Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Fiorentina?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

Estádio Artemio Franchi
Artemio Franchi
  • País: Itália
  • Cidade: Florença
  • Capacidade: 43.147

Ver ficha

Nascida em 1926 na cidade de Florença a partir da fusão do Palestra Ginnica Libertas e do Firenze Football Club, a ACF Fiorentina teve uma ascensão rápida no futebol italiano visto que, depois de nas duas primeiras temporadas disputarem apenas os escalões de cadetes, nas três épocas seguintes, já com equipa sénior, os Viola conseguiriam a subida desde o Grupo B da Divisão nacional até à Série A, que é então alcançada na temporada de 1931/32 com o 1º lugar na Série B.

A Fiorentina chegou então em força à primeira liga italiana, tendo conseguido garantir a manutenção em seis temporadas consecutivas, até que na época 1937/38 um 16º lugar os fez regressar à Série B. Ainda assim a passagem por esta 2ª liga durou apenas uma temporada, com os Viola a regressarem à Série A logo em 38/39 com mais um título de campeões da segunda liga. Como forma de compensação aos adeptos pela passagem no segundo escalão do futebol italiano, logo na temporada 1939/49 a Fiorentina conquistou o seu primeiro título ao vencer a Taça Itália. Deste este título seguiram-se mais três temporadas na Série A, até que, devido à 2ª Guerra Mundial, em 1943 as competições italianas sofreram uma paragem que se prolongaria até 1945. No recomeço das competições os Viola encontrariam-se então a disputar o Campeonato Centro-Sul, devido à devastação que havia acontecido na região norte do país.

Giancarlo Antognoni, o homem com mais presenças na história da Fiorentina, com 341.

Giancarlo Antognoni, o homem com mais presenças na história da Fiorentina, com 341.

Ainda assim na temporada 1946/47 a Fiorentina seria reposta no lugar que merecia, na Série A, tendo um mau começo ao classificar-se no 17º posto da tabela na 1ª época. Ainda assim a equipa melhorou as suas performances e conseguiu voltar a consolidar-se junto dos gigantes italianos. Foi então já bem na década de 50, mais precisamente na temporada 1955/56 que o conjunto de Florença conseguiu pela primeira vez superiorizar-se a todos os seus adversários na corrida pelo título italiano, sagrando-se assim campeã nacional. No seguimento deste título os Viola conseguiram ainda a qualificação para a Taça dos Campeões Europeus de 1956/57, tendo quase feito história ao atingir ao final onde já não conseguiram fazes frente ao Real Madrid de Di Stéfano. Até ao final da década a Fiorentina continuou a realizar grandes campanhas na Serie A, tendo terminada classificada na 2ª posição do campeonato por 4 temporadas consecutivas, desde 1956/57 a 1959/60. Ainda assim este foi um período de muitos desgostos para os adeptos da equipa, que para além de a verem terminar por 4 vezes na 2ª posição do campeonato, ainda a viram marcar presença em duas finais da Taça Itália perdidas para a Lazio e para a Juventus, respectivamente em 1957/58 e 1959/60.

Todos estes desgostos dos adeptos da equipa iriam então ser recompensados logo à entrada na década de 60 quando a Fiorentina venceu a primeira edição da Taça dos Vencedores das Taças ao superiorizarem-se ao Celtic de Glasgow na final, tendo triunfado ainda na Taça de Itália, arrecadando assim o seu 2º título nesta prova. Na temporada 1961/62 os Viola voltam a estar perto de singrar novamente na Taça das Taças, mas desta vez, na partida final, o Atlético de Madrid foi mais forte. Após duas épocas deste desaire o conjunto de Florença volta a marcar presença em mais um final europeia, desta vez na Taça Mitropa, onde foram derrotados pelo Vasas de Budapeste. Ainda assim, regressados a esta competição europeia na temporada seguinte, os homens da Fiorentina não vacilaram e conseguiram mais um título a juntar ao seu palmares, onde ainda nesse ano se juntaria a 3ª Taça Itália da equipa. Para terminar em pleno estes dez anos, na época 1968/69 a Fiorentina voltaria a atingir ao auge ao conquistar pela 2ª vez na sua história o título de campeã de Itália.

Ná década de 70 a Fiorentina começou logo por estar presente em mais uma final da Taça Mitropa, na temporada 1971/72 diante do Čelik Zenica. Na época seguinte perderam mais uma competição europeia na final, sendo desta vez derrotados pelo Newcastle na Taça Anglo-Italiana. Duas temporadas mais tarde, em 1974/75 os Viola voltaram a conquistar a Taça Itália, tendo no ano seguinte conquistado a Taça Anglo-Italiana. Depois deste título, em 1975/76, o conjunto de Florença embarcou numa fase de jejum de títulos que se prolongou até à temporada 1995/96. Neste período, em termos nacionais o melhor dos Viola foi o 2º lugar na Serie A na temporada 1981/82, enquanto que na Europa conseguiram atingir a final da Taça UEFA de 1989/90 onde acabariam por ser derrotados pela Juventus.

Já na década de 90, após um 16º lugar na temporada 1992/93 a Fiorentina seria relegada à Série B, o que já não acontecia há 55 anos. No entanto, mais uma vez a passagem pelo escalão secundário do futebol italiano revelaria-se curta, visto que logo na época seguinte o Viola regressariam à Serie A com mais um título da Serie B no palmares. O regresso à primeira liga motivara a equipa que logo em 1995/95 conquistaria mais uma Taça Itália. Na temporada seguinte, e no seguimento deste título, conquistariam a primeira Supertaça Italiana da sua história. Até ao final do milénio a Fiorentina conseguiria ainda fixar-se na Serie A, tendo em 1998/99 perdido mais uma final da Taça Itália, desta vez diante do Parma.

Rui Costa e Gabriel Batistuta, duas grandes figuras do plantel dos Viola na década de 90.

Rui Costa e Gabriel Batistuta, duas grandes figuras do plantel dos Viola na década de 90.

Já no novo milénio, em 2000/01 a Fiorentina conquistou mais um Taça Itália, ficando por isso todos os adeptos surpresos quando no ano seguinte a equipa foi despromovida, vendo-se então a cargo com dívidas superiores aos 22 milhões de euros que motivaram a banca rota da equipa. Ainda assim um grupo de investidores não deixou que este fosse o fim do conjunto de Florença, e no mesmo Verão de 2002 a equipa foi reinscrita na Federação Italiana de Futebol, ficando assim apta para a disputa da Serie C2. Depois de terminar no 1º posto do Grupo B deste escalão do futebol italiano, por méritos desportivos a Fiorentina foi, na secretaria, promovida à Serie B.

Na época 2003/04, apesar de terem terminado na 6ª posição da segunda divisão, conseguiram o apuramento para os play-offs de promoção à Serie A onde, ao derrotarem o Perugia, conseguiram a promoção de regresso para junto dos gigantes italianos. Depois de terem sido 15º classificados na temporada de regresso ao principal campeonato italiano, na temporada seguinte conseguiram terminar na 4ª posição, sendo no entanto descidos para a 9ª posição devido ao rebentamento do escândalo de manipulação de resultados que levou a Juventus a descer para a Serie B.

Desde então que os Viola têm vindo a melhorar as suas prestações na Serie A, conseguindo em 2007/08 o regresso às competições europeias. Para isto foi essencial o trabalho de Cesare Prandelli que orientou a equipa até 2010, tendo logo durante o seu reinado começado a construir uma equipa capaz de concorrer ao título com jogadores como Borja Valero, Alberto Aquilani ou Claudio Pizarro. Após a saída de Prandelli, para orientar a selecção italiana, a Fiorentina atravessou um período de instabilidade que foi corrigido já no ano de 2011 quando Vicenzo Montella assumiu a liderança da equipa e continuou com o bom trabalho de Prandelli, mantendo a equipa nas posições cimeiras da tabela classificativa, tendo para isto contado também com o apoio da direcção que, após a saída de Stefan Jovetic, para o Manchester City, promoveu a contratação de Giuseppe Rossi e Mario Goméz que têm sido fulcrais nas boas campanhas realizadas pela equipa de Florença.