Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Nacional?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

O Club Nacional de Football foi fundado a 14 de Maio de 1899 quando dirigentes e jogadores do Montevideo Football Club e do Uruguay Atlética Club, dois clubes já existentes na cidade de Montevideu se reunirão e fundiram os clubes num só, o Nacional, que se tornava também a primeira equipa crioula da América do Sul. O primeiro jogo do clube foi realizado em ainda 1899 no campo de Punta de las Carretas, e em 1900 foi fundada a Federação Uruguaia de Futebol e o Nacional passou a usufruir do Gran Parque Central para realizar as suas partidas. O clube iniciou-se nas competições amadoras, mas desde cedo o seu valor foi observado, primeiro com a vitória no campeonato amador em 1902 e em 1903 ao contribuir para a primeira vitória internacional da selecção uruguaia, frente à Argentina, disponibilizando todo o seu plantel à selecção Celeste.

Ainda enquanto amador o clube foi por duas vezes tri-campeão, entre 1915 e 1917 e mais tarde, entre 1922 e 1924. Pela contribuição dada à selecção nos Jogos Olimpicos e em jogos internacionais, sempre com jogadores, depois do tri em 1924 o Nacional foi convidado para participar em 1925 numa digressão de seis meses pela Europa. Durante esse tempo o clube realizou 38 jogos por 9 países europeus, tendo vencido 27, empatado 7 e perdido 5, e com o visível sucesso o clube ganhou reconhecimento mundial e estima-se que tenham sido vendidos mais de 800 000 bilhetes para os jogos do Nacional. Dois anos mais tarde foi repetida a digressão, desta vez pela América do Sul, com menos jogos mas com o mesmo sucesso, tendo o clube vencido 16 das 19 partidas realizadas, empatando duas e perdendo uma.

Depois de uma década de 30 adormecida a equipa chegou a 1939 com vontade de mostrar serviço e conquista nesse ano o primeiro de cinco campeonatos consecutivos, decalcando ainda mais a sua superioridade sobre o Peñarol, o grande rival uruguaio do Nacional. Durante estes 5 anos, de 1939 a 1943, o Nacional participou em 96 jogos, vencendo 77, empatando 9 e perdendo 10, com um total de 318 golos marcados e 108 sofridos.

O clube parecia ter o nome vitória no nome, e entre 1955 e 1957 o clube conquista o seu primeiro tri como profissional. Depois desta glória o clube passou mais uma década, a de 60 sem grandes feitos, mas todo o trabalho dessa década foi recompensado quando em 1969 e clube vence aquele que iria ser o primeiro campeonato de um tetra, alcançado em 1972, tendo pelo meio, em 1971 vencido também a Taça Libertadores da América numa final frente ao Estudiantes, que lhe deu acesso à Taça Intercontinental, onde derrotaria o Panathinaikos da Grécia, levando o troféu para o Uruguai.

Entusiasmados pelas glórias, os jogadores continuaram a dar tudo por tudo e em 1980 o volta a vencer a Taça Libertadores da América desta feita frente ao Internacional do Brasil, conseguindo mais uma vez o acesso à Taça Intercontinental onde frente ao Nottingham Forest celebrou a segunda dobradinha internacional da sua história. Mas o Nacional não iria ficar por aqui, e 8 anos depois a dobradinha repete-se, tendo desta vez a Taça Libertadores da América sido conquistada frente ao Newell’s Boys da Argentina e a Taça Intercontinental surge numa final alucinante frente ao PSV Eindhoven que só iria acabar nos penaltis, depois de um jogo com dois golos para cada lado.

Depois de grandes conquistas o clube afundou numa crise financeira durante a década de 90. Esta crise acabou com as glorias internacionais do Nacional, mas no Uruguai o clube continuou forte, o que se verifica pelo número de títulos nacionais conquistados, sendo ainda hoje o clube uruguaio com mais sucesso por todo o mundo.