Um bom apostador é aquele que consegue gerir a sua banca de apostador da melhor forma possível. Independentemente de você ser bom a realizar prognósticos de apostas, ter uma gestão de banca é fundamental para conseguir ter sucesso nas apostas desportivas. Caso não tenha conhecimentos ao nível da gestão de banca, considere ler este nosso tutorial a fim de compreender melhor como gerir a sua banca e ter sempre capital para realizar as suas apostas.

Para começarmos, é necessário percebermos como funciona a gestão de banca e quais os termos associados a esta gestão financeira. Banca ou Bankroll é a quantidade total de dinheiro que você tem disponível para realizar as suas apostas desportivas. Stake: É o nível de confiança que você tem quando realiza um prognóstico ou um palpite, em que um Stake de 1 é pouco confiante e um Stake de 10 é muito confiante. A escala de Stakes é por norma feita de 0 a 10 para medir a confiança do apostar no resultado que está a prever. Full stake: É a percentagem de banca que você pode/deve investir numa determinada aposta, dependendo da sua performance ao nível de prognósticos e resultados. Quanto melhor forma a sua performance média, maior poderá ser o seu Full Stake. O Full Stake é por norma colocado em percentagens, do tipo 5% ou 10% para casos de baixa e elevada performance. Apostar mais de 10% do valor da banca de apostas nunca é recomendável, caso você seja um apostador experiente ou iniciante.

Diferentes Níveis de Stake

Para compreendermos mais facilmente como funciona o Stake nas apostas desportivas, vamos analisar os diferentes níveis existentes e como é que eles funcionam ao nível da gestão de banca. Para gerir correctamente a sua banca de apostador é necessário que você seja rigoroso ao nível dos Stakes, ou seja, que aposte apenas um 10 quando tem realmente muita confiança no seu prognóstico, e que use Stakes mais baixos para palpites que você considera estarem correctos, mas nos quais não confia cegamente. Vejamos:

  • Stake de 1 ou 2. Por norma uma Stake tão baixa significa que você não tem muita confiança no palpite que está a realizar, quer seja porque está a apostar num underdog ou porque a probabilidade (odd) para a sua aposta é demasiado alta.
  • Stake de 3. Por norma um Stake de 3 significa que também não existe muita confiança no tipo de aposta e/ou que existe pouca informação disponível para analisar um determinado encontro. Para se conseguir bons resultados em apostas desportivas, é necessário ter-se muita informação acerca das equipas e dos jogos, portanto, quando isso não acontece, o Stake tem de ser forçosamente baixo para evitar riscos desnecessários.
  • Stake de 4, 5 ou 6. Estes três níveis de Stake são por norma os mais utilizados em apostas desportivas, e indicam que o apostador tem conhecimento sobre o evento que está a analisar, mas aposta de forma moderada para evitar cometer erros ou riscos desnecessários. Por norma, quando se obtém bastante informação sobre um determinado jogo e diagnostica um possível resultado, usa-se um Stake entre os níveis 4 e 6 dependendo da confiança no resultado final.
  • Stake de 7 ou 8. Um Stake tão alto deve ser usado em especial quando você encontra oportunidades incríveis de apostas como uma Sure Bet ou uma Value Bet. Em ambos os casos, é possível realizar um Stake de nível 7 ou 8, pois a confiança no resultado final é por norma bastante elevada.
  • Stake de 9. Um Stake de 9 prevê que você tem praticamente a certeza de que o seu prognóstico está correcto e que portanto tem imensa confiança no resultado final esperado. Para um Stake deste tipo aplicam-se as mesmas regras sobre as Sure Bets e Value Bets.
  • Stake de 10. Por norma um Stake de 10 indica que o apostador tem a certeza absoluta de que vai vencer a sua aposta. Usar um Stake tão alto deverá acontecer muito raramente e apenas quando você tem realmente a certeza de que a sua aposta vai ser ganha.

Infelizmente muitos apostadores cometem erros desnecessários na gestão da sua banca, como por exemplo, usarem Stakes de 9 e 10 em prognósticos onde o nível de confiança não é assim tão elevado. É necessário ter-se ponderação na utilização de Stakes tão altos, caso contrário os resultados não serão satisfatórios e o mais provável é que você consuma a sua banca de jogo rapidamente, não vendo resultados proveitosos disso.

Tipos de Gestão de Banca

Agora que já sabemos como funcionam os Stakes e quais os diferentes níveis que existem, é altura de os colocarmos em prática. Um Stake é basicamente um nível de confiança numa aposta, mas não é uma aposta. Para realizar as suas apostas desportivas usando métodos de gestão de banca, é necessário um pouco mais do que definir um Stake. Existem dois métodos de gestão de banca muito conhecidos e amplamente usados pela indústria das apostas desportivas, e são precisamente aqueles que lhe recomendamos a explorar com maior atenção. Vejamos:

Gestão Linear

A Gestão Linear da banca de apostas é o método mais commumente usado nas apostas desportivas. Neste tipo de método, o Full Stake divide-se de forma linear em 10 partes iguais. Para calcular um Stake de uma aposta, é necessário usar uma pequena fórmula matemática, para que você perceba concretamente qual o valor que deverá apostar num determinado resultado, dependendo do seu nível de confiança (Stake) e da sua performance enquanto apostador (Full Stake). Vejamos: Se o seu Full Stake for de 40 Euros, e o seu prognóstico for um Stake de nível 6, então o valor que você deverá apostar nesse prognóstico é igual a 40*6/10 = 24 Euros.

Gestão Exponencial

A Gestão de Banca Exponencial é um método de gestão de banca mais profissional e usado por apostadores profissionais em todo o mundo. No entanto, é um sistema de gestão de banca ligeiramente mais complexo que o anterior. Na gestão exponencial, o seu Full Stake irá dividir-se também em 10 partes, sendo que cada parte varia exponencialmente de acordo com o grau de confiança que você tenha no seu prognóstico de aposta. Para calcular o valor de uma aposta usando a gestão exponencial, é necessário usar a fórmula matemática seguinte: Stake(x) = FullStake*coeficiente(10-x). Vejamos um exemplo: Se o seu Full Stake for de 10 Euros e o coeficiente de 0,67 e o seu prognóstico for um Stake de nível 7, então o valor que você deverá apostar nesse prognóstico é igual a 10*0,67(3) = 3,01 Euros.

Dinheiro em várias Casas de Apostas

A juntar a todos os métodos existentes, é recomendável também que você tenha capital disponível em várias casas de apostas, uma vez que é comum encontrar-se probabilidades (odds) muito distintas entre cada uma delas. Ao ter várias bancas disponíveis em várias casas de apostas, você tem a possibilidade de escolher em qual casa de apostas você pretende realizar as suas apostas desportivas para um determinado evento. Este tipo de gestão de múltiplas bancas de jogo, é também uma forma de você ganhar mais dinheiro, aproveitando as melhores probabilidades oferecidas pelas diferentes casas de apostas.

Gestão de Banca por tipo de Desporto

Outro aspecto importante ao nível da gestão de banca é sem dúvida a análise por diferente tipo de desporto. Você enquanto apostador é provavelmente melhor num determinado desporto do que em outro (Por ex.: Futebol e Ténis). Para gerir de forma mais correcta a sua banca de apostador, é aconselhável que você tenha bancas distintas por tipo de desporto e pelo seu nível em cada um deles. Dessa forma, as suas performances enquanto apostador em jogos de Ténis, não irão afectar a sua banca de apostas em Futebol e vice-versa.

Boas Apostas!