Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Cruzeiro?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

Estádio Mineirão
Mineirão
  • País: Brasil
  • Cidade: Belo Horizonte
  • Capacidade: 58.259

Ver ficha

O Cruzeiro nasceu em 1921 no ceio da comunidade italiana residente em Belo Horizonte com a denominação de Societá Sportiva Palestra Itália. Como italianos que eram, respeitavam todas as ordens do seu líder presidente italiano Benito Mussoulini. Como consequência disso o Palestra Itália só admitia jogadores pertencentes à comunidade italiana nos seus quadros.

Logo no ano de fundação o Palestra Itália foi inscrito na Liga Mineira de Desportos Terrestres, ganhando assim autorização para disputar a Liga Mineira logo nesse ano. Como principais rivais, o Palestra Itália tinha o América, clube da elite de Belo Horizonte, o Atlético Mineiro, equipa do povo e única a aceitar jogadores de cor negra no plantel, e por fim o Yale, que foi aquele que mais sofreu com a fundação do Palestra Itália, visto que a grande parte de jogares do clube eram italianos e não hesitaram em trocar de camisola. Desta forma conseguiram logo para o Campeonato Mineiro de 1921 uma equipa bem constituída que atingiu a fase final da prova, debatendo-se com os grandes até ao fim.

Depois da primeira temporada o Palestra Itália classificou-se por cinco vezes consecutivas na segunda posição da tabela terminando esta sequência em 1926, já com uma equipa aberta a toda a comunidade, com a conquista do primeiro título do Campeonato Mineiro. No entanto este campeonato havia sido promovido pela Associação Mineira de Esportes Terrestres, e não tinha qualquer valor oficial. Pondo isto o primeiro título oficial do Palestra Itália aconteceu em 1928, seguido de mais dois em 1929 e 1930, selando de imediato um tri-campeonato.

Na década de 30 o clube não se conseguiu manter no caminho dos títulos e passou 10 anos de jejum, voltando a ser campeão apenas em 1940 quando já se falava da alteração do nome do clube, visto que já não havia qualquer relação da equipa com a colónia italiana. Esta ideia foi sendo vetada por grande parte dos associados do Palestra, mas quando rebentou a 2ª Guerra Mundial o Brasil declarou guerra aos países do Eixo (Alemanha, Itália e Japão) e obrigou à alteração de nomes que fizessem alusão a qualquer uma das nações. Isto, em conjunto com a tentativa de incêndio que o estádio do clube sofreu, os dirigentes da equipa alteraram o nome inicialmente para Palestra Mineiro. No entanto este nome foi também revogado pelo que, em assembleia Cruzeiro Esporte Clube foi o novo nome escolhido para a equipa.

O primeiro título como Cruzeiro surge então em 1943, seguido de mais dois em 1944 e 1945, selando assim mais um tri-campeonato. Esta sequência de conquistas motivou a direcção a renovar o seu estádio e construir uma bancada coberta. No então esta execução havia sido mal planeada e o clube imerge numa crise financeira que o obriga a vender todo o plantel, passando a jogar com uma equipa de juniors em regime semi-amador. Com o objectivo de conseguir algum dinheiro, o Cruzeiro começou a disputar amigáveis por todo os estado em troca de cachês, conseguindo assim, para além de dinheiro adeptos também, tornando-se durante esta fase numa das equipas mais populares de Minas Gerais.

O Cruzeiro viria então a reerguer-se das cinzas no inicio da década de 50 com a ajuda do estado que concedeu verbas suficientes ao clube para que construísse uma Sede Social que seria inaugurada em 1955. Em jeito de comemoração, o Cruzeiro reconquistou em 1956 o título de campeão do Campeonato Mineiro e apenas duas temporadas depois o clube inicia mais uma série de 3 campeonatos consecutivos que viria apenas a terminar já na década de 60, em 1961. Esta viria então a ser a primeira grande década do Cruzeiro, que vindo de um tri conquistou o primeiro penta da sua história entre os anos de 1965 e 1969. Durante este período o Cruzeiro conquistou também o seu primeiro título nacional, em 1966, com a conquista do Campeonato Brasileiro que à altura se chamava Taça Brasil e era disputado no formato de eliminatórias devido às dificuldades de mobilidade existentes no Brasil naquela altura. Esta conquista foi ainda mais importante para o clube devido ao facto de ter enfrentado e derrotado o Santos na final com um agregado de 9-4, e ainda o facto de a vitória na prova garantir ao Cruzeiro a participação na Taça Libertadores da América de 1967 onde ainda alcançou a semi-final, caindo aos pés do Nacional.

cruzeiro libertadores 1997

Jogadores do Cruzeiro a festejar a conquista da Taça Libertadores da América de 1997.

O clube entrou então na década de 70 super motivado pelos resultados conseguidos nos anos anteriores e depois de ter ficado para trás nos Campeonatos Mineiros de 70 e 71 o Cruzeiro conquistou um tetra-campeonato, entre 1972 e 1975 seguido da primeira grande conquista internacional – a Taça Libertadores da América – ao vencer o River Plate por 8-5 no agregado de uma final decidida em três mãos. Depois disto o Atlético Mineiro impôs-se e até 1989 relegou o Cruzeiro para a 2ª posição em todas as temporadas, excepto nas de 1977, 1984 e 1987 em que o Cruzeiro foi campeão. Esta superioridade do Atlético viria então a ser dividida novamente com o Cruzeiro durante a década de 90 quando o clube de raízes italianas conquistou os campeonatos estatais de 1990, 92, 94 e mais um tri entre 1996 e 1998. A níveis nacionais e internacionais foi nesta década que o Cruzeiro se mostrou mais forte, tendo conquistado a Copa do Brasil por 2 ocasiões, em 1993 e 96, seguido da segunda Libertadores da América em 1997 após vencer o Sporting Cristal do Peru por 1-0, numa final decidida a duas mãos.

No novo século o Cruzeiro entrou com o pé direito, começando logo por conquistar mais uma Copa Brasil em 2000. Nova festa voltaria a acontecer em 2003 e em dose tripla, visto que o clube venceu a Série A do Brasileirão, a Copa Brasil e o Campeonato Mineiro, repetindo a vitória nesta última prova em 2004, alcançando assim o primeiro bi-campeonato estatal no novo milénio. Desde então, o Cruzeiro voltou a conquistar o Campeonato Mineiro em 2006, seguido de mais um bis em 2008 e 2009, alcançando também neste último ano mais uma final da Taça Libertadores, no entanto sem sucesso, por sairiam derrotados da partida diante do Estudiantes LP numa final a duas mãos com um agregado de 2-1.

Já na década de 2010, o Cruzeiro mantém a superioridade no Campeonato Mineiro, tendo conquistado um novo título de campeão em 2011, tendo depois caído para uma zona da tabela do Brasileirão que nas temporadas de 2011 e 2012 não lhe concederam a presença na Taça Libertadores da América. No entanto o Cruzeiro não perdeu nunca o seu estatuto de “grande” do Brasil, tendo mesmo sido eleito como melhor equipa brasileira do séc. XX.