O AS Monaco, como clube neo-rico que agitou o mercado não há muito tempo, está em período de venda. Poupar é a nova palavra de ordem.

AS Monaco FC, clube do principado do Mónaco, que não é associado da UEFA, participa no campeonato francês e conta já com alguma tradição, tanto em França como na Europa. Foi campeão de França por 7 vezes, em 1961, 1963, 1978, 1982, 1988, 1997 e 2000. Venceu a Taça de França por 5 vezes, em 1960, 1963, 1980, 1985 e 1991. Venceu a Taça da Liga, por uma única vez, em 2003. Foi finalista vencido na Liga dos Campeões em 2004, tendo perdido com o FC Porto por 3 a 0, no Veltins-Arena, em Gelsenkirchen, na Alemanha. Foi também finalista vencido na Liga Europa em 1992, tendo perdido com o Werder Bremen por 2 a 0, no Estádio da Luz, em Lisboa.

Depois de um grande período de glória nas décadas de ’70 e ’80 do século XX, e de alguns sucessos esporádicos, o AS Monaco passou, nos últimos anos, por períodos bastante maus e depressivos, com várias descidas a divisões secundárias. Conseguiu recompor-se, muito graças à aquisição do clube pelo magnata russo do petróleo, Dmitry Rybolovlev.

Rybolovlev investiu forte no clube para fazê-lo regressar à alta roda do futebol europeu. E contratou jogadores como Radamel Falcao, James Rodríguez, Dimitar Berbatov, Éric Abidal, João Moutinho e Ricardo Carvalho. Alguns pagos a peso de ouro. Mas o investimento não teve retorno desportivo. Ao contrário de outro novos-ricos, como Manchester City e PSG, que, em Inglaterra e França lutam pelos lugares cimeiros e, na Europa, são gigantes, o AS Monaco conseguiu chegar à Ligue 1 de França mas, poucos mais fez que isso. Também se pode queixar de alguma falta de sorte e alguns erros de casting.

Radamel Falcao andou ausente por lesão que até o afastou do Campeonato do Mundo de Futebol de 2014, no Brasil, onde poderia ter sido glorificado. Glorificado foi o seu compatriota James Rodríguez, que tinha valido 45 milhões de euros ao FC Porto e que foi revendido, agora, ao galáctico Real Madrid, por 83 milhões de euros. João Moutinho, em ano de estreia, ele que fora comprado em pacote com James Rodríguez ao FC Porto e que teria custado 25 milhões de euros, foi considerado um dos flops do ano para a revista francesa L’Équipe. Ricardo Carvalho, aos 36 anos de idade, está no zénite da sua excelente carreira. Dimitar Berbatov, que até fez uma boa temporada, o que lhe valeu a prorrogação de contrato por mais uma época, está, também, com 33 anos. Éric Abidal, que aos 33 anos ainda fez uma boa temporada no Monaco, depois de ter saído do Barcelona, trocou o AS Monaco pelo Olympiacos.

Leonardo Jardim

O AS Monaco a apertar o cinto e Leonardo Jardim sem grande margem de manobra

A grande aposta do Monaco para esta temporada era o treinador português Leonardo Jardim, que tinha feito uma boa campanha com o Sporting CP, com uma equipa construída sem muito dinheiro, mas sem confrontos europeus. Mas entretanto, o Monaco perdeu os seus nomes sonantes. Foi buscar Bernardo Silva, por empréstimo, ao SL Benfica. E, segundo rezam todas as crónicas, Radamel Falcao prepara-se para abandonar o clube. Depois das confirmadas vontades de Chelsea e Real Madrid de contar com o avançado colombiano, agora junta-se-lhes a Juventus. Parece, assim, certo, que Falcao irá marcar golos para outras ligas. E o que restará do AS Monaco milionário de Dmitry Rybolovlev?

Depois do tão mediático divórcio de Dmitry Rybolovlev, que lhe custou 4,5 mil milhões de dólares, o russo está apostado em reduzir a massa salarial do AS Monaco. Nem que para isso tenha de se livrar da sua última jóia da coroa, o colombiano Falcao, que tanto maravilha os relvados, mas a quem a liga francesa levou um pouco ao ocaso. Fica então, só, Leonardo Jardim.

De todas as formas, ainda agora a Liga 1 francesa começou e parece que o AS Monaco está arredado dos grandes feitos. Com 3 jogos já realizados, o AS Monaco ganhou 1 e perdeu 2. Perdeu por 2 a 1 com o FC Lorient, em casa, voltou a perder por 4 a 1 com o Girondins Bordeaux, fora e, finalmente, à terceira jornada, ganhou por 1 a 0 ao FC Nantes, também fora, o que coloca o AS Monaco na 17ª posição, com 1 ponto acima da linha de água.

O futuro não se avizinha risonho a Leonardo Jardim. E o AS Monaco já não é o novo-rico que era. Agora parece mais um velho aristocrata falido, vivendo de aparências.

Boas Apostas!