O Barcelona de Guardiola mudou a forma como hoje olhamos para o futebol, atingindo feitos notáveis. Hoje, Guardiola brilha no Bayern e o Barcelona vive uma crise de identidade com o Real e o Atlético a crescerem.

Sonho Possível

Guardiola conseguiu colocar a equipa a jogar o futebol que pretendia logo no seu primeiro ano como treinador.

No final da época o Barcelona encontrava-se nas meias-finais da Liga dos Campeões, era líder no campeonato, sem oposição, encontrando-se na final da Taça do Rei pela primeira vez desde 1998. Era este o momento que o Barcelona tanto ansiava para voltar a estar no topo do futebol europeu, mas para isso precisava de vencer os últimos desafios.

Antes de enfrentar o Chelsea para as meias-finais, o Barcelona tinha um jogo decisivo para o campeonato em casa do Real Madrid. Os catalães até começaram pior mas deram a volta ao marcador e estabeleceram o resultado final em 6-2, com Puyol, Piqué, Henry e Messi a apontarem os golos da vitória. Henry e Messi marcaram dois golos cada um. Esta era a vitória que a equipa precisava para ganhar confiança para os outros jogos. No campeonato, o Barcelona terminou em 1º com 87 pontos, 105 golos marcados e 35 sofridos, mas as conquistas não se ficaram por aqui.

O Chelsea de Hiddink causava alguma apreensão e era um adversário a ter em conta. A primeira mão acabou sem golos em Camp Nou. Em Inglaterra, a história seria outra. A equipa inglesa começou melhor mas Iniesta empatou o jogo aos 93 minutos. A festa era azul e vermelha, com o Barcelona a garantir um lugar na final em Itália.

Antes da final da Liga dos Campeões, houve tempo ainda para a final da Taça do Rei onde o Barcelona levou de vencida o Athletic, por 4-1.

O trabalho do Barcelona, na época 2008/2009, só ficaria completo com a conquista da Liga dos Campeões.

Os olhares estavam centrados no jogo que opunha as duas melhores equipas da Europa e no duelo Messi – Ronaldo. O jogo começou de forma equilibrada até que Eto’o aos 10 minutos inaugurou o marcador. O Manchester teve de correr atrás do prejuízo, mas bateu-se sempre contra Valdés e na falta de pontaria de Ronaldo. Aos 70 minutos, Messi fechou o resultado final em 2-0 e garantiu a 3ª Liga dos Campeões para os catalães.

Alterações

FC Barcelona 2 - 1 Estudiantes 2010

Em 2010, o FC Barcelona ganhou o Mundial de Clubes derrotando, na final, o Estudiantes por 2 a 1

Na época de 2009/2010, Guardiola realizou algumas alterações no plantel e passou a contar com Ibrahimovic.

Como primeiro resultado destas alterações, o Barcelona entrou a vencer nessa época ao conquistar a Supertaça de Espanha ao Athletic, por 5-1 no conjunto das duas mãos.

Seguiu-se a Supertaça Europeia, com o Shakhtar a ser o adversário da equipa catalã. Pedro apontou o único golo da partida, aos 115 minutos.

Nunca antes um clube tinha conquistado 6 títulos numa só época, até chegar o Barcelona de Guardiola. Nas meias-finais do Mundial de Clubes, o Barcelona eliminou o Atlante por 3-1, seguindo para a final onde defrontou o Estudiantes. Os catalães venceram por 2-1 depois de Pedro marcar o golo do empate aos 89 minutos e Messi ter brilhado no prolongamento.

Todas estas conquistas fizeram com que o Barcelona fosse um alvo a abater durante toda a temporada. Na Liga dos Campeões, o Barcelona perdeu nas meias-finais frente ao Inter, de Mourinho. No campeonato, os catalães só conquistaram o título na última jornada somando 99 pontos, mais 3 que o Real Madrid. Na Taça do Rei, o Barcelona foi eliminado de forma prematura, nos oitavos-de-final, pelo Sevilha.

Exigências

O Barcelona tinha um plantel curto para as exigências de uma época inteira, como se comprovou na época 2009/2010. Para colmatar esta carência, Guardiola pediu David Villa, Mascherano, Afellay e Adriano. Os quatro reforços chegaram mas o Barcelona manteve a sua identidade.

O Barcelona começou a época a conquistar a Supertaça Espanhola. 5-3 no conjunto das duas mãos frente ao Sevilha.

Mourinho chegou para treinar o Real Madrid e o clima de adversidade aumentou entre os dois clubes. Uma vez mais, os catalães mostraram ser superiores aos madrilenos e conquistaram o campeonato pelo terceiro ano consecutivo, somando 96 pontos, 95 golos marcados e 21 sofridos.

O Real Madrid teve oportunidade para vingar-se na final da Taça do Rei e assim foi. Num jogo muito equilibrado, foi a vez de Ronaldo desmontar a solidez defensiva blaugrana e fazer o único golo do jogo, aos 103 minutos, levando assim a Taça para Madrid.

A Liga dos Campeões era um dos grandes objectivos dessa temporada e o clube não facilitou. Depois de deixar para trás o Arsenal e Shakhtar, chegava a vez de enfrentarem o seu velho rival, Real Madrid, nas meias-finais.

O primeiro jogo realizou-se no Santiago Bernabéu e foi muito bem disputado por ambas as equipas. Messi desbloqueou o jogo e o Barcelona venceu por 2-0. Com uma vitória fora, o Barcelona partia mais descansado para o jogo da segunda mão. O empate a uma bola serviu para que o Barcelona alcançasse novamente a final onde iria enfrentar o Manchester United.

A jogar em Wembley, o Manchester esperava que o factor casa fosse determinante, mas o Barcelona encarava sempre os jogos como se jogasse em casa. Os catalães dominaram todo o encontro e conquistaram mais uma Liga dos Campeões para o Barcelona. Vitória por 3-1.

Sede de Vencer

A última época de Guardiola no clube resumiu-se ao fim da hegemonia interna e o cansaço a nível europeu com as outras equipas a anularem o Barcelona depois de muitas épocas de estudo.

FC Barcelona 3 - 0 Athletic

O 14º e último título de Guardiola no FC Barcelona, foi a Taça do Rei ganha frente ao Athletic por 3 a 0

O Barcelona tinha o seu primeiro grande desafio contra o Real na Supertaça Espanhola. Um obstáculo superado com sucesso, naquele que se traduziu no primeiro título da época.

Seguia-se a Supertaça Europeia, com o Porto pelo caminho. Messi e Fàbregas marcaram e fecharam o resultado em 2-0 com mais um troféu a seguir directo para a Catalunha.

No Mundial de Clubes, o Barcelona tinha mais uma vez oportunidade para mostrar o seu valor ao Mundo e assim foi, ao aplicar uma goleada ao Santos, por 4-0, na final.

No campeonato, aconteceu algo inédito. O Barcelona foi a casa do Real vencer por 3-1 na primeira volta e, o Real foi a casa do Barcelona vencer por 2-1, na segunda volta. O cansaço da equipa era notório e Mourinho aproveitou para levar o Real à conquista do campeonato e terminar com a hegemonia imposta pelo Barcelona. O Barcelona somou 91 pontos, com 114 golos marcados e 29 sofridos, contra 100 pontos do Real Madrid, 121 golos marcados e 32 sofridos.

Na Liga dos Campeões, o Barcelona deixou para trás o Bayer Leverkusen por 10-2 e o Milan por 3-1, até chegar às meias-finais onde iria encontrar o Chelsea. Todos esperavam uma final entre Barcelona e Real mas tal não se verificou. O clube inglês fez com que o Barcelona caísse na Europa e visse o seu fim mais próximo.

A última oportunidade para o Barcelona de Guardiola conquistar algo nessa temporada era a final da Taça do Rei. Nos quartos-de-final assistiu-se a uma final antecipada com o Barcelona a eliminar o Real, por 4-3. Na final, o Barcelona encontrou o Athletic e, sem grande contestação, venceu por 3-0, com dois golos e Pedro e um de Messi.

O Barcelona dava o seu último e 14º título a Guardiola que culminava assim um ciclo de vitórias e conquistas.

A Catalunha reclama independência do resto de Espanha e conseguiu-a através do futebol do Barcelona de Guardiola. O Barcelona conquistou a sua independência, não só de Espanha mas como do resto do Mundo.

Boas Apostas!