O avançado hispano-brasileiro tem sido uma das figuras de destaque do Chelsea 2014/2015. José Mourinho apontou Diego Costa como um dos principais alvos para esta temporada e a aposta, até ao momento, tem sido ganha. Pelo menos nas provas internas.

Menino de Penafiel

Em 2006, um jovem brasileiro acabava de aterrar em Portugal, a caminho de Penafiel. Diego Costa era um menino de 17 anos com muita vontade de aprender, chegava a terra lusitanas depois de assinar pelo Braga, vindo do Barcelona Esportivo.

O clube minhoto decidiu emprestar o avançado brasileiro ao Penafiel com o objectivo de o fazer crescer e adaptar-se ao futebol português. Desde cedo que Diego Costa mostrou ter características únicas. Rápido e combativo, nunca virava a cara aos duelos.

Diego mostrou desde cedo que pretendia deixar a sua marca no futebol europeu. Os treinos terminavam e ele continuava a correr e a finalizar. Queria evoluir e tinha a pressa natural de um jovem, uma corrida contra o tempo. A Europa estava à espera de si.

A adaptação não foi fácil. Diego Costa chegou pela mão da Gestifute de Jorge Mendes, mas não isso não lhe valeu uma vida luxuosa. Vivia com dois colegas de equipa num apartamento modesto, e ia a pé para os treinos. Os sacríficios vieram a confirmar que tudo valeu a pena.

Seis meses depois, Diego Costa já conquistava o Penafiel. Corria, marcava e decidia jogos. As boas exibições fizeram com que o Braga o resgatasse para a 2ª volta. Fez o último jogo com a camisola do Penafiel a 17 de Dezembro, deixando o clube no 4º lugar. O Penafiel terminou a época em 8º.

As exibições também não passaram despercebidas ao Atlético de Madrid.

Javier Hernandez, foi o olheiro espanhol que deu o parecer positivo de Diego Costa. Rui Bento convenceu o observador do emblema espanhol a ir ver um jogo e Javier reconheceu-lhe capacidades para ser um avançado de topo.

O Atlético de Madrid não demorou a avançar, apesar de saber que ainda era necessário muito para lapidar o diamante que tinham em mãos. A concorrência era forte mas os espanhóis levaram a melhor sobre o interesse do Porto.

Um Brasileiro em Espanha

A carreira em Espanha começou no Celta de Vigo e no Albacete, por empréstimo do Atlético de Madrid.

Diego Costa no Atletico Madrid

Diego Costa cresceu e formou-se no FC Penafiel e no SC Braga, mas foi no Atletico Madrid que ganhou dimensão mundial

Diego Costa não vingou e acabou por rumar ao Valladolid, numa operação que envolveu a compra de Sergio Asenjo por parte do Atlético.

O emblema da capital de Espanha ficou com a opção de compra de Diego Costa, fixada num milhão de euros. Na época de 2009/2010, o brasileiro apontou 8 golos que acabaram por não ser suficientes para evitar a descida de divisão.

No final da temporada, o Atlético confirmou que iria exercer o direito de compra. Em 2010/2011, Diego Costa teve poucas oportunidades, visto que a concorrência era composta por Forlán e Aguero.

Seguiu-se um novo empréstimo, desta vez no Rayo Vallecano, em 2011/2012. Somou 10 golos em 16 jogos e ajudou a equipa a manter-se na primeira divisão.

Na época de 2012/2013, assumiu finalmente um lugar de destaque no plantel.

Iniciou a época como suplente de Falcao e Adrián mas rapidamente conquistou o seu espaço e a confiança de Diego Simeone. Em 44 jogos, apontou 20 golos, contribuíndo para a conquista da Liga Europa.

Na temporada seguinte, disputou até ao final o Pichichi contra Ronaldo e Messi. O avançado apontou 36 golos em 52 jogos, tendo sido um dos principais rostos da campanha colchonera que culminou com a conquista da liga e a final da Liga dos Campeões. Terminou o campeonato com 27 golos, menos um que Messi e quatro que Ronaldo.

Um Espanhol em Londres

A evolução de Diego Costa não passou despercebida ao Chelsea de José Mourinho.

Diego Costa no Chelsea

José Mourinho levou-o para o Chelsea e Diego Costa tem correspondido na Premier League, já na Liga dos Campeões…

A renovação do plantel passou pela contratação do então hispano-brasileiro que optou por representar a selecção espanhola antes do Mundial de 2014.

Uma transferência que se fixou nos 40 milhões de euros e que rendeu perto de 8 milhões de euros ao Braga. O clube minhoto detinha uma cláusula de 20% de lucro no negócio do Atlético de Madrid.

Diego Costa ainda não se apresentou em grande nível pela Espanha, e o mesmo tem acontecido no Chelsea das competições europeias.

O clube inglês foi eliminado nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões frente ao PSG e muito se pode queixar da falta de eficácia de Diego Costa. Em 34 jogos pelo Chelsea, Diego já leva 19 golos, todos eles na Premier League, estando em primeiro lugar da lista dos melhores marcadores, empatado com Harry Kane. Na Liga dos Campeões desta época, ao contrário da época passada, onde apontou 8 golos em 9 jogos, não encontrou nenhuma vez o caminho das redes nos 7 jogos realizados.

Com menos espaço para explodir e com uma marcação mais apertada, Diego Costa não se figurou como a alternativa que José Mourinho pretendia na competição europeia. Resta continuar a dar o seu contributo no campeonato de forma a atacar o título e o prémio de melhor marcador.

Boas Apostas!