Neste artigo vou falar sobre como começar nas apostas desportivas, isto é, o que considero fundamental um apostador que se inicia neste mundo. Basicamente vou falar algumas sugestões, métodos ou recomendações que considero importantes, tendo em conta a minha experiência. Como é óbvio não há métodos certos ou errados, e o método que resulta com um apostador pode não servir para outro.

Assim, neste artigo nada mais farei que partilhar convosco parte da minha experiência, e aquilo que considero ser estritamente necessário para ajudar um apostador a ser lucrativo no longo prazo. E vou separar isso em 6 passos, a saber:

  • Definir e gerir a sua banca
  • Escolher a sua, ou as suas casas de apostas, com que vai trabalhar
  • Definir os seus mercados com que vai trabalhar
  • Definir as competições com que vai trabalhar
  • Procurar apostas de valor
  • Disciplina e controlo emocional

Gestão de Banca

A banca é o montante que o apostador disponibiliza para as apostas desportivas. Tão importante como fazer bons prognósticos é definir e gerir bem a sua banca. Não é possível ter sucesso nas apostas desportivas sem uma criteriosa e cuidadosa gestão de banca.

As apostas desportivas comportam riscos acrescidos, e por vezes o apostador enfrenta uma série de apostas perdidas, as chamadas “bad runs”.  Daqui decorre a importância em dividir a nossa banca por um número suficientemente elevado que nos permita aguentar o impacto de uma série de apostas perdidas. Por exemplo, se o apostador dividir a sua banca em 10 partes, poderá “quebrar” a sua banca de forma rápida. O mesmo já será bem mais complicado se tivermos a nossa banca dividida por 50 ou mais partes.

Falar de gestão de banca requer um artigo que será publicado em breve. Mas, para já deixo apenas um valor que considero “mais seguro” para se trabalhar e que consiste em dividir o valor da nossa banca em 50 unidades, o que corresponde a 2% do valor total, aquele que podemos aplicar em cada aposta. Além do definir o montante total da banca, como o valor da unidade, é igualmente importante determinar se trabalhará com uma stake fixa ou variável.

Escolher a casa de apostas

Caxemirabet

É através das casas de apostas que o apostador tem acesso às apostas desportivas. O objectivo maior das apostas desportivas é o lucro a médio e longo prazo. E um dos factores fundamentais é encontrar as melhores odds. Daqui decorre que na sua escolha tenha em consideração aquela casa que lhe oferece as odds mais altas.

Outro aspecto fundamental reside nas opções e segurança que a casa oferece em termos de depósitos e levantamentos. E igualmente importante é os mercados que a casa de apostas lhe oferece. Se você decidir trabalhar com o mercado de handicap asiático, por exemplo a Bet.pt não lhe oferece essa possibilidade, neste momento. E nesse caso, não deixe de trabalhar com mercado onde realmente é rentável, só porque a sua casa de apostas não oferece essa possibilidade.

Não escolha uma casa de apostas pelos bónus que ela oferece. A maior parte dos bónus têm um rollover difícil de cumprir. Entende-se por rollover as condições que a casa de apostas exige para que o valor do bónus possa ser levantado. Ainda é muito comum o apostador inicial escolher a casa pelo bónus, e mesmo terminando essa oferta, fica nessa casa, mesmo com odds mais baixas.

Definir os mercados para trabalhar

BET-IBC

Antes de começar a apostar deverá simular um número de apostas que lhe permitam identificar onde é realmente mais lucrativo. Cada mercado tem as suas particularidades, e um apostador que seja muito bom no mercado de over/under poderá não ser bom no mercado de handicap. A forma como se analisam os jogos são diferentes, e vai depender do perfil e aptidão de cada apostador.

Para simular este “portefólio” poderá recorrer a plataformas como a Blogabet, Betadvisor, Tipstrr, Betrush, entre muitas outras. Aí terá indicadores fundamentais como a taxa de acerto, o seu ROI ou Yeld, e algumas até indicam o campeonato onde é mais rentável.

Torne-se especialista em 1 ou 2 mercados, no limite 3. Todos eles requerem muito estudo, e quanto mais dispersar e quiser abranger vários mercados, menor será o seu foco e especialização, e consequentemente a sua rentabilidade tende a diminuir.

Definir as competições para trabalhar

As apostas desportivas são um trabalho como muitos outros, que requerem estudo, dedicação e determinação. É impossível um apostador ser rentável, no longo prazo, sem muito estudo e dedicação. Esse estudo requer muito tempo investido, sobretudo na visualização dos jogos, na constante procura da informação, na análise estatística, entre tantas outras coisas.

Assim, defina as competições em que quer trabalhar. Os grandes especialistas trabalham apenas em uma ou duas competições. Pense por exemplo na Liga NOS tem 18 equipas, são 9 jogos por jornada. Para procurar informações, analisar estatísticas e visualizar os jogos, veja o tempo que precisa de despender, por forma a ter um conhecimento profundo de cada equipa. Claro que a sua escolha deverá ter em conta a quantidade de informação que poderá ter ao seu dispor, bem como a possibilidade de ver os jogos, ou resumos alargados.

Assim, será recomendado ser especialista em 1 ou 2 campeonatos que tentar abranger 5 ou 6 com um nível de conhecimento muito superficial.

Procurar apostas de valor

futebol e lucro

Este é um dos maiores desafios de qualquer apostador, encontrar apostas de valor. São elas que fazem o apostador ser rentável no longo prazo. Temos uma aposta de valor quando a casa de apostas subestima cota de um determinado evento acontecer. Isso acontece quando a casa de apostas oferece uma probabilidade menor, para um evento, do que na realidade.

Naturalmente que esta probabilidade real tem a ver com o que o apostador define. Por exemplo, se o apostador acha que a probabilidade de um jogador vencer uma partida de ténis é de 60% (1.66), mas a casa de apostas considera 50% (2.0), daqui decorre uma aposta de valor, para o apostador.

As casas de apostas estão cada vez mais preparadas para não “errar” na atribuição das cotas, e muitas vezes a oportunidade está na abertura das odds. Mesmo quando existem essas oportunidades, elas não duram muito tempo, pois as casas ajustam de forma rápida.

Disciplina e controlo emocional

Esta é uma parte muito peculiar na vida de um apostador. É algo que não se compra, nem mesmo se aperfeiçoa de forma simples ou imediata. É uma parte inata que pode ser trabalhada, mas que exige muito tempo, determinação e rigor. Para muitos apostadores é mesmo o “calcanhar de Aquiles” e aquilo que os impede de serem lucrativos, mesmo sendo bom em todos os outros itens aqui falados.

Apesar de não ser fácil ter um bom controle emocional, sobretudo quando se é iniciante, ajuda muito pensar no longo prazo. A informação é muita no início, e a expectativa de conseguir ser lucrativo no curto prazo pode ser um dos maiores problemas. O apostador recém-chegado a este mundo dificilmente lida bem com a primeira série de apostas perdidas. Coloca o seu método em causa, e por norma é a gestão de banca que sofre o primeiro impacto. Há a tendência para correr atrás do prejuízo e “abandonar” a criteriosa gestão de banca.  É natural o apostador passar a dobrar a stake para poder recuperar de forma mais rápida – são tudo erros de principiantes, mas naturais nesta fase.

O controle emocional é bem mais complexo que isto, e há apostadores que nunca chegam a tê-lo. No entanto, se definimos bem as etapas acima, principalmente se estamos a fazer apostas de valor, nos mercados onde somos lucrativos, e com uma boa gestão de banca, o tempo provará que seremos lucrativos. É igualmente fundamental saber aceitar com a mesma naturalidade um “green” ou um “red” pois eles fazem parte do dia a dia de um apostador. Aliás são os “reds” que nos permitem aprender mais e evoluir. Por isso, tente moderar as suas expectativas, não fique demasiado eufórico com uma série de apostas ganhas, nem depressivo ou preocupado com uma “bad run”. São dicas simples, mas que aos poucos vão ajudar no controlo emocional.