavam habituados, o que acabou por resultado no abandono do Santos da prova. Em 1915 voltaram a vencer o campeonato santista, o que lhes vale mais uma participação no estatal, desta vez sob o nome de União FC, visto que a Associação Paulista de Esportes Atléticos não permitiu o nome de Santos. No entanto, seria apenas em 1916 que o clube se juntou de vez aos grandes do estado, realizando a sua primeira boa campanha logo em 1917 ao ficar classificado no 3º lugar da tabela.

Depois desta 3ª posição bem conseguida, o Santos ficaria afastado dos lugares cimeiros da tabela por algum tempo, até 1927, ano em que finalmente a equipa começa a mostrar do que é capaz e marca 100 golos na mesma temporada, com uma média de 6.25 golos apontados por jogo, mas ainda assim, não havia sido o suficiente para se sagrarem campeões. A 2ª posição conquistada neste ano de 1927 acabou por ser repetida nas duas épocas que se seguiram, mas o título acabava sempre por escapar.

pelé

Pelé pouco tempo após a sua chegada ao Santos

À entrada para a década de 30 a conquista do título de campeão estatal era um objectivo mais que delineado, pelo que, depois de tanto esforço, após 5 anos ele acabaria por aparecer. Foi então na temporada de 1935, que o feito aconteceu pela primeira vez, com o Santos ao terminar o campeonato com 9 vitórias, 2 empates e apenas uma derrota nas 12 partidas disputadas em toda a prova, superiorizando-se assim aos seus grandes rivais – Palestra Itália (actual Palmeiras) e ao Corinthians.

Apesar desta conquista, o Santos não iria conseguir manter-se no topo do Campeonato Paulista, pelo que, nova prestação admirável voltou a acontecer apenas no final dos anos 40, em 1948, com o alcance de mais uma 2ª posição na tabela.O clube entrava assim nos anos 50 com a esperança de voltar a conquistar um título de campeão estatal, o que viria mesmo a acontecer, pela primeira vez, na temporada de 1955, no marco dos 20 anos após a primeira conquista da prova. Em 1966, o título repetiu-se, e nesse mesmo chegou ao clube aquele que iria mudar para sempre a história do Santos – Péle. Pelas mãos do treinador Waldemar Brito, com ainda 15 anos, chegou ao clube santista aquele que é agora apelidado de Rei pelo que deu não só ao Santos, mas também à Selecção Brasileira, e acima de tudo ao futebol do país canarinho. O jovem começara então a fazer-se notar logo após 2 anos, impulsionando a equipa na conquista do Campeonato Paulista de 1958.

Com jogadores como Péle e Zito na equipa os resultados foram-se proporcionando, e em 1959, apesar de não se ter sagrado campeão estatal, o Santos ficou com o 2º posto da prova, tendo conquistado a sua primeira prova interestatal ao vencer o Torneio Rio-São Paulo, que lhes valeu a qualificação para a Taça Brasil – 1ª prova de carácter nacional disputada no país – onde surpreenderam ao chegar à final, onde foram derrotados pelo Bahia após perderem os dois últimos jogos da série à melhor de 3.

O Santos entra assim impulsionado na década de 60, quando estabeleceu uma hegemonia estatal ao vencer 8 temporadas naqueles 10 anos, sendo apenas por duas vezes interrompido pelo Palmeiras que se superiorizou nas temporadas de 1963 e 1966. Mas não foi só no estado de São Paulo que o clube fez ver a sua grandiosidade. Tanto no Brasil, como no restante continente americano foi visível a qualidade do plantel santista que venceu 5 Taças Brasil de forma consecutiva, entre 1961 e 1965, e ainda duas Taças Libertadores da América, com a primeira a ser alcançada em 1962, ao vencer 2 dos três jogos da final disputada contra o Peñarol, e a segunda a acontecer logo no ano seguinte, ao superiorizar-se desta vez ao Boca Juniors. Ainda antes de acabar a década o Santos conquista mais um título na prova nacional, que nesta altura era denominada por Torneio Roberto Gomes Pedrosa.

Depois deste ímpeto imposto na década de 60, o Santos perderia alguma da sua força após o inicio dos anos 70, conquistando o seu primeiro título da década em 1973 ao vencer mais um Campeonato Paulista, sendo também este o último título da equipa com Péle no seu plantel, visto que o craque acabaria por deixar o Santos em 1974 para rumar aos norte-americanos dos New York Cosmos. Já sem Pelé, o Santos conquistou o título de campeão do Campeonato Paulista em 1978, repetindo o feito somente em 1984, depois de ter em 1983 alcançado a 2ª posição na Série A do Brasileirão.

Neymar e Pelé

Pelé e Neymar, as duas maiores estrelas da história do Santos

Já na década de 90, apesar de não ter conquistado título nenhum quer em competições nacionais, quer em provas estatais, o Santos realizou ainda algumas boas prestações no Campeonato Brasileiro, tendo a primeira acontecido em 1995, quando o clube ficou classificado na 2ª posição da liga. Logo após dois anos, a 7ª posição na classificação geral da Série A do Brasileirão valeu à equipa a qualificação para a Copa Sul-Americana de 1998, onde os santistas se apresentaram a alto nível tendo mesmo sagrado-se vencedores da prova ao baterem o Rosário Central com um agregado de 1-0 nas duas mãos da fase final da prova.

Depois desta longa fase menos bem conseguida em que conquistaram apenas o título da Copa Sul-America, a equipa do Santos entrou no novo milénio com o objectivo de dar a volta por cima e voltar aos grandes momentos que havia feito os seus adeptos viver na década de 60. Então o primeiro título da equipa nos anos 2000 aconteceu no ano 2 do milénio, com o Santos a vencer a Série A do Brasileirão, título que lhes valeu a qualificação à Taça Libertadores da América de 2003. Nesta prova, o clube apresentou-se em boa forma tendo sido derrotado apenas nas derradeiras partidas finais pelo Boca Juniors, com um agregado de 5-1. Apesar do desaire na prova intercontinental, o Santos conseguiu ainda classificar-se na 2ª posição da Série A brasileira em 2003, tendo em 2004 voltado a sagrar-se campeão da prova. Ainda assim, continuava a escapar ao Santos o título do Campeonato Paulista, que viria finalmente a aparecer em 2006, sendo repetido em 2007, ano em que também na Série A do Brasileirão se exibiram a bom nível, tendo acabado na 2ª posição da tabela.

No ano de 2008 o Santos não conseguiu fazer-se notar em nenhuma das provas em que participou, tendo em 2009 voltado a aproximar-se da conquista do campeonato estatal, tendo no entanto terminado na 2ª posição. Esse campeonato estatal viria então a ser mesmo consumado em 2010, juntamente com o título da Copa Brasil. O título de campeão estatal foi ainda mantido pelas duas temporadas que se seguiram, fechando assim o Santos o primeiro tri-campeonato do novo milénio. Ainda em 2011, no ano da conquista da segunda prova estatal, o clube santista voltou a ser bem sucedido na disputa de uma prova internacional, tendo alcançado o 3º título da sua história na Taça Libertadores da América, tendo para estes recentes feitos contado com a ajuda da estrela Neymar Júnior, que acabou no Verão de 2013 a ser transferido para o Barcelona de Leo Messi.