Menu

Chicago Fire – New York City (MLS)

A primeira jornada da Major League Soccer oferece-nos um “Super Sunday”, com todas as vinte equipas a entrar em campo. Entre várias partidas a merecer destaque, como a repetição da final de 2015, entre os Columbus Crew e os Portland Timbers, ou o dérbi canadiano entre os Vancouver Whitecaps e os Montreal Impact, focamo-nos em Chicago, onde os Fire vão apresentar a sua nova face, com o técnico sérvio Veljko Paunovic a testar-se, pela primeira vez, à frente de um clube profissional, perante os New York City, no ano dois da sua existência e com a responsabilidade de entrar nos lugares do playoff.

É também um jogo de caras conhecidas. Nos Chicago Fire estrear-se-á o português João Meira, que deixou o Belenenses para tentar a sorte numa liga em ascensão, tendo do outro lado um enorme conjunto de estrelas, liderado por David Villa e com Frank Lampard e Andrea Pirlo a maravilhar a partir do meio-campo.

Os Chicago Fire precisavam de mudar, depois de no ano passado terem sido uma das equipas mais frágeis da Conferência Este. A chegada de Veljok Paunovic foi, no entanto, uma surpresa para todos os que seguem a competição. O sérvio terminou a sua carreira de jogador na MLS, ao serviço dos Philadelphia Union, tendo passado a sua carreira de treinador ao serviço da Federação da Sérvia, onde se sagrou campeão europeu de sub-19 e campeão mundial de sub-20. Esse currículo e, sobretudo, as suas ideias de jogo deixam água na boca dos seguidores da MLS. Na pré-temporada, a equipa começou já a dar sinais positivos, tendo também acumulado uma série de bons resultados. Vitórias frente aos Philadelphia Union, Vancouver Whitecaps, Minnesota United e Portland Timbers revelam toda uma nova ideia e mentalidade. Em termos de jogo, Paunovic deverá dar preferência a um meio-campo com dois médios volantes, tendo também dois extremos rápidos e um avançado que, pelas suas características, oferecerá mobilidade em termos ofensivos. Na linha defensiva, a influência europeia imposta pelos reforços também faz adivinhar mais segurança.

Onze Provável: Matt Lampson – Michael Harrington, Johan Kappelhof, João Meira, Brandon Vincent – Matt Polster, Razvan Cocis – Arturo Alvarez, John Goosens, David Accam – Igboananike.

MLSOs New York City são uma das grandes incógnitas da nova temporada da MLS. A equipa deixou algumas boas indicações no ano passado, como a qualidade do guarda-redes Josh Saunders ou jogadores que, no meio-campo, ofereciam consistência, na pele de Andrew Jacobson ou Kwadwo Poku. No entanto, a vontade de preencher o seu plantel com estrelas nem sempre terá jogado a favor da equipa. David Villa foi um lutador durante toda a temporada, mas Lampard, Pirlo e Iraola falharam na missão de melhorar a equipa na segunda metade da época. Com mais tempo de adaptação e com a pré-temporada feita com o plantel, estes jogadores poderão agora ser uma melhor influência, resistindo ainda a ideia que, com Mix Diskerud e Tommy McNamara, haverá um excesso de talento no meio-campo. Entre os reforços, sinal positivo para o jovem lateral-esquerdo Matarrita, que poderá ser uma das sensações da temporada. Mas também terá que haver uma palavra para Patrick Vieira. O perfil do técnico do New York City não bate certo com o que é habitual na MLS. Sendo também um técnico estrangeiro, como Paunovic, Vieira tem contra si o facto de nunca ter trabalhado nos Estados Unidos, embora beneficie de uma larga confiança da parte da administração do clube. A forma como colocará a equipa a jogar – pela pré-temporada, espera-se um 4-3-3 – e o reconhecimento que irá demonstrar da Liga serão essenciais para o aumentar da confiança numa equipa que tem larga responsabilidade de atingir o sucesso. Nos jogos de preparação disputados, ficaram algumas ideias díspares. Vitórias frente aos Oklahoma City Energy, Montreal Impact, HB Koge ou FC Reykjavic, acabaram ensombradas por uma derrota frente ao FC Cincinnati. A variedade de opções tomadas por Vieira e as experiências realizadas, impedem, no entanto, de ter uma ideia mais aprofundada do que poderemos começar a conhecer neste domingo.

Onze Provável: Josh Saunders – Iraola, F. Brillant, E. White, Matarrita – Mix Diskerud, Andrea Pirlo, Frank Lampard – K. Shelton, David Villa, Tommy McNamara.

Na temporada passada, os Chicago Fire venceram no jogo disputado em casa, tendo empatado na deslocação a New York.

New York City FC 2-2 Chicago Fire
MLS 2015
Chicago Fire 1-0 New York City FC
MLS 2015

Em dia de estreias na MLS, espera-se um jogo muito aberto, com os Fire a demonstrarem uma ideia de jogo mais consistente, mas o New York City a beneficiar do talento dos seus jogadores para se poder impor. Um autêntico jogo de tripla.

Prognóstico Odd Casa Sucesso
Mais de 3.5 golos 3.00 Betrally
Chicago Fire logo
Chicago Fire
  • País: Estados Unidos
  • Estádio: Toyota Park
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

New York City FC
New York City FC
  • País: Estados Unidos
  • Estádio: Yankee Stadium
  • Cidade:
  • Fundação:

Ver ficha completa

Luís Cristóvão
Luís Cristóvão
  • Próg. realizados 2880
  • Média Odds usadas 2.15
  • Próg. certos 1352
  • Próg. errados 1488
comments powered by Disqus

Últimos jogos