Sugerir atualização
Tem mais informação sobre Atlético de Madrid?

Sugira aqui uma actualização

Sugerir

Estádio Vicente Calderón
Vicente Calderón
  • País: Espanha
  • Cidade: Madrid
  • Capacidade: 54.907

Ver ficha

O Club Atlético de Madrid foi fundado em 1903 pela mão de bascos estudantes na capital espanhola, que fundaram a equipa como filial do já existente Athletic Bilbao. Devido a esta descendência basca, o nome inicialmente dado à equipa foi Athletic Club de Madrid, que vestiu nos seus primeiros anos um equipamento, até 1911, um equipamento azul e branco, também usado pelo Athletic Bilbao, semelhante aos do já existente Blackburn Rovers.

O primeiro título da equipa apareceria logo no início da década de 20, na temporada 1920/21, no Campeonato Regional de Madrid – começava desde então a rivalidade com o actual Real Madrid. Esse título seria ainda repetido por mais duas vezes nessa década, nas temporadas de 1924/25 e 1927/28, valendo-lhes este último título um lugar na primeira edição do Campeonato Espanhol que se jogou na temporada de 1928/29. O Atlético disputaria a La Liga por duas temporadas, sendo então despromovido na primeira época da década de 30, em 1929/30.

Despromovido da Liga Espanhola, o Atlético disputou durante quatro temporadas a segunda divisão espanhola, de onde voltou a subir com o 2º lugar em 1933/34. Regressados ao principal campeonato de Espanha, a equipa de Madrid disputou a prova nas duas temporadas seguintes, até à interrupção da prova em 1936/37, devido à guerra civil espanhola, que se prolongou durante três temporadas, até 1938/39. Os adeptos do Atlético não poderiam então esperar um melhor regresso à competição, com a equipa madrilena a conquistar o título de campeão espanhol por duas vezes consecutivas em 1939/40 e 1940/41, tendo ainda na primeira destas duas temporadas vencido o Campeonato Regional de Madrid e a Supertaça Espanhola. Este título da Supertaça Espanhola viria a ser repetido em 1946/47, duas temporadas antes de mais um bi-campeonato espanhol, que aconteceu nas épocas de 1949/50 e 1950/51, temporada esta última em que voltaram a ter sucesso na Supertaça.

Depois de mais uma temporada em grande, o Atlético voltaria a esmorecer, principalmente no Campeonato Espanhol, tendo voltado a aparecer em grande no início da década de 60 com dois títulos consecutivos na Taça do Rei, em 1959/60 e 60/61. Em 1961/62 o Atlético de Madrid venceu a Supertaça Europeia, sendo esta a segunda edição da prova, numa altura em que se qualificavam para a disputa as equipas vencedoras das taças nacionais da temporada antes. Os bons resultados prolongariam-se pela década a dentro, tendo-se seguido, na temporada 1964/65 a conquista de mais uma Taça do Rei, à qual se seguiu, na temporada de 65/66 mais um título de campeão espanhol, que seria repetido ainda antes do final destes anos 60, na época de 69/70.

O português Paulo Futre, considerado como uma das lendas da equipa, que actuou no Atlético por dois períodos, de 1987 a 1993 e na temporada 1997/98.

O português Paulo Futre, considerado como uma das lendas da equipa, que actuou no Atlético por dois períodos, de 1987 a 1993 e na temporada 1997/98.

Nos primeiros ano de década de 70 o Atlético de Madrid manteve a sua boa forma, e aumentou o seu palmarés com mais cinco títulos, dois na Taça do Rei, em 71/72 e 75/76, outros dois na Liga, em 1972/73 e 76/77, tendo ainda, na temporada de 74/75 conquistado a Taça Intercontinental, depois de o Bayern, que venceu a Champions ao derrotar o Atlético na final, ter cedido o seu lugar na disputa desta prova. A partir de então o rendimento dos Colchoneros diminuiu bastante, e a equipa ficou por duas décadas afastada dos grandes títulos. Ná década de 80 foram apenas dois os títulos conquistados, tendo sido conseguidos nas épocas de 1984/85 e 85/86 na Taça do Rei e Supertaça Espanhola, respectivamente.

À entrada para a década de 90 toda a equipa, desde jogares a direcção, passando mesmo pelo staff, queriam inverter o rumo dos acontecimentos, e o primeiro empenho resultou em mai duas Taças do Rei, consecutivas, nos anos de 90/91 e 91/92. O Atlético voltaria então a sagrar-se campeão espanhol em 1995/96, fazendo o bis com a conquista de mais uma Taça do Rei. Apesar deste momento alto, a forma do Atlético não se manteve e a equipa inicia o novo milénio a ser relegada para a segunda divisão espanhola, o que aconteceu na temporada 1999/00, depois de se ter classificado num péssimo 19º lugar.

A passagem pelo escalão secundário do futebol espanhol terminaria duas temporadas depois, com o Atlético a sagrar-se campeão da Liga Adelante na época 2001/02, voltando assim à elite espanhola, consolidando a sua posição no meio da tabela. Em 2007/08 o Atlético de Madrid vence a Taça Intertoto, reforçando-se depois disto com Simão Saborosa e Diego Forlán. Estes dois jogadores, com principal destaque para o último, foram fundamentais no regresso do Atlético ao lugar elitista que merece. Não tanto nas competições espanholas, mas mais no panorama europeu, o Atlético de Madrid voltou a reerguer-se, tendo em 2009/10 conquistado a sua primeira Liga Europa. O sucesso nesta prova foi então repetido em 2011/12, tendo ainda pelo meio a equipa arrecadado mais uma Supertaça Europeia, em 2010/11.

Já na mais recente temporada de 2012/13, com o ex-jogador Diego Simeone no comando técnico, o Atlético voltou a conquistar uma prova espanhola, a Taça do Rei, tendo ainda conquistado mais uma Supertaça Europeia, títulos que lhes conferem o estatuto de gigante europeu pelo qual a sua direcção desde sempre lutou.