Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Juventus?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

Estádio Juventus
Juventus Stadium
  • País: Itália
  • Cidade: Turim
  • Capacidade: 41.000

Ver ficha

A Juventus Football Club foi fundada em 1987 com o nome de Sport Club Juventus por alunos de uma escola da cidade italiana de Turim. Logo após dois anos, mesmo antes da entrada da equipa no campeonato italiano, o nome do conjunto seria alterado para Foot-Ball Club Juventus, sendo o seu primeiro equipamento idêntico ao rosa e preto que é o seu actual secundário.

Em 1905 a Juve conquista o seu primeiro título, sendo campeã do campeonato italiano. Quando tudo parecia orientado, logo em 1906 um desentendimento na direcção da equipa levou a uma cisão com o presidente, que levou consigo alguns atletas, partindo para a fundação do Torino. Isto deixou a equipa fragilizada ao ponto de ter que lutar pela sobrevivência nos tempos mais difíceis da 1ª guerra mundial.

A Juventus conseguiu então superar todas as dificuldades, e em 1923 o dono da Fiat, Edoardo Agnelli, assumiu também a presidência da equipa, dando de imediato inicio à construção de um novo estádio. Com a ajuda essencial deste impulso, em 1925/26 a Juve repetiu a conquista do título de campeã, começando assim a fazer-se notar entre os grandes de Itália. Depois deste o seu estatuto ficou finalmente imposto quando na temporada de 1930/31 iniciaram uma série de cinco títulos consecutivos interrompida apenas em 1934/35. Desde deste grande sucesso, seguiu-se o primeiro título na Taça de Itália em 1937/38, ao qual se seguiu, já na década de 40, na temporada 1941/42, mais uma Taça de Itália.

Depois desta última Taça de Itália foi preciso esperar mais até depois da 2ª Guerra Mundial, à temporada de 1949/50, para voltar a ver a Juventus a vencer um título do Campeonato Italiano. Esta conquista seria ainda repetida por mais duas vezes na década de 50, primeiro na temporada 1951/52 e 1957/58, tendo a década sido fechada com a conquista de mais uma Taça Itália em 1958/59. Nesta competição foi feito o bis logo na temporada seguinte de 1959/60, quando foi também conseguido o primeiro de dois títulos consecutivos no Campeonato Italiano. Ainda na década de 60 seriam obtidos mais dois títulos, primeiro na Taça, na temporada 1964/65, e ainda no campeonato em 66/67.

Depois destas conquistas pontuais, a Juventus entrou na década de 70 em grande, sagrando-se de imediato bicampeã nacional nas temporadas de 1971/72 e 1972/72. O primeiro destes títulos valeu ao clube a qualificação para Liga dos Campeões, e depois de cinco temporadas afastados da prova, os homens da Juve surpreenderam tudo e todos ao atingirem a partida final da prova, onde foram derrotados pelos holandeses do Ajax. Na sequência desta final, e após a desistência do Ajax de disputar a Taça Intercontinental, foi a Juventus a representar a Europa nessa prova, tendo sido derrotada na final por 1-0 diante do Independiente. No Campeonato Italiana continuaram as boas prestações, tendo os homens da Vecchia Signora voltado a ser campeões logo em 1974/75, para após mais uma temporada voltarem a conquistar um bis, vencendo as edições da liga em 1976/77 e 1977/78. Já com Trapattoni no comando técnico, a Juventus venceu a sua primeira competição internacional na época 1976/77, na Taça UEFA ao vencer o Athletic Bilbao na final. Ainda na última temporada da década, de 1978/79 a Juve amealhou mais um Taça de Itália para o seu palmarés.

Michel Platini com a Bola de Ouro que venceu, enquanto jogava pela Juventus, em 1985.

Michel Platini com a Bola de Ouro que venceu, enquanto jogava pela Juventus, em 1985.

Já na década de 80 a Juventus continuaria a praticar o seu futebol glorioso, conquistando de imediato o bicampeonato nas duas primeira temporadas dos anos 80. Em 82/83 fraquejaram no campeonato, tendo compensado os adeptos com mais um triunfo na Taça Itália, tendo ainda oportunidade para conquistar a Liga dos Campeões, o que só não aconteceu porque, no jogo da final, Felix Magath marcou o golo da vitória do Hamburgo sobre a Vecchia Signora. Depois do desaire em mais um final europeia, a Juve conquistaria no ano seguinte mais um campeonato e ainda a Taça dos Vencedores das Taças, ao triunfar diante do FC Porto. Ainda assim, os adeptos ansiavam pela conquista da Liga dos Campeões, o que aconteceu logo na época seguinte, com Platini a marcar o golo que deu o triunfo dos italianos sobre  o ingleses do Liverpool na final. Ainda no rescaldo deste título, a Juve venceria ainda a Supertaça Europeia, sobre o mesmo Liverpool, e ainda a Taça Intercontinental sobre o Argentinos Juniors. Antes de deixar o clube, Giovanni Trapattoni teve ainda tempo para conduzir a equipa a mais uma conquista do campeonato italiano, em 1985/86.

Após a saída do veterano técnico a Juve perderia algum espaço no campeonato nacional, ficando durante um longo período remetido a classificações secundárias. Ainda assim o conjunto de Turim somou títulos na Taça de Itália, em 89/90, e na Taça UEFA (2) em 89/90 e 92/93. Na Serie A Italiana, o título voltaria a aparecer na mesma temporada em que Marcelo Lippi tomou conta das operações da equipa, na época de 1994/95, quando conquistaram ainda a Taça Itália e estiveram presentes em mais uma final da UEFA, onde acabariam por não conseguir triunfar, sendo derrotados por 2-1 (agregado) pelo Parma. Na temporada que se seguiu, em 95/96, falharam o título do campeonato, tendo no entanto deixando feito furor nas competições internacionais, ao repetirem a conquista da Liga dos Campeões, desta vez ao superiorizarem-se ao Ajax, já nos penaltis, na partida final. Ainda nesse ano triunfaram também na Supertaça de Itália, acabando a temporada a conquistar a Supertaça Europeia e ainda a Taça Intercontinental, foi este um dos anos mais dourados do clube.

Depois disto seguiram-se dois títulos consecutivos na Serie A, em 1996/97 e 1997/98, anos em que disputaram também a final da Liga dos Campeões, tendo assim em 3 anos jogados 3 finais da liga milionária. Ainda no último destes dois anos venceram a Supertaça Italiana, tendo até à viragem do milénio conquistado apenas mais um título, o da Taça Intertoto em 1999/2000.

Na primeira época dos anos 2000 a Juve não conquistou nenhum título, tendo respondido a isto de forma imediata com um bis nas temporadas 01/02 e 02/03. Neste último anos os homens de Turim voltaram ainda a atingir a final da Liga dos Campeões, tendo no entanto sido derrotados pelos rivais do Milan. Depois desta derrota europeia perante os seus conterrâneos, a Juventus vingou-se ao triunfar nas duas edições que se seguiram da Supertaça Italiana.

Alessandro Del Piero e Pavel Nedved, dois astros maiores das duas últimas décadas do conjunto de Turim.

Alessandro Del Piero e Pavel Nedved, dois astros maiores das duas últimas décadas do conjunto de Turim.

Depois disso, em 2004/04 sagrariam-se campeões nacionais, no entanto, devido ao rebentamento de um escândalo de manipulação de resultados que envolvia os dirigentes da equipa de Turim, a Juve foi relegada à Série B Italiana e o título foi-lhes retirado na tesouraria. Com isto o clube perdeu muitas das suas referências, como eram os casos de Fabio Cannavaro, Lilian Thuran e até mesmo Zlatan Ibrahimovic. Ainda assim, e apesar de ter começado a sua primeira experiência na Serie B com pontos negativos, a Juve soube superar as adversidades e uma temporada bastou para que regressassem à para junto da elite com o título de campeões da segunda divisão no palmarés.

Regressados à Série A, os homens da Vecchia Signora ainda demoraram algum tempo a voltar às conquistas, o que aconteceu apenas na temporada 2011/12, quando garantiram mais um título de campeões da Serie A. A este seguiu-se na temporada 2012/13 mais uma Serie A, e ainda a primeira de duas Supertaças Italianas, com a segunda a ser já obtida na mais recente temporada de 2013/14.