Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Portugal?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

A Selecção Nacional de Futebol foi fruto da criação da Federação Portuguesa de Futebol, em 1914. A Selecção disputaria o seu primeiro jogo apenas em 1921 e perdeu, por 2-1, frente à Inglaterra.

Durante muito tempo não se ouviu falar da Selecção das Quinas, como é frequentemente reconhecida, mas em 1966 a selecção consegue a qualificação para o Mundial 66 e surpreende tudo e todos ao conseguir acabar a competição em 3º lugar, depois perder novamente com a Inglaterra – anfitriões da prova – por 2-1 nas meias-finais.

Em 1984, Portugal chegaria novamente a umas meias-finais, desta vez as do Europeu, onde acabaria por ser eliminado, desta vez pela Selecção Francesa, também anfitriã, por 3-2.

Dois anos depois, Portugal deslocou-se ao México para o Mundial 86, desta vez ficando à quem das expectativas, não ultrapassando a fase de grupos. Este mundial ficou conhecido para o povo português pela Revolta de Saltillo. Este episódio caricato aconteceu quando a selecção foi sujeita a enormes viagens pelo México, acabando por ficar hospedada em Monterrey quando o centro de estágios ficava em Saltillo. Para além disso, passados poucos dias os jogadores começaram a queixar-se da falta de condições e exigiram um aumento de remunerações e quando este lhes foi negado, eles cumpriram o prometido e deixaram de treinar, divertindo-se apenas em jantares e festas. Esta revolta dos jogadores deixou tudo e todos boquiabertos, inclusive Sir. Bobby Robson, na época seleccionador da equipa inglesa, que estava hospedada em Saltillo.

Portugal só voltaria a qualificar-se para uma competição 10 anos mais tarde, para o Euro 96, onde, apesar de ter feito uma boa fase de grupos, cairia logo nos quartos de final, frente à Republica Checa.

Com a entrada no novo século a Selecção Nacional consolidou-se finalmente entre as grandes nações da Europa. Logo em 2000 marca presença no Euro 2000 de onde viria a sair novamente derrotado na semifinal, desta feita frente à França, por 2-1, como um golo de penalti no tempo extra.

2002 Foi novamente ano de Mundial, e Portugal não falhou à qualificação, mas seria afastado logo na fase de grupos.

Em 2003 é chamado para o comando técnico da Selecção das Quinas Luís Filipe Scolari, que acompanhou a selecção nas campanhas do Euro 2004, Mundial 2006 e Euro 2008, levando a selecção à final do Euro 2004, melhor resultado de sempre alcançado por Portugal. No Mundial de 2006 conduziu a equipa até às meias finais da competição, eliminatória esta perdida para a França, e na decisão do 3º e 4º lugar perde contra a Alemanha, voltando assim para casa com um 4º lugar. O Euro 2008 seria mais uma prova em que a selecção ficaria à quem das expectativas, tendo sido eliminada pela Alemanha logo nos quartos de final.

Este jogo seria o último de Scolari como seleccionador nacional, e a escolha para substituir o técnico português recaiu sobre Carlos Queiroz, que deixava assim o lugar de adjunto do Man. United para assumir o comando das tropas nacionais.

Queiroz teve como missão conduzir Portugal até ao Mundial 2010, e cumpriu-a, apesar de ter que disputar o playoff de acesso à prova. Na fase final da prova, a Selecção das Quinas qualificou-se para os oitavos de final em 2º lugar do grupo, o que fez com que jogasse com  a Espanha, primeiro lugar do respectivo grupo, e a selecção viria mesmo a ser afastada nessa eliminatória.

A qualificação para o Europeu de 2012 começou mal, com Carlos Queiroz no comando e equipa jogava mal e não conseguia resultados, pelo que, ao fim de dois jogos da fase de qualificação Queiroz seria afastado do cargo, sendo então rendido por Paulo Bento.

Bento chegava com vontade de fazer a diferença e conseguiu mesmo levar a equipa de novo às vitórias, apesar de não evitar mais um playoff. Neste europeu, Portugal terminou a fase de grupos em 2º, defrontando então nos quartos de final a Republica Checa, 1ª classificada no seu grupo. Este jogo foi controlado e vencido pela equipa das Quinas que mostravam estar fortes. Essa qualidade de jogo foi ainda posta em prática frente à Espanha nas meias finais, mas após prolongamento, Portugal seria eliminado nas grandes penalidades.