Ao contrário da véspera, ontem não houve assim grandes jogos com grandes resultados. Mas ainda houve algumas coisas que a Liga dos Campeões não é uma coisinha de somenos, embora alguns a tratem como tal.

Temos assim que a Juventos foi perder por 1 a 0 à Grécia, a casa do Olympiakos, O vice-campeão europeu, o Atlético Madrid, derrotou copiosamente os suecos do Malmö por 5 a 0. Os búlgaros do Ludogorets ganharam, in extremis, ao FC Basel de Paulo Sousa, por 1 a 0. O Real Madrid foi passear-se por Liverpool e derrotou a equipa da casa por 3 a 0. O Bayer Leverkusen derrotaram em casa os russos do Zenit de André Villas-Boas por 2 a 0. O Arsenal também conseguiu ganhar quase quase no fim do jogo por 2 a 1, em casa do Anderlecht. E o Borussia de Dortmund também foi ganhar categoricamente à Turquia por 4 a 0 o Galatasaray. E o SL Benfica, depois da sorte do FC Porto e do azar do Sporting, ficou-se por um assim-assim com o AS Monaco, não conseguindo mais que um mísero 0 a 0.

O mais óbvio, ao longo destes anos que Jorge Jesus está no SL Benfica, é que o treinador encarnado não gosta da Liga dos Campeões.

Até se poderia perceber que é uma competição desgastante, palco de equipas superlativas e que Jesus está mais interessado em ganhar a hegemonia nacional, trazendo, de volta, os campeonatos que tem perdido. Mas, nem campeonatos, nem Liga dos Campeões. A caminho de 6 anos de SL Benfica, foi campeão por 2 vezes. Na Liga dos Campeões, mesmo quando se percebe que tem equipa para mais, e Jorge Jesus já teve grandes equipas, este retrai-se. Por vezes parece que Jesus tem medo. Será medo, o que assola o treinador?

Como explicar ter colocado em perigo a eliminatória da Taça de Portugal contra o SC Covilhã, para preservar a equipa para o jogo com o AS Monaco e apresentar um jogo tão fraquinho, tão fraquinho? Em último lugar no Grupo C da Liga dos Campeões com 1 ponto conquistado, o SL Benfica de Jorge Jesus sofreu 5 golos e marcou… 1. Um registo muito fraco para uma equipa portuguesa num grupo com AS Monaco, Zenit e Bayer Leverkusen, e do qual Jesus dizia que qualquer uma das equipas podia ganhar. Até ao momento todas já ganharam. Com excepção do SL Benfica.

Será que a ninguém interessa os valores milionários da Liga Milionária? Será que já está toda a gente bem servida e carrega consigo o ócio dos satisfeitos?

Dizia o antigo defesa brasileiro do SL Benfica, Carlos Mozer, citado pelo jornal A Bola, que este Benfica tem sido enfadonho na Europa. E é mesmo esse o termo que melhor define a equipa que se viu ontem contra o AS Monaco e se tem visto nos jogos europeus, uma equipa enfadonha.

Jorge Jesus e os Árbitros

Noticiava hoje o jornal A Bola que Jorge Jesus socorreu-se do jogo entre o Schalke 04 e o Sporting CP para falar de um problema político entre os árbitros e as equipas portuguesas.

Jorge Jesus

Pois é, Jesus. E agora?

É verdade que o Sporting CP tem muitas razões de queixa do jogo de Terça-feira, nomeadamente por causa do penalty inexistente assinalado já no período de compensação e que daria a vitória à equipa alemã. Penalty esse indicado pelo árbitro de baliza. Ontem, já o director desportivo do Schalke 04 veio atacar Michel Platini e os seus árbitros de baliza por considerar que erram mais do que acertam e na verdade não fazem nada de importante, aproveitando a vantagem que a sua equipa teve para justificar o erro.

Ora, Jesus não se pode queixar do árbitro do jogo de ontem. Pode ter havido alguns erros, normais, que acontecem, mas a expulsão foi bem assinalada, e o SL Benfica não ganhou este jogo por culpa própria, e não da arbitragem.

Mas Jorge Jesus pode queixar-se da arbitragem. Dos tais árbitros de baliza que ninguém sabem para que servem e que não viram a subida de Beto na grande penalidade na final da Liga Europa entre o SL Benfica e o Sevilla. Aí, sim, Jorge Jesus tinha, tem e terá razões de queixa para zurzir numa arbitragem que lhe foi maldosa e incompetente. Ontem, não. Ontem foi Jorge Jesus e o grosso da sua equipa que se ausentaram para parte incerta. Naquele jogo com o AS Monaco não estavam, de certeza.

Contudo, não é descabida de todo a ideia de conspiração avançada por Jorge Jesus. Segundo o treinador dos encarnados, faz confusão a muita gente o facto de Portugal estar à frente de França e de Itália nos rankings da UEFA. O que não deixa de ter a sua razão. Porque é verdade. E o próprio presidente da UEFA, Michel Platini, já disse, várias vezes para quem quis ouvir, o que pensa sobre o futebol na Europa. Quem deveria ganhar os prémios. E quem não os não deveria ganhar. Lembram-se da campanha a favor de Franck Ribéry? E já agora, o que dizer desta última campanha sobre o mau desempenho de Cristiano Ronaldo no Campeonato do Mundo do Brasil?

Que Benfica É este?

Mas o problema será todo de Jesus?

Numa primeira análise, claro que sim. É o treinador que escolhe a equipa e que, no início da época, lança uma série de propostas de aquisição. Pode argumentar-se que Luís Filipe Vieira não terá dado a Jesus tudo o que este pediu. Pode até dizer-se que o presidente sangrou a equipa até mais não, especialmente no momento em que vendeu Ezequiel Garay que é, no entender de muita gente, a principal falta nesta equipa.

AS Monaco 0 - 0 SL Benfica

O SJ Benfica terá de se aplicar muito mais. Mas será que ainda vai a tempo?

Cabe no entanto, a Jesus, a falta de afirmação de um central que pudesse colmatar a ausência do argentino. E bem vistas as coisas, a solução poderia estar bem ali, num outro argentino. É claro para muita gente, também, que Jardel não é mais que um suplente para suprir algumas falhas eventuais. Lizandro, expulso ontem, tem sido uma escolha de recurso. Ora, um jogador que esteve na lista quase final de jogadores argentinos a irem ao Mundial de 2014 onde foram vice-campeões do Mundo, deverá querer dizer alguma coisa. Se calhar Jesus já poderia ter apostado mais cedo no central. Em vez de o lançar às feras, como o faz, aliás, bastas vezes (ontem lançou Tiago, ex-Bebé, que não tem sido opção em nenhum momento), deveria ter trabalho o central desde o início da época, criando-lhe rotinas, ligando-o a Luisão e aos outros jogadores mais recuados.

Mas este ano a parte mais defensiva do SL Benfica parece colada com cuspo. Nem o guarda-redes é titular. O titular da baliza encarnada é o jogador que não estiver lesionado. Dava para rir se não fosse sério.

Agora que se vai entrar na segunda volta dos jogos da Liga dos Campeões, e que o SL Benfica vai receber o AS Monaco, só lhe resta vencer e esperar que, pelo caminho aconteça algum milagre pois, mesmo que ganhe os três jogos que faltam, a vida não se lhe afigura fácil. Para além de não se imaginar este SL Benfica ir ganhar a São Petersburgo. Principalmente se Enzo Perez continuar em baixo de forma.

Se Jorge Jesus teima em fazer uma equipa só para consumo interno, estará, por ventura, a fazer a cama onde se irá deitar. O SL Benfica tem tradição na Europa. Os sócios, adeptos e simpatizantes do clube da Luz querem uma equipa para todas as estações, e não somente para algumas.

Boas Apostas!A ideia com que se fica depois de todos estes anos de Jorge Jesus à frente do SL Benfica, é que o treinador dos encarnados não gosta da Liga dos Campeões.

Boas Apostas!