Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Basel?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

St. Jakob-Park
St. Jakob-Park
  • País: Suíça
  • Cidade: Basel
  • Capacidade: 38.512

Ver ficha

O FC Basel foi fundado em Basileia a 15 de Novembro de 1893 e actualmente é um dos clubes mais bem sucedidos da Suíça, mas esse sucesso custou a chegar e o clube fez os seus adeptos esperarem 40 anos para que pudessem festejar o primeiro troféu. Aconteceu em 1933, na Taça da Suiça frente ao Grasshopper de Zurich, numa partida que acabou 4-1 para os de Basel e ficou na história do futebol suíço como uma das finais mais alucinantes de sempre.

A segunda glória apareceu novamente na Taça da Suiça, em 1947, desta vez frente ao Lousanne, numa partida jogo fácil para o Basel que venceu por três bolas sem resposta. Ainda assim os adeptos não estavam satisfeitos, queriam mais, e foi em êxtase que no ano de 1953 viram o seu clube vencer pela primeira vez a Primeira Liga Suiça com o legendário René Bader como treinador-jogador.

Depois do título o Basel esteve adormecido até 1963 quando, sob as ordens de Georges Sobotka, venceram a sua terceira Taça da Suiça. Ainda na década de 60 o Basel voltaria à ribalta, já ao comando de Helmut Benthaus em 1967, venceu a liga e a taça no mesmo ano. Consequentemente alcança a qualificação para Liga dos Campeões pela primeira vez no ano de 1968, mas foram eliminados logo na primeira fase de eliminatórias. O mesmo se repetiu em 1970, depois de terem ganho a liga suíça pela terceira vez em 1969, voltaram a cair na mesma fase da prova milionária.

Os anos 70 começaram da mesma forma como acabaram os 60, a vencer logo na época 69-70 novamente a Liga Suiça. Com mais uma liga o Basel via-se na liga milionária e procurava fazer melhor do que nas participações anteriores, o que foi realmente conseguido, pois foram eliminados pelo Ajax na segunda ronda depois de ter afastado o Spartak de Moscovo na primeira.

O excesso de confiança da equipa fez-se notar na época 70-71 quando perderam o título por acabarem o campeonato com os mesmos pontos que o Grasshopper, que venceu no confronto directo. Desapontados então com a perca do título, os atletas do Basel concentraram-se e recuperaram o campeonato, renovando-o no ano seguinte. Nas respectivas participações europeias, o Basel teve uma prestação semelhante às participações anteriores na prova de 72-73, mas Champions de 73-74 os suíços impressionaram toda a Europa ao atingirem os quartos de final da prova, tendo caído frente ao Celtic com um agregado de 6-5 nas duas partidas disputadas.

Depois desta gloriosa participação, os adeptos não voltaram a ver o Basel disputar as competições europeias nas três seguintes épocas, pois a Taça da Suíça foi o único título do clube entre 1973 e 1977, ano em que voltou a vencer a Liga. A consequente participação na Champions voltou a ser fraca, pois o clube acabou novamente eliminado na primeira fase da prova, onde só voltaria a participar em 1981 por consequência da vitória no campeonato de 1980 que lhes escapara por duas épocas.

Este foi então o último título do clube antes de entrar numa profunda crise que no ano de 1988 o levou mesmo até ao segundo escalão do futebol suíço. Este foi um período de muita turbulência no Basel, com repetidas entradas e saídas de treinadores e o clube manteve-se pela segunda liga até 1994 quando é trazido para a primeira liga pelas mãos de  Claude Andrey. Na primeira liga as coisas não correram tão bem e apesar de ter assegurado a manutenção do clube, Andrey foi despedido no final da época, seguindo-se mais uma longa fase de entradas e saídas no comando técnico da equipa, até que no ano de 2000, entra, juntamente com a magnata Gisela Oeri  – que adquire o FC Basel nesse ano – Christian Gross, e então, com muita ajuda do dinheiro da Gisela, o clube inicia uma fase de recuperação, a começar pela contratação de alguns jogadores ícones para o clube.

As mudanças rapidamente se fizeram sentir e logo em 2001-2002, época em que o Basel recupera o título de campeão nacional, que lhes escapara por mais de 20 anos, vence a Taça da Suiça e alcança ainda a final da Taça Intertoto. No ano seguinte a clube volta a participar na Champions e até ultrapassa a primeira fase de grupos, mas cai na segunda. Também a nível nacional o ano de 2003 ficou à quem das expectativas, tendo o clube apenas vencido a Taça da Suiça.

No ano de 2004 os adeptos puderam voltar a festejar o campeonato, desde bem cedo, pois o Basel acabou a primeira volta do campeonato com 17 vitórias e apenas 1 empate. No ano seguinte caíram nas pré-eliminatórias da Champions, tendo sido então encaminhados para a Taça UEFA, onde foram eliminados na segunda fase frente ao Lille. Nas provas nacionais o Basel respondeu bem à saída de jogadores como Marco Streller e Atouba, tendo vencido o campeonato com 10 pontos de avanço para o segundo classificado.

A época de 2006 foi de sucesso europeu e nova derrota nacional. Depois de terem caído para a UEFA nas pré-eliminatórias da Champions, os homens do Basel chegaram às meias finais da prova tendo sido eliminados pelo Middlesbrough com um agregado de 4-3. No campeonato as coisas não correram tão bem, e desta vez sentiram-se mais as saídas, tendo o Basel permitido o Zurich que conquistasse o título que já não via há mais de 20 anos.

No ano seguinte o Basel chega aos grupos da UEFA mas não consegue os consegue ultrapassar, sendo esta a mais fraca participação europeia do novo século. A nível nacional o clube volta a conquistar a Taça, ficando em segundo no campeonato, tendo-o perdido novamente para o Zurich.

O ano de 2008 foi bom para os adeptos pois o Basel deu-lhes a festejar mais um título, juntamente com a Taça, já na Europa, apesar de ter ultrapassado a fase de grupos, o Basel foi eliminado pelo Sporting logo na primeira eliminatória. Depois deste campeonato o Basel passou dois anos sem o conquistar, recuperando-o em 2010 tendo-o renovado ano após ano desde aí. Na Europa é de salientar as semifinais da Liga Europa alcançadas na época 2012-2013, tendo sido eliminados nesta fase pelo Chelsea – que viria a defrontar e a vencer o Benfica na final da prova – depois de terem deixado para trás adversários como Tottenham e o Inter de Milão