As notícias dão como certa a ida de Ángel di María para o Manchester United. É provável que o jogador argentino fique a ganhar.

Depois da entrada de James Rodríguez no clube galáctico, Ángel di María ficou com o caminho mais condicionado, porque James é um investimento que é preciso rentabilizar. Mesmo que não sejam totalmente incompatíveis na mesma equipa, embora joguem praticamente nas mesmas zonas, a sua utilização obrigaria a modificações no sistema de jogo. Aos quais, e por regra, os treinadores são adversos. Por isso, é melhor, para di María, que saia para onde possa jogar.

De qualquer forma, está, ainda, por provar que James Rodríguez, que é um excelente jogador, seja melhor que que Ángel di María. Mas a obsessão de Florentino Pérez pelas novidades, pelos melhores do Mundo, por aquilo que pode comprar, em especial do meio-campo para a frente, não tem contemplações com a construção de uma equipa. É por isso que o Real nunca foi arrasador, como o foi, por exemplo, o Barcelona, por mais galáctico que o Real Madrid tenha sido ao longo destes últimos 15 anos. O Real Madrid tem sido sempre um aglomerado de excelentes jogadores, mas nunca uma grande equipa.

Nessas condições, torna-se preferível ao jogador argentino a mudança de ares. E o Manchester United não é um clube qualquer. E di María não será desprestigiado. Antes pelo contrário. O Manchester poderá fazer crescer ainda mais o jogador argentino, como fez, aliás, por Cristiano Ronaldo. E ele poderá continuar a mostrar todo o seu futebol, agora sob as ordens de Van Gaal, que talvez seja o treinador ideal para o argentino.

De todas as formas, Ángel di María ao ir para o Manchester United, consegue também entrar para a História. Esta será a mais cara contratação de sempre de um clube inglês. O Manchester United irá pagar qualquer coisa como 75 milhões de euros pelo passe do internacional argentino, o que ultrapassa os 63 milhões de euros que o Chelsea pagou por Fernando Torres, ao Liverpool, em 2011.

Ángel di María começou cedo a sua carreira de futebolista no Rosário Central, clube argentino da cidade que o viu nascer. Aos 19 anos sagrou-se campeão do Mundo pela Argentina, no Mundial sub-20 de 2007. Acabou por vir para o SL Benfica onde depressa deu nas vistas, mas foi com o treinador Jorge Jesus que Ángel di María disparou para o grande jogador que é, fazendo uma época fabulosa na Luz em 2010, onde foi considerado o Melhor Jogador da Liga Portuguesa, onde foi o rei das assistências e marcou o seu primeiro hat-trick, o que lhe valeu a cobiça do Real Madrid e, assim, em 2010, tornou-se, por direito próprio, também ele, um galáctico.

Ángel di María

Para Ángel di María, tudo começou no SL Benfica

Depois destes anos em Madrid, onde jogou com Cristiano Ronaldo, Mesut Özil, Gonzalo Higuaín, Karim Benzema e Gareth Bale, Ángel di María sai do Real pela porta grande, em direcção a um Manchester United que estará ansioso por ver o futebol rápido e certeiro deste argentino que dá gosto ver jogar.

E por aqui, agora que já não o podemos ver jogar nos relvados portugueses, esperamos que a Premier League seja tão boa, ou melhor, do que foram a Liga Portuguesa e a Liga BBVA Espanhola.

Que um futebol destes é para ser visto, apreciado e devorado. Porque angelito é um galáctico por direito. E vai continuar a sê-lo em Inglaterra.

Boas Apostas!